Seguir o O MINHO

Alto Minho

Loja da Águas do Alto Minho novamente vandalizada em Caminha

Montra partida

em

Foto: Jornal C / O Caminhense

A loja de Caminha da empresa Águas do Alto Minho (AdAM) foi novamente vandalizada durante a última madrugada, com a montra principal a aparecer em pedaços esta manhã.

De acordo com o jornal O Caminhense, os vândalos terão utilizado uma pedra para partir a montra de vidro da loja, situada no Largo Dr. Bento Coelho da Rocha, mas o interior da loja terá sido ‘poupado’.

Foto: Jornal C / O Caminhense 

Em abril de 2020, o mesmo espaço já havia sido vandalizado, com impropérios escritos na montra face à polémica do aumento de preços para os consumidores.

A AdAM é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% pelos municípios de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS) – reprovaram a constituição daquela parceria.

A constituição da empresa tem sido contestada por vários partidos e pela população, que se queixam do aumento “exponencial” das tarifas e do “mau” funcionamento dos serviços, reclamando a sua reversão e a devolução da gestão daquelas redes a cada um dos municípios.

Populares