Seguir o O MINHO

Região

Livros e vinhos verdes animam conversas ‘online’ nos dias 20 e 21

Iniciativa da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes

em

Foto: Ilustrativa / DR

“Álvaro Cunhal no País dos Sovietes”, de Helena Matos e José Milhazes, é uma das obras eleitas para animar a iniciativa “Dois dedos de conversa sobre livros e vinhos verdes” que terá lugar ‘online’ nos dias 20 e 21.

A iniciativa é da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) e da editora Aletheia e, segundo a informação enviada à agência Lusa, “leva a casa dos consumidores um ‘pack’ com um livro e uma referência de vinho verde para seguir as 10 sessões ‘online’” com oradores convidados, enólogos e produtores durante uma hora.

“Dois dedos de conversa sobre livros e vinhos verdes” coloca frente-a-frente 10 livros de autores portugueses e estrangeiros e vinhos de outros tantos produtores em cinco sessões diárias, moderadas pela animadora Ana Colaço, do grupo Rádio Renascença, e com participação pública mediante inscrição.

“Coração de Cão”, de Mikhail Bulgakov, “O Último Tigre do Rio”, de Jorge Paulino, “A incredulidade de Padre Brown”, de G. K. Chesterton, “Ao Sabor da Bíblia”, do Chef Luís Lavrador, “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde, “Egipto, Notas de Viagem”, de Eça de Queiroz, “Álvaro Cunhal no País dos Sovietes”, de Helena Matos (texto) e José Milhazes (legendas), “Noite fantástica”, de Stephan Zweig, “Coração, Cabeça e Estômago”, de Camilo Castelo Branco, e “Foi Assim”, de Zita Seabra, são as obras eleitas.

Casa da Tojeira, Adega de Ponta da Barca, Solar das Bouças, Quinta de São Gião, Adega de Ponte de Lima, Quinta da Raza, Vercoope, Vinhos Norte, Quinta da Lixa e Quinta de Lourosa são os produtores de vinhos verdes que irão participar nesta iniciativa.

A apresentação dos livros estará a cargo de José Milhazes, Jorge Paulino, Gonçalo de Almada, Luís Lavrador, José António Gonçalves Guimarães, Helena Matos, Zita Seabra e Alexandra Louro, sendo um dos objetivos das conversas e das provas demonstrar que “o vinho e a literatura são duas artes que se complementam”.

Com limite máximo de 50 participantes em cada sessão, “Dois dedos de conversa sobre livros e Vinhos Verdes” tem um custo de inscrição de 20 euros por sessão e inclui o envio para casa de cada participante (despacho incluído para o continente e ilhas) de um ‘pack’ com uma garrafa do vinho em prova e do livro em apresentação.

“Juntar livros e vinhos verdes é uma conjugação natural, pois ambos são produtos de cultura e promovem o debate de ideias e a partilha”, afirma o presidente da CVRR.

Manuel Pinheiro destaca que esta ação conjunta surge num momento em que “o setor do vinho deve funcionar como alavanca de outros setores, como é o caso das editoras que veem a sua atividade bastante limitada atualmente”.

“Queremos que os consumidores tenham o prazer de receber em casa, com toda a comodidade, um ‘pack’ com um título interessante e uma garrafa de um vinho da região para uma viagem em boa companhia”, conclui o mesmo responsável.

Populares