Livre avisa que risco para a democracia “não está nos autoritários” mas em quem lhes “der a mão”

Política
Foto: Lusa

O deputado único do Livre avisou hoje que o principal risco para a democracia “não está nos autoritários” mas “naqueles que lhes derem a mão”, e que uns e outros ficarão “manchados na história” do país.

“O principal risco para a democracia não está nos autoritários, que serão sempre uma minoria, mas naqueles que lhes quiserem dar a mão. O que é preciso é que todos aqui dentro saibamos é que uns e outros – autoritários e os que lhes derem a mão – ficarão manchados na história do nosso país e perderão o respeito do povo”, defendeu Rui Tavares.

O deputado e dirigente do Livre – que tem feito vários pedidos para que o PSD rejeite expressamente qualquer entendimento com o Chega – falava na sessão solene comemorativa do 49.º aniversário do 25 de Abril, na Assembleia da República, com o líder social-democrata, Luís Montenegro, a assistir.

“A nossa democracia não só não está garantida como vive o maior momento de risco à sua existência desde o período pós-revolucionário. Os 50 anos do 25 de Abril serão a ocasião de celebrar tudo o que conquistámos em conjunto. Estes 49 anos devem servir para alertar para tudo aquilo que podemos perder”, alertou.

Na opinião de Rui Tavares, o principal risco para a democracia portuguesa é aceitar “a intimidação e a dominação da agenda pelos autoritários”, afirmando que esta tarde na Avenida da Liberdade, em Lisboa, estarão “muitos mais milhares defensores da democracia e do 25 de Abril do que há seus inimigos”.

“Haverá sempre mais portugueses a defender a liberdade do que o autoritarismo. Saibamos confiar no nosso povo, nos democratas que conquistaram a democracia a duras penas e dar-lhes confiança. Tenho orgulho de pertencer a um povo que dirá sempre que for necessário: 25 de Abril, sempre! Não voltarão”, defendeu.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Turista francês morre após queda em cascata no Gerês

Próximo Artigo

PAN diz que 49 anos depois, Portugal “é ainda um país com subalimentados do sonho”

Artigos Relacionados
x