Seguir o O MINHO

Famalicão

Limpeza de terrenos e matas vai ajudar a aquecer escolas em Famalicão

Projeto-piloto

em

A Câmara de Vila Nova de Famalicão está a desenvolver um projeto que permite aquecer estabelecimentos de ensino usando ‘pellets’ produzidos a partir do material vegetal resultante da limpeza de terrenos e matas do concelho, revelou hoje a autarquia.

Em comunicado, a autarquia explica que o projeto piloto “Escola Circular” resulta de um protocolo entre o município e uma empresa da região que se compromete a “entregar uma tonelada de ‘pellets, por cada 12,5 toneladas de resíduos fornecidos pela câmara”.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O material entregue à Tec Pellets resulta da recolha de sobrantes do material vegetal decorrente da limpeza da floresta e terrenos, efetuada pelos serviços municipais, sendo que com aquele projeto de economia circular a autarquia quer alimentar as caldeiras de aquecimento da primeira escola envolvida, o jardim de infância de Requião, “proporcionando conforto e bem-estar às crianças, poupando o ambiente e os encargos financeiros” do município.

“Desde o arranque do projeto, foram já entregues na empresa 150 toneladas de sobrantes, sendo que, neste momento o município tem um saldo positivo de 12 toneladas. A estimativa é que cada escola tenha um consumo anual de cerca de três toneladas de ‘pellets’, lê-se.

Segundo explica o texto, “a fonte de energia utilizada até agora no jardim de infância de Requião era o gás propano, mas, depois de uma avaria na caldeira, a autarquia decidiu adquirir uma caldeira adaptada para ‘pellets’, através de um investimento de cerca de quatro mil euros, que permitiu iniciar o projeto de economia circular”.

O Jardim de Infância de Mouquim é o próximo estabelecimento de ensino a usar este tipo de aquecimento, aponta a autarquia, que refere ainda que “à medida que haja necessidade de renovar as caldeiras de aquecimento, outras escolas serão aquecidas de forma totalmente ecológica, com custos perto do zero”.

No comunicado a Câmara de Famalicão explica que único custo deste novo método de aquecimento é o valor da caldeira, que ronda os 4 mil euros, sendo que a poupança anual chega aos seis mil euros.

“Estamos a diminuir o impacto ambiental nocivo dos comportamentos humanos, para além de ser mais económico e mais eficiente. Trata-se de valorizar e proteger a nossa floresta, através da limpeza, e de criar condições para que os resíduos florestais tenham uma utilidade”, aponta no texto o presidente da autarquia, Paulo Cunha.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Autarcas discutem em Famalicão combate às ‘fake news’ na comunicação municipal

Fenómeno das notícias falsas

em

Foto: DR

Dezenas de autarcas de todo o país vão participar num seminário, em Famalicão, onde vai discutir-se os desafios e as tendências da comunicação municipal, nomeadamente o fenómeno das “fake news”.

“O problema maior da comunicação política é a autenticidade ou a falta dela. E essa falta de autenticidade leva ao descrédito da política e dos líderes políticos. A variável autenticidade é um elemento chave da comunicação política e municipal, porque a comunicação municipal é também ela política”, afirmou, em declarações à Lusa, Custódio Oliveira, da organização.

A iniciativa, que decorre quinta e sexta-feira na Casa das Artes de Famalicão, destina-se aos responsáveis e técnicos de gabinetes de comunicação e interessados em comunicação autárquica a quem cabe estar preparado para os novos desafios da comunicação municipal.

Segundo a organização, este ano, o número de inscritos ultrapassou as expectativas, tendo até sido recusado um número significativo de participantes por falta de capacidade da sala. Entre os 130 participantes estão inscritos vereadores, vice-presidentes e chefes de gabinetes de municípios de todo país.

“O desafio do seminário é trazer novos conhecimentos, novas experiências àqueles que fazem comunicação municipal em Portugal”, afirmou Custódio Oliveira.

Para aquele responsável, as “fake news” são um fenómeno de hoje, mas o problema da falta de autenticidade da comunicação política em geral, e da comunicação municipal em particular, é anterior.

“A comunicação municipal tem que ser normativa, tem que cultivar valores como o rigor e a autenticidade. Se não estiverem presentes estes valores, temos algo que vai virar-se contra os próprios autores”, sublinhou.

O tema vai ser discutido no primeiro dia de seminário, que reúne investigadores ligados às universidades de Porto, Minho, Católica do Rio de Janeiro e Barcelona.

Na quinta-feira, o seminário, o vigésimo nono em 18 anos, abordará as seguintes temáticas: “A comunicação e as fake news”, “Inovação na Comunicação e marketing digital”, “Spin Doctoring nas autarquias”, “Do storytelling ao framing, da mensagem à comunicação por processos”, “Brasil: as mudanças na comunicação com a eleição do Presidente Bolsonaro” e “Os chefes de gabinete e os assessores na comunicação municipal”.

O primeiro dia termina com uma tertúlia sobre “Os novos desafios e as tendências inovadoras na comunicação municipal”.

“Hoje há consenso à volta disto: a comunicação tornou-se num dos principais ativos das empresas e das organizações e os líderes começam a ter consciência disto, é um ativo que cria valor”, disse Custódio Oliveira.

Já na sexta-feira, Carlos Magno, fala da regulação da imprensa municipal, a partir da sua experiência como presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

O colóquio termina na manhã de sexta-feira, mas para a tarde, como programa complementar, é dada a possibilidade de os participantes visitarem a Casa Museu de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, tendo assegurado o transporte e a visita guiada.

Continuar a ler

Famalicão

Centro Qualifica de Famalicão reconhecido como um dos melhores do país

180 pessoas qualificadas no ano passado

em

Foto: CM Famalicão

O Centro Qualifica de Vila Nova de Famalicão “é um dos que apresenta melhor execução em todo o país”. Quem o diz é a presidente da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), Filipa Jesus, que elogiou os números “muito superiores à média nacional” do centro de formação e qualificação da autarquia famalicense.

Em 2018, o Centro Qualifica de Famalicão superou largamente o objetivo de atingir os 900 inscritos, registando a inscrição de 1175 pessoas. No ano passado foram encaminhadas para ofertas formativas 760 pessoas e para processos de RVCC 383 pessoas. No total foram certificadas 180 pessoas, alcançando uma taxa de execução de cerca de 93%.

Filipa Jesus fala em “provas dadas” e aponta como chave do sucesso “o modelo de organização e funcionamento deste Centro Qualifica, baseado no trabalho em rede”.

“Não se trata apenas de um envolvimento vertido na celebração de protocolos. Trata-se de um real compromisso assumido pelas entidades, expresso em parcerias de sucesso que efetivamente se traduzem na implementação das medidas e ações previstas e que se refletem nos resultados alcançados”, acrescentou.

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, não escondeu a sua satisfação pelos números apresentados, deixando uma palavra de agradecimento e felicitação a todos quantos se envolverem neste processo.

“A melhoria da qualidade de vida de uma comunidade consegue-se através da valorização dos seus recursos humanos e é fundamental que cada um de nós assuma a Educação como uma prioridade. Se assim não fosse, não teríamos estes diplomados”, disse.

O edil adiantou ainda que para 2019 estão disponíveis cerca de 80 mil horas de formação gratuita através do Centro Qualifica de Famalicão, que poderão atingir cerca de 25 mil pessoas, e deixou o desafio aos famalicenses para que “não deixem escapar esta oportunidade de aumentarem as suas qualificações”.

Recorde-se que o Centro Qualifica tem a missão de aumentar a qualificação de adultos com vista a melhorar os seus níveis de educação e formação, contribuindo para o aumento dos níveis de qualificação da população e da empregabilidade dos indivíduos.

O Centro Qualifica de Famalicão é coordenado pela Câmara Municipal em estreita colaboração com as escolas da Rede Local de Educação e Formação. Conta atualmente com sete polos no concelho: Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, Agrupamento de Escolas D. Sancho I, Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado, Escola Profissional CIOR, Didáxis Cooperativa de Ensino de Vale São Cosme e Riba de Ave e Escola Profissional FORAVE.

Continuar a ler

Famalicão

Detido por dar soco na cara a um polícia

PSP foi alertada pelo suspeito estar a ter um “comportamento agressivo” para com a mãe

em

Foto: Direitos Reservados

A PSP deteve em Famalicão um homem de 39 anos por agredir um agente com um soco na cara, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, a PSP refere que foi alertada para o facto de o suspeito estar a ter um “comportamento agressivo” para com a mãe.

Quando a patrulha chegou ao local, o suspeito “desferiu um soco na face” de um agente.

O homem foi detido e notificado para comparecer junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Continuar a ler

Populares