Seguir o O MINHO

Região

Limpeza contra incêndios assegurada no Parque Nacional Peneda Gerês

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A limpeza para prevenção de incêndios no Parque Nacional Peneda-Gerês “está a ser feita e assegurada” pelo Corpo Nacional de Agentes Florestais (CNAF), adiantou hoje à Lusa a responsável pela Associação de Desenvolvimento de Desenvolvimento Regional daquela área.


Em declarações à Lusa, a administradora delegada daquela instituição, Sónia Almeida, adiantou que os cerca de 50 elementos do CNAF adstritos ao parque, que engloba 22 freguesias dos distritos de Braga, Vila Real e Viana do Castelo, “estão a trabalhar tomando as devidas medidas de precaução contra a propagação do novo coronavírus”.

Naquele que é o único parque nacional a norte do país, segundo a responsável, “há apenas um ou outro caso de risco ou que não está a operar por ter que prestar apoio à família, mas o CNAF está a funcionar” com 10 equipas de 5 elementos cada sendo que “não andam todos juntos nos carros”, apontou como exemplo.

O Parque Nacional Peneda Gerês (PNPG) “não está fechado, até porque tem residentes (cerca de oito mil) mas está interdito à luz do estado de emergência sob o qual Portugal está”, explicou Sónia Almeida.

A responsável refere que no que toca à prevenção de incêndios florestais, o facto dos trilhos percorridos pelos turistas não estarem a ser usados pode até ser prejudicial: “Ao não haver quem percorra aqueles caminhos fará com que a vegetação tome conta deles e trilhos que acabavam por ser cortes naturais contra os incêndios podem deixar de existir”, apontou.

Quanto aos habitantes do parque, “não há referenciado qualquer infetado com o Covid-19”.

Sónia Almeida mostrou, no entanto, alguma preocupação com a altura pascal que se aproxima: “Temos notado um regresso de quem tem aqui segundas habitações para fazer a quarentena e temos os casos dos emigrantes a quem é muito difícil convencer a fazerem quarentena e a não visitarem a família. Esperamos um maior afluxo destes emigrantes durante esta semana mas também já está a haver controlo fronteiriço o que ajudará a atenuar esse afluxo de gente”, disse.

O PNPG foi criado em 1971 e é a única área protegida no país com a classificação de parque nacional. Localiza -se no noroeste de Portugal, abrangendo o território de cinco municípios: Melgaço, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, no distrito de Viana do Castelo e os concelhos de Terras de Bouro e Montalegre, no distrito de Braga.

Com uma área de mais de 69.000 hectares, encerra “uma diversidade biológica destacada, uma riqueza específica elevada e um número significativo de espécies endémicas”.

O PNPG “destaca-se ainda pela extensão e pela diversidade extraordinária de habitats naturais”, evidenciando-se “as matas climácicas de carvalhos, associadas ao azevinho, ao medronheiro, ao teixo e ao sobreiro”.

Constitui, juntamente com o Parque Natural da Baixa Limia/Serra do Xurés, na Galiza, o Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés e, em conjunto com esse parque natural espanhol, integra, desde 2009, a Reserva Mundial da Biosfera.

Anúncio

Alto Minho

Baloiço do Mezio instala pontos de desinfeção poucas horas depois de polémica

Parque Nacional Peneda-Gerês

em

Foto: Facebook de Baloiço do Mezio

O Baloiço do Mezio, em Cabana Maior, concelho de Arcos de Valdevez, já tem pontos de desinfeção de mãos, depois da polémica levantada na terça-feira pela Rádio Vale do Minho, a quem uma cidadã avançou críticas por não existir este tipo de equipamento no local.

Joaquim Campos, presidente da Junta de Cabana Maior, tinha dito ontem a O MINHO que as pessoas é que tinham a responsabilidade de levar pequenos frascos de gel para a higienizarão antes da utilização do baloiço, mas, horas depois, em declarações ao jornal Pasquim da Vila, resolveu anunciar que estaria para breve a instalação desses postos.

A meio da tarde desta quarta-feira, a página do baloiço nas redes sociais divulgou fotografias a dar conta da novidade, que alegrou visitantes por poderem agora utilizar o equipamento em segurança.

Baloiço do Mezio com aglomerados. Autarca apela ao respeito pelas normas sanitárias

Recorde-se que, independentemente dos novos postos, o autarca deixou o apelo através no nosso jornal para que a população respeite as normas sanitárias, como a utilização de máscara e o distanciamento social.

Considerado o “maior baloiço de corda em Portugal”, o baloiço do Mezio tem mais de sete metros de altura e permite uma vista panorâmica para o Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Maior baloiço do país com vista panorâmica às portas do Gerês

Foi inaugurado no passado dia 11 de julho, no alto do Mezio, em Arcos de Valdevez, numa estrutura de madeira com 7,60 metros de altura.

Continuar a ler

Alto Minho

Alto Minho apresentou condolências à família de piloto que morreu em Lindoso

Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo

em

Foto: DR

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo informou hoje ter apresentado condolências à família do piloto que na sequência da queda de um ‘Canadair’ em Ponte da Barca, quando combatia um incêndio na Peneda Gerês.

Na nota de pesar pela morte do piloto português de 65 anos, que vivia em Leiria, aquela comissão distrital, liderada pelo presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, manifesta ainda os votos de recuperação ao copiloto da aeronave, de 39 anos e de nacionalidade espanhola, que ficou ferido no mesmo acidente, e aos operacionais feridos no combate às chamas que lavraram durante três dias.

“Neste momento de pesar, o Alto Minho agradece e enaltece o compromisso e o empenho com que todos os agentes de proteção civil e demais intervenientes, que por terra ou por via aérea, colaboraram na defesa da floresta contra incêndios, nomeadamente no incêndio no Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG)”, refere a nota hoje enviada à imprensa.

O acidente ocorreu no sábado, quando o avião ‘Canadair’ português em que seguiam se despenhou em território espanhol, a cerca de dois quilómetros da fronteira.

O copiloto do avião ‘Canadair’ encontra-se “estável e fora de perigo”, no hospital de Braga.

Segundo o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), quando o primeiro helicóptero mobilizado para o socorro aos pilotos do ‘Canadair’ chegou ao local, cerca de uma hora depois do alerta, o piloto português estava “em paragem cardiorrespiratória”.

A equipa do INEM fez manobras de suporte básico de vida “sem conseguir reverter a paragem”.

De acordo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o avião despenhou-se junto à Barragem do Alto do Lindoso, na sequência de uma operação de reabastecimento de depósito de água.

O incêndio, que deflagrou na madrugada de sábado, na Galiza, foi dominado na madrugada de terça-feira.

No domingo, o secretário de Estado da Conservação da Natureza revelou que o incêndio já tinha consumido cerca de 200 hectares, não chegando a atingir a Mata de Cabril, classificada como Área de Proteção Integral, inserida no PNPG.

Do lado espanhol, dados da Junta da Galiza apontam para 400 hectares ardidos.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde aposta na leitura em rede

Casa do Conhecimento

em

Foto: DR

A Comunidade de Leitores da Rede de Casas do Conhecimento regressa em setembro com uma sessão em Vila Verde, com o objetivo de “promoção da leitura ao longo da vida, tornando-a numa atividade de caráter social e comunicacional”.

Na página de uma rede social, a Câmara Municipal de Vila Verde explica que, para aquela que será a 3.ª edição da iniciativa, foram escolhidas seis obras de autores nacionais e estrangeiros, do ensaio ao romance, “procurando ir ao encontro dos interesses de um público heterogéneo, levando ao despertar de emoções, motivações, visões e conceções muito distintas, que constituem a base de partilha destas nossas sessões, promovendo conhecimentos variados”.

A iniciativa tem como principais objetivos “a promoção da leitura ao longo da vida, tornando-a numa atividade de caráter social e comunicacional, que motive a partilha de conhecimento, reflexões e inquietações a partir de uma experiência de Leitura, contribuindo para a nossa formação enquanto cidadãos ativos, capazes de questionar o mundo e agir sobre ele”, aponta o texto.

Aquela comunidade é organizada pela Casa do Conhecimento e os Serviços de Documentação da Universidade do Minho, em colaboração com as Casas do Conhecimento dos Municípios de Boticas, Montalegre, Paredes de Coura e Vila Verde, sendo os encontros mensais todas as terceiras quartas-feiras de cada mês, das 17.30 às 19.00, de forma presencial e à distância por web conference.

Continuar a ler

Populares