Seguir o O MINHO

Futebol

Liga diz que fim do contrato com a NOS surge após ganhos mútuos

I Liga

em

Foto: Ilustrativa / DR

O fim do patrocínio da NOS à I Liga portuguesa, em junho de 2021, surge após uma relação que trouxe “benefício para as duas partes”, disse hoje à Lusa a diretora executiva da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).


Segundo Sónia Carneiro, a parceria de seis anos, renovada em 2017 já com Pedro Proença na presidência da LPFP, foi “um casamento feliz para as duas partes, e ainda será durante mais 14 meses”.

“É uma relação de benefício para as duas partes. Este é um momento como outro qualquer [para anunciar], e permite à Liga ter 14 meses para encontrar um patrocinador”, explicou.

Segundo a diretora executiva, os direitos de ‘naming’ da principal competição portuguesa têm agora um “valor 30% superior ao que foi negociado com a NOS em 2017”, segundo um estudo encomendado pelo organismo.

Para a NOS, acrescentou, o objetivo era “passar efetivamente a ser conhecida” por essa designação, o que “foi alcançado”, razão pela qual a Liga percebe “os argumentos” para o final da parceria por parte da operadora.

“Foram seis anos muito produtivos, de crescimento em conjunto. É um virar de página, mas só daqui a 14 meses, teremos ainda muitas coisas bonitas com a NOS até lá. (…) Agora é ir para o mercado a seguir”, atirou Sónia Carneiro.

Em comunicado, a Liga deu conta do final do contrato de patrocinador principal e ‘naming sponsor’ (o que atribui à competição o nome da marca em questão) da I Liga portuguesa, sob alçada da LPFP, que em 2017, aquando da sua renovação, foi estimado em 20 milhões de euros pela imprensa desportiva.

Aquele organismo agradeceu à operadora, que será o parceiro exclusivo mais longo da história, com sete anos, enquanto a NOS diz que “vê muito positivamente o resultado da parceria, ao longo das últimas épocas, com a LPFP, que muito contribuiu para uma maior visibilidade da paixão que une os portugueses”.

O anúncio surge no dia em que o Benfica pediu para deixar a direção da Liga, que integra ao lado de outros quatro primodivisionários, o FC Porto, o Sporting, o Tondela e o Gil Vicente, além de Mafra, Leixões e Cova da Piedade, da II Liga.

Antes, na quinta-feira, Pedro Proença pediu à mesa da Assembleia Geral a marcação de uma reunião magna para 09 de junho, para discutir a governação do organismo e apreciar o apoio anunciado para os clubes da II Liga, abandonada na sequência da pandemia de covid-19.

A liderança de Proença tem sido questionada depois de ter sido divulgada uma carta do dirigente ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, solicitando a sua influência para fossem transmitidos em sinal aberto os restantes 90 jogos da I Liga, que tem reinício previsto para 04 de junho, depois da interrupção devido à pandemia de covid-19.

Por seu lado, a NOS registou prejuízos de 10,4 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, contra 42,5 milhões de euros em termos homólogos, admitindo que os resultados foram “amplamente impactados” pela pandemia, numa comunicação à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Nas telecomunicações, “os maiores impactos foram sentidos na receita de subscrição de canais ‘premium’, em particular dos canais de desporto (Sport TV, BTV e Eleven Sports) que foram disponibilizados aos clientes de forma gratuita e nas receitas provenientes do ‘roaming’ internacional, fruto da impossibilidade de viajar”.

Anúncio

Futebol

“Ouvi os nossos adeptos cantar fora do estádio”

Tiago Mendes

em

Foto: Facebook de Vitória SC

Declarações após o jogo Rio Ave-Vitória SC (0-0), da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Vila do Conde:

Tiago Mendes (treinador Vitória SC): “Foi um jogo muito positivo da nossa parte, em que do primeiro ao último minuto fomos a equipa que mais criou oportunidades. Este empate é penalizador para o que fizemos dentro de campo.

Mexemos na equipa [em relação ao jogo passado] porque temos um plantel grande que nos permite buscar as melhores soluções.

Conseguimos criar situações de perigo ao longo de todo jogo e tivemos mais remates, mesmo jogando sem ponta-de-lança fixo, pois achámos que era a melhor maneira de poder entrar na área adversária e surpreender.

[Se sentiu ansiedade na equipa] Vi uma equipa muito competente, que entrou a dominar o jogo e conseguiu ter bola e pressionar. Obviamente, quando criamos situações e o golo não aparece, fica aquele sentimento de querer ganhar, não conseguir e o tempo estar a acabar. Mas, sinceramente, estou satisfeito com a competência que demonstrámos, procurando sempre aumentar o ritmo de jogo e pressionar no meio-campo.

Ouvi os nossos adeptos cantar fora do estádio e é uma pena que ainda não os possamos ter mais perto de nós nos jogos. Deixo um apelo [às entidades competentes] para que ajudem clubes, ajudem o futebol e deem essa alegria aos adeptos.”

Mário Silva (treinador do Rio Ave): “Não estou satisfeito com o resultado, mas foi um jogo competitivo, em que mesmo alterando seis jogadores no ‘onze’, porque há três dias jogámos 120 minutos, a equipa deu uma excelente resposta e mostrou competência.

Apesar de não ter sido o resultado que queríamos, o que fez a equipa dá-nos confiança. Jogar há três dias não pode servir de desculpa, temos de estar preparados para esta competição, mas defrontámos um adversário forte, que nos tapou o espaço interior e custou-nos explorar situações por fora.

De forma global, a posse de bola e número de remates foi igualado, num jogo em que não fizemos mais porque o adversário não permitiu. Acabámos por ser competentes defensivamente.

Não podemos ganhar sempre, e quando assim é, o empate é um mal menor. Claro que isso não nos deixa satisfeitos, mas este início de época tem sido muito duro e os jogadores têm sido uns guerreiros na disponibilidade”.

Continuar a ler

Futebol

Internacional português Rúben Dias no Manchester City por 68 milhões

Mercado de transferências

em

Foto: DR

O futebolista internacional português Rúben Dias transferiu-se do Benfica para os ingleses do Manchester City por 68 milhões de euros (ME), que poderão ser acrescidos de mais 3,6 ME, anunciou hoje o clube lisboeta.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Benfica informa que “chegou a acordo com o Manchester City para a alienação da totalidade dos direitos do jogador Rúben Dias”, pelo montante de 68 ME, que poderá ascender a 71,6 ME “dependente da concretização de objetivos relacionados com a performance desportiva do Manchester City”.

O vice-campeão nacional de futebol e líder da I Liga, em igualdade com FC Porto e Santa Clara, precisa que “o referido acordo está dependente da celebração de contrato de trabalho desportivo do jogador com o Manchester City”.

Rúben Dias já tinha deixado entender no sábado que estaria de saída, quando comentou o jogo com o Moreirense o golo marcado no triunfo ‘encarnado’ por 2-0 da seguinte forma: “Era um jogo muito especial para mim e conseguir fazer um golo neste jogo é ainda mais especial. É um momento especial e acredito que todas as pessoas já perceberam porquê”,

O defesa central, de 23 anos, formado nas camadas jovens do Benfica, vai encontrar no Manchester City, treinado pelo espanhol Pep Guardiola, dois jogadores internacionais portugueses, o defesa João Cancelo e o avançado Bernardo Silva.

No Benfica, o único clube profissional que representou, Rúben Dias disputou 137 jogos e marcou 12 golos, tendo-se sagrado campeão nacional na época 2018/19 e conquistado a Supertaça portuguesa em 2019.

Na seleção portuguesa, pela qual tem 19 internacionalizações, ainda sem qualquer golo marcado, conquistou a Liga das Nações em 2018.

Continuar a ler

Futebol

Sporting vence em Paços de Ferreira na estreia atrasada na I Liga

I Liga

em

Foto: DR

O Sporting estreou-se hoje na I Liga portuguesa de futebol com uma vitória por 2-0 em Paços de Ferreira, em jogo da segunda jornada da prova, depois do adiamento do encontro da ronda inaugural, imposto pelas autoridades sanitárias.

O avançado Jovane Cabral inaugurou o marcador para a equipa treinada por Rúben Amorim aos 23 minutos, na marcação de uma grande penalidade, cabendo ao defesa Sebastian Coates fechar a contagem, aos 63.

Os ‘leões’ deveriam ter recebido o Gil Vicente no fim de semana passado, mas a deteção de várias pessoas infetadas com covid-19 nos plantéis das duas equipas, entre as quais futebolistas e treinadores, motivou o adiamento da partida, que se realizará entre 12 e 16 de outubro.

O Sporting conquistou os primeiros três pontos e juntou-se ao grupo dos quintos classificados, com menos um jogo realizado, enquanto o Paços de Ferreira totaliza apenas um, continuando à procura do primeiro triunfo na competição.

Continuar a ler

Populares