Seguir o O MINHO

Futebol

Liga das Nações: Portugal favorito frente à ‘renascida’ Holanda

Final no Estádio do Dragão

em

Foto: DR

Portugal, atual campeão europeu, vai no domingo subir ao relvado do Estádio do Dragão, no Porto, como favorito na final da Liga das Nações de futebol, perante uma Holanda ‘cansada’ e em reconstrução.


Depois do triunfo por 3-1 na primeira meia-final sobre a Suíça, na quarta-feira, a seleção portuguesa parece ter tudo, em teoria, para levantar o primeiro troféu da Liga das Nações, apesar de ter uma baixa de peso.

Pepe saiu lesionado do confronto com os helvéticos, numa altura em que estava a ser um dos melhores em campo, e vai falhar a final, mas, mesmo assim, Portugal está ‘obrigado’ a vestir o papel de favorito.

Além de ter o estatuto de campeão europeu, e de ter a vantagem de jogar em casa, Portugal chega à final com Cristiano Ronaldo em grande forma, após o ‘hat-trick’ apontado frente aos suíços, e fisicamente mais ‘fresco’.

A seleção lusa teve mais um dia de descanso e a Holanda foi obrigada a disputar o prolongamento para conseguir eliminar a Inglaterra (3-1), na outra meia-final.

Com Pepe ausente, José Fonte deverá fazer dupla com Ruben Dias no centro da defesa, naquela que poderá ser a única alteração de Fernando Santos no ‘onze’ inicial.

O selecionador nacional deverá manter João Félix como companheiro de Ronaldo na frente, embora o avançado do Benfica tenha estado apagado frente aos helvéticos, naquela que foi a sua estreia absoluta como internacional ‘AA’.

Na defesa, Nélson Semedo ganhou o duelo a João Cancelo no primeiro jogo, mas tem sempre a ‘sombra’ do jogador da Juventus, enquanto no meio-campo, Danilo, que esteve castigado, e João Moutinho podem sempre entrar nas contas de Fernando Santos.

Por seu lado, a Holanda está a demonstrar na Liga das Nações que superou a ‘crise’ e está de regresso aos grandes palcos, após ter falhado as fases finais de Euro2016 e Mundial2018.

Depois de ter eliminado na fase de grupos Alemanha e França, os dois últimos campeões mundiais, os holandeses, comandados pelo técnico Ronald Koeman, que em tempos treinou o Benfica, ultrapassaram em Guimarães a Inglaterra, com justiça, embora tenham necessitado do prolongamento.

Os ingleses ainda se adiantaram no marcador aos 32 minutos, através de Marcus Rashford, na conversão de uma grande penalidade, mas a Holanda igualou e levou o encontro para prolongamento, com um golo de Matthijs de Ligt, aos 73. Kyle Walker, aos 97, na própria baliza, e Quincy Promes, aos 114, anotaram os golos que deram o triunfo à ‘laranja mecânica’.

A Holanda aparece na final da Liga das Nações numa fase em que tenta aproveitar os mais recentes sucessos da escola do Ajax, como Matthijs de Ligt, Frenkie de Jong e Donny van de Beek, e em que tem dois campeões europeus de clubes pelo Liverpool, o central Virgil van Dijk, promovido a capitão da ‘laranja mecânica’ e o médio Georginio Wijnaldum.

A final da primeira edição da Liga das Nações está agendada para domingo, às 19:45, no Estádio do Dragão, no Porto.

Anúncio

Futebol

Oficial: Tomás Esteves renova com o FC Porto até 2024

Futebolista de Arcos de Valdevez

em

Foto: DR / Arquivo

Tomás Esteves, futebolista de Arcos de Valdevez, renovou com o FC Porto até 2024, foi hoje anunciado.


O clube comunicou a renovação do lateral de apenas 18 anos através das redes sociais, confirmando assim o que já havia dito Pinto da Costa, presidente do clube, numa entrevista publicada ontem no Portal dos Dragões.

No clube desde os 09 anos de idade, o craque de Aboim das Choças renova até 2024, confirmando-se como uma das maiores promessas do emblema azul-e-branco.

“Estou muito feliz por renovar com o meu clube do coração”, disse o futebolista através das redes sociais do clube. “Espero dar muitas alegrias ao clube”, acrescentou.

 

Tomás Esteves venceu a UEFA Youth League e foi campeão nacional sub-19. Estreou-se na equipa principal do clube em jogo da Taça da Liga, frente ao Casa Pia, a 05 de dezembro de 2019.

Continuar a ler

Futebol

“Faz falta o ambiente, faz falta o público”

Declarações após o Santa Clara-SC Braga (3-2), na 25.ª jornada

em

Declarações no final do encontro Santa Clara-SC Braga (3-2), da 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado na Cidade do Futebol:


Custódio Castro (treinador do SC Braga):

“Sabíamos que o Santa Clara é uma boa equipa, mas cometemos erros que nos penalizaram. Sabemos muito bem o que temos de melhorar, sobretudo a atitude competitiva e agressividade, mas temos confiança total. Sabíamos que a retoma ia ser difícil e continuamos a acreditar nestes jogadores, nesta equipa. Têm toda a nossa confiança.

Temos de melhorar a circulação da bola, o jogo posicional. A paragem deixou alguma incerteza, mas tenho confiança total na equipa e sei que nos vamos apresentar muito mais fortes nas jornadas que faltam.

Faz falta o ambiente, faz falta o público, mas sabemos o porquê desta situação. Esperemos que passe rápido e possamos ter novamente adeptos, sobretudo os nossos adeptos, no nosso estádio”.

João Henriques (treinador do Santa Clara):

“O Braga entrou por cima, esteve melhor, mas depois as grandes situações foram do Santa Clara. Ao intervalo o empate já era injusto. Fomos superiores na primeira parte e na segunda parte o Sporting de Braga voltou a fazer golo na primeira oportunidade. Mas, com todo o mérito, demos a volta e conseguimos três pontos justíssimos. Respiramos saúde, confiança e dinâmica. Estamos orgulhosos, tranquilos e estamos muito mais perto do primeiro objetivo, que é a manutenção, com o Santa Clara pelo terceiro ano na I Liga, algo inédito.

Sonhamos com o próximo jogo e mais três pontos. Se conseguirmos mais do que os 42 pontos da época passada ficamos satisfeitos, mas somos muito ambiciosos e vamos olhar jogo a jogo para encurtar distâncias.

Somos a equipa com mais coragem da liga. Fomos muito bem recebidos na Cidade do Futebol, com excelentes condições, mas mudar para aqui com todas as bagagens não é fácil. Viemos há seis dias e estamos aqui com todo o prazer a representar uma região. Quisemos ser parte da solução e não do problema, e por isso acedemos a vir para o continente, disputar dez jogos fora de casa”.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga, por duas vezes a vencer, perde frente ao Santa Clara

25.ª jornada

em

Foto: Twitter

O SC Braga perdeu, por 3-2, este sexta-feira em Lisboa, frente ao Santa Clara, em jogo a contar para a 25.ª jornada da I Liga.


A derrota dos arsenalistas na capital impede a equipa minhota de ganhar vantagem no terceiro lugar do campeonato, depois de o Sporting ter empatado frente ao Vitória SC, e confirma que nenhuma das equipas da frente conseguiu vencer no reatamento do campeonato, depois de quase três meses de paragem devido à pandemia de covid-19.

O Sporting de Braga entrou em campo determinado em chegar cedo à vantagem e nos primeiros minutos esteve bastante perto de o conseguir. Aproveitando o espaço entrelinhas na defesa açoriana, a equipa orientada por Custódio chegou por um par de vezes com perigo à baliza de Marco, mas nem Ricardo Horta nem Paulinho conseguiram inaugurar o marcador.

Mas aos 19 minutos o Braga chegou mesmo à vantagem depois de Artur Soares Dias ter sido alertado pelo VAR para uma falta dentro da área do Santa Clara. O árbitro portuense analisou as imagens e assinalou a infração que Fransérgio converteu com sucesso, enganando por completo o guarda redes Marco.

Talvez ‘espicaçado’ pelo golo, o Santa Clara tentou nos minutos seguintes aproximar-se da baliza de Matheus e em dois livres conseguiu pôr em sentido a defesa minhota.

Apesar de controlar territorialmente, o Braga baixou o ritmo e num lance de contra-ataque os insulares chegaram ao empate. O cruzamento do flanco esquerdo apanhou Raul Silva em contrapé e Thiago Santana foi implacável: dominou de pé esquerdo e fuzilou Matheus, com a bola ainda a embater com estrondo na trave, mas a aninhar-se na baliza bracarense.

O golo do Santa Clara claramente destabilizou o Braga e nos minutos seguintes a equipa de João Henriques podia ter-se colocado em vantagem em três ocasiões, com a falta de pontaria a atraiçoar os avançados dos insulares ou a defesa dos minhotos a cortar no limite.

A segunda parte começou com as duas equipas a procurarem impor-se e muita luta a meio a campo. Aos 56 minutos, num lance de entendimento pela esquerda, Sequeira arrancou um cruzamento milimétrico para a entrada da área, onde apareceu Trincão a finalizar. De pé esquerdo, o avançado bracarense atirou rente ao poste e recolocou o Sporting de Braga na frente.

Aos 64 minutos o jogo voltou a mudar e novamente complicando-se para o SC Braga: Raul Silva voltou a ser batido pela rapidez Thiago Santana e empurrou-o na grande área. Artur Soares Dias não hesitou em expulsar o central arsenalista e assinalou a grande penalidade, que o avançado do Santa Clara aproveitou para ‘bisar’ no encontro.

Com o avançar do cronómetro os treinadores começaram a fazer as primeiras substituições e o ritmo de jogo ressentiu-se. As duas formações perderam discernimento na construção e, de um lado e de outro, era maior a facilidade em chegar à baliza adversária com a pressão frouxa de ambas as zonas intermediárias.

À beira do minuto 90 o Braga esteve perto de consumar a vitória, numa jogada em que a defesa do Santa Clara facilitou e foi Marco a resolver a aflição, primeiro a sair aos pés de Paulinho e depois de Wilson Eduardo.

Do outro lado, já em tempo de desconto, o Santa Clara não foi tão meigo e consumou a reviravolta, e o 3-2 final, por Carlos Júnior. Zaidu Sanussi recuperou uma bola na primeira fase de construção do Braga e, apanhando a defesa arsenalista em contrapé, assistiu o avançado no coração da área, que sem dificuldade encostou para o fundo da baliza.

Com este resultado, o Santa Clara soma agora 33 pontos, enquanto o SC Braga não consegue distanciar-se do Sporting no terceiro lugar e, com 46 pontos, tem três de vantagem sobre os ‘leões’.

Ficha de Jogo

Jogo realizado na Cidade do Futebol, em Lisboa.

Santa Clara – SC Braga, 3-2.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Fransérgio (grande penalidade), 20 minutos.

1-1, Thiago Santana, 34.

1-2, Trincão, 56.

2-2, Thiago Santana (grande penalidade), 66.

3-2, Carlos Júnior, 90 +2.

Equipas:

– Santa Clara: Marco, Pierre Sagna, João Afonso, Fábio Cardoso, Zaidu Sanussi (Salomão, 84), Francisco Ramos, Anderson Carvalho (Osama Rashid, 78), Mamadu Candé, Lincoln, Carlos Júnior e Thiago Santana (Cryzan, 75).

(Suplentes: André Ferreira, Osama Rashid, César Martins, Costinha, Cryzan, Salomão e Zé Manuel).

Treinador: João Henriques.

– SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana, Raul Silva, Sequeira, David Carmo, Palhinha (Rui Fonte, 83), Fransérgio, Trincão (Galeno, 72), Ricardo Horta (Wilson Eduardo, 84) e Paulinho.

(Suplentes: Eduardo, Rolando, Wilson Eduardo, André Horta, João Novais, Rui Fonte e Galeno).

Treinador: Custódio Castro.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Fábio Cardoso (27), Raul Silva (45+1 e 64), Mamadu Candé (73) e João Afonso (87). Vermelho por acumulação de cartões amarelos para Raul Silva (64).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 21h29)

Continuar a ler

Populares