Seguir o O MINHO

País

Líder do CDS-PP considera “extemporâneo e até insultuoso” discutir agora presidenciais

Político recusou apontar um calendário para o partido debater o assunto

em

Francisco Rodrigues dos Santos. Foto: bomdia.eu / DR

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, considerou hoje que discutir agora as eleições presidenciais é “extemporâneo e até insultuoso”, e recusou apontar um calendário para o partido debater o assunto.


No final de uma visita a uma pastelaria emblemática de Odivelas (Lisboa), e questionado também sobre o regresso do ex-líder do CDS-PP Manuel Monteiro ao partido, Francisco Rodrigues dos Santos salientou que o caminho deve ser “alargar e não estreitar”.

“Quem quer conquistar o futuro tem de saber somar o passado e não excluir ninguém: procurarei que o CDS tenha respeito integral pela sua história e que ninguém se sinta a mais”, afirmou.

Questionado se Manuel Monteiro seria um bom candidato do CDS-PP às presidenciais de janeiro, o líder democrata-cristão recusou, uma vez mais, debater esse tema.

“O CDS não é um partido alheado da realidade, mas confesso que consideramos esta discussão absolutamente extemporânea e até insultuosa”, afirmou, considerando que a prioridade de ser o combate às consequências da pandemia de covid-19.

Rodrigues dos Santos acrescentou que esta matéria entrou na agenda política como “um escape que o primeiro-ministro encontrou para desviar as atenções de uma cisão que criou no seu próprio Governo”, referindo-se à polémica com o ministro das Finanças, Mário Centeno.

“E nessas manobras dilatórias não caímos, a nossa prioridade é o plano de emergência social e o relançamento da economia”, disse, considerando que os militantes do CDS-PP não compreenderiam que o seu presidente estivesse mais preocupado com “a cadeira” de Belém.

O líder do CDS-PP nem sequer quis adiantar um calendário para o partido debater o tema, dizendo apenas que “a estratégia das presidenciais será definida a seu tempo”.

Questionado se o líder do CDS-PP está mais afastado do atual chefe de Estado do que a sua antecessora – Marcelo Rebelo de Sousa almoça hoje com o presidente do PSD, Rui Rio, e passa a tarde com o primeiro-ministro, em Ovar -, Francisco Rodrigues dos Santos recordou a promessa que fez no Congresso em que foi eleito.

“Eu disse que o meu escritório seriam as ruas de Portugal, é ao lado dos portugueses que quero estar”, assegurou.

Anúncio

País

Nem facilitismo nem alarmismo, pede Marcelo

Covid-19

em

Marcelo Rebelo de Sousa. Foto: Twitter de António Costa / Arquivo

O Presidente da República pediu hoje que não se facilite nem se entre em alarmismo com a situação da pandemia de covid-19 na região de Lisboa, onde tem vindo a registar-se um aumento no número de contágios.


“Não podemos facilitar, mas não podemos cair no alarmismo oposto. Há aqui um equilíbrio que é preciso manter”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas na Ericeira, concelho de Mafra, em Lisboa, onde foi tomar um banho na abertura da época balnear.

O Presidente descreveu que, independentemente do número crescente de contágios, por exemplo na Azambuja, ou com um reforço dos testes na área da construção civil, é preciso não generalizar.

“Não podemos confundir uma ação massiva [de testagem] na área da construção civil em cinco municípios com uma disseminação [da doença] na sociedade”, disse, alertando que todos “devem respeitar as regras sanitárias”, de distanciamento, na restauração, nas praias, no uso de máscara.

“Deve fazer-se um processo evolutivo”, disse o Presidente, que só tirou a máscara quando foi tomar um banho de mar de 20 minutos.

Marcelo Rebelo de Sousa fez, aliás, um elogio à estratégia de testagem de trabalhadores da construção civil: “O que está a ser feito está a ser bem feito, para se saber o que se passa.”

Continuar a ler

País

Problema no sistema impossibilita divulgação de dados covid portugueses

DGS

em

Um problema no sistema de informação usado pela Direção Geral da Saúde para fazer o boletim diário sobre a pandemia de covid-19 está a impossibilitar hoje a divulgação dos dados na altura habitual, disse fonte oficial.


Segundo informou aos jornalistas uma assessora do gabinete de imprensa do Ministério da Saúde, o boletim diário sobre a covid-19 será divulgado mal seja possível e, nessa altura, será agendada outra sessão para perguntas e respostas sobre os dados.

A conferência de imprensa diária, com a Direção Geral da Saúde e o Ministério da Saúde, vai realizar-se na mesma, mas sem os dados habituais, disse a mesma fonte.

Portugal contabiliza pelo menos 1.465 mortos associados à covid-19 em 33.969 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado na sexta-feira.

Continuar a ler

País

Costa pede a portugueses que saiam com segurança em semana de feriados

Covid-19

em

António Costa. Foto: Twitter

O primeiro-ministro, António Costa, apelou hoje aos portugueses para que tenham cuidados redobrados e que “saiam em segurança”, num momento em que se aproxima uma semana com dois feriados e depois de várias semanas de confinamento.


“Quando se avizinha uma semana marcada por dois feriados, muitos portugueses depois de muitos meses de confinamento em que a palavra foi ‘fique em casa’, querem, seguramente, aproveitar esta semana em que possam usufruir, mas com uma nossa nova palavra de ordem que é ‘saia em segurança’, disse António Costa, em Portimão.

O apelo do primeiro-ministro foi feito durante a sessão de inauguração de uma nova unidade hoteleira em Alvor, no concelho de Portimão, depois de presidir à abertura oficial da época balnear, na Praia da Rocha, naquele concelho do distrito de Faro.

Continuar a ler

Populares