Seguir o O MINHO

Futebol

“Levámos uma pancada forte”

João Pedro Sousa

em

Foto: DR

Declarações dos treinadores do Famalicão, João Pedro Sousa, e do Boavista, Vasco Seabra, no final do encontro da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol:

João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “O nosso objetivo era ganhar. Na primeira parte, conseguimos controlar, sem dominar. Conseguimos chegar a zonas de finalização com algum perigo. Mas não conseguimos marcar.

Na segunda parte, houve uma reação normal do Boavista, a tentar reagir ao nosso controlo. Mas a grande oportunidade é nossa, na situação da grande penalidade. Não conseguimos marcar e foi uma pancada forte. E sofremos o golo. Nessa altura, a equipa fica ansiosa e sofremos o outro golo.

O que fica é ambição que a equipa tem. Queremos jogar e procurar ganhar o jogo e quase acabava por acontecer.

Foi um bom jogo, competitivo, com duas boas equipas. E o resultado é justo”.

Vasco Seabra (treinador do Boavista): “Daquilo que foi o jogo, penso que fizemos um jogo competente, um jogo capaz e um jogo que traduziu o que queríamos. Fomos crescendo ao longo do jogo. Entrámos algo ansiosos, algo expectantes. Mas de qualquer das formas, com as linhas curtas, uma equipa compacta e fomos crescendo ao longo do jogo.

Acabámos por fazer uma segunda parte muito boa também. Conseguimos dividir o jogo e empurrar o Famalicão mais um bocadinho para trás. Fizemos o primeiro golo, tivemos oportunidade para fazer o segundo e aconteceu, e depois penso que foi visível, fomos empurrados para trás por situações externas.

O Famalicão não tem oportunidades de golo claras para dilatar. Tem a situação dos penáltis. E o jogo acaba por ficar resumido a isso.

Penso que até aos 80 minutos estivemos sempre por cima do jogo e depois disso ainda procurámos manter-nos compactos mas fomos sempre puxados. Estamos frustrados por não termos conseguido a primeira vitória.

Estou frustrado por ainda não termos conseguido conquistar a primeira vitória, mas só estaria preocupado se não visse a equipa tão ligada, com uma alma muito grande, um espírito de equipa cada vez mais forte. Isso só tem que nos dar força para o que aí vem”.

Populares