Seguir o O MINHO

Braga

Lar de idosos clandestino funcionava em Vieira do Minho

Na freguesia de Mosteira

em

Foto: DR/Arquivo

A GNR e a Segurança Social retiraram oito idosos de uma moradia em Vieira do Minho, na freguesia de Mosteira, que funcionava como um lar clandestino.

Esta já será a terceira vez que idosos são retirados da mesma moradia, que é gerida por uma mulher, segundo avança o jornal i.

Ainda segundo aquela publicação, os idosos viviam em condições precárias no local, e alguns estavam mesmo na garagem da moradia.

Anúncio

Braga

Braga recebe Corrida contra o Cancro de Mama mais popular do mundo

Race For The Cure junta cerca de um milhão de pessoas, em mais de 140 cidades. É a primeira vez que se vai realizar em Portugal

em

Roma. Foto: Divulgação (Arquivo)

A Race For The Cure, a Corrida e Caminhada contra o Cancro de Mama mais popular do mundo, vai realizar-se em Braga, a 29 de setembro, pelas 09:30, foi hoje anunciado durante uma apresentação pública.

Criado em 1983, esta é a primeira vez que o evento, que junta cerca de um milhão de pessoas em mais de 140 cidades de todo o mundo, se vai realizar em Portugal.

Foto: Sérgio Freitas / CM Braga (Divulgação)

Durante a prova, que começa e termina na Avenida João Paulo II, os participantes podem optar pelo percurso mais curto de 4 quilómetros ou pelo mais longo de 7.4 km.

O valor por inscrição é de 10 euros (com kit incluído). Os interessados podem efectuar a inscrição em no site da Run Porto [clicar aqui] ou na recepção do ginásio Gym Tonico.

A totalidade das verbas angariadas revertem a favor da Associação Rosa Vida e do Gabinete de Apoio Oncológico e para a Associação Mama Help, para apoiar os projectos desenvolvidos por estas Associação: Quality Onco Life Program, Pink Bees e Cinderella. Estes projectos visam a melhorar da qualidade de vida dos doentes oncológicos, a integração dos sobreviventes no seu regresso à vida activa e o apoio a toda a estrutura familiar, nomeadamente ao nível de estratégias para lidar com uma nova realidade.

Na Europa serão 22 cidades a correr pela causa, entre as quais Braga, Roma, Bruxelas, Atenas, Antuérpia, St. Petersburgo, Belgrado, Luxemburgo, Sarajevo, Bucareste, Split ou Sofia.

Continuar a ler

Braga

CDU vai fechar campanha eleitoral em Braga

Grande comício na sexta-feira, 04 de outubro

em

A campanha da Coligação Democrática Unitária (PCP/PEV) para as eleições legislativas vai ter moldes tradicionais, com várias ações de rua, refeições coletivas e comícios, com mais incursões ao centro e norte do país, nas próximas duas semanas, tendo Braga sido a cidade escolhida para o encerramento.

Em comparação com a última “volta a Portugal”, em maio para as eleições europeias, o líder comunista, Jerónimo de Sousa, os dirigentes de “Os Verdes” e cidadãos independentes vão protagonizar um périplo mais diversificado do que a habitual concentração na Grande Lisboa, península de Setúbal e Alentejo.

De fora do percurso da caravana e bandeiras da CDU vão ficar Trás-os-Montes, Beira Interior e Alto Alentejo, mas as palavras de ordem de comunistas e ecologistas serão audíveis por todo o litoral de Portugal: norte, centro e sul.

Ao contrário de há quatro meses, o último dia oficial de campanha, sexta-feira (04 de outubro), vai ser passado a norte, com um comício de encerramento agendado para a noite, em Braga, após várias ações, desde manhã, no distrito do Porto, incluindo a ‘arruada’ na movimentada e comercial rua de Santa Catarina, por exemplo.

Há perto de um mês, em entrevista à Lusa, Jerónimo de Sousa defendeu a manutenção de “uma campanha de massas, junto das pessoas, onde não se fique pelo ‘slogan’, pela proclamação”, prestes a lançar-se, pela quinta vez desde que é secretário-geral do PCP, numa disputa eleitoral legislativa em quase 15 anos de mandato.

“A política tem de ser direcionada para as pessoas. Tem de se chegar às pessoas. Não pela via do Facebook, embora também o Facebook tenha importância para nós. Mas é profundamente criador e de grande atualidade – não é arcaico – continuar a manter uma linha de contacto direto, esclarecimento, aprendizagem”, disse, preferindo o “contacto direto, ouvindo, aprendendo? transformando quem está a ouvir, de certa forma, num candidato, na defesa e alargamento da CDU”, ou seja e em resumo, uma “campanha ligada ao povo”.

No primeiro dia do período oficial de campanha, domingo (22 setembro), a comitiva vai estar pela Grande Lisboa, com passagens pelo Museu do Aljube, Oeiras e Loures, tal como no dia seguinte, durante a manhã, interrompendo-se o programa à tarde para a preparação do debate televisivo alargado aos diversos líderes políticos.

Terça e quarta-feira, o secretário-geral do PCP dedica-se aos distritos de Leiria, Santarém, Viana do Castelo, Braga e Porto, voltando para sul na quinta e sexta-feira: Setúbal, Beja e Algarve.

No fim de semana, a CDU vai percorrer novamente as estradas e ruas de Setúbal, Lisboa e Santarém, terminando a jornada de propaganda em Évora.

A segunda e derradeira semana de apelo ao voto começa com outra incursão ao centro-norte: Viseu, Aveiro e Coimbra, regressando a caravana a Lisboa e Setúbal na terça e quarta-feira.

Quinta-feira (03 de outubro), penúltimo dia de campanha, Jerónimo de Sousa e apaniguados iniciam os contactos com a população novamente na Grande Lisboa, incluindo a emblemática descida pedestre do turístico Chiado ao central Rossio, e terminam em Leiria, na Marinha Grande, antes de nova e derradeira romagem ao norte: distritos de Porto e Braga, na sexta-feira que antecede o dia de reflexão para a votação de domingo.

A nível nacional, há quatro anos, a CDU foi a quarta força política mais votada, com 8,3% (445.980 votos), sendo que PSD e CDS-PP também concorreram coligados, e alcançou 17 mandatos na Assembleia da República, imediatamente atrás do BE (10,2%).

Desde que Jerónimo de Sousa é o líder dos comunistas (novembro de 2004), a CDU conseguiu sempre ir aumentando o número de deputados no parlamento: 14 em 2005, 15 em 2009, 16 em 2011 e 17 em 2015.

Continuar a ler

Braga

Theatro Circo organiza vigília em homenagem a Gabriela, vítima de violência doméstica em Braga

Gabriela Monteiro foi esfaqueada com “dez golpes”

em

Foto: DR

O Theatro Circo, em Braga, vai encerrar as portas e fazer esta noite uma vigília pela morte da uma funcionária, esfaqueada quarta-feira pelo companheiro, num gesto que pretende ser também “um grito de alerta” contra a violência doméstica.

“Pela Cultura também se educa. Nem uma vítima mais”, explicou à Lusa o diretor artístico da sala de espetáculos do Minho, Paulo Brandão, que adiantou ainda que além de encerrar as portas durante o dia, também a Companhia de Teatro de Braga (CTB) cancelou o espetáculo previsto para hoje.

O palco será às portas do Theatro de Rua naquele que se espera que seja um “momento de reflexão, solidariedade e de alerta” contra um “flagelo que afeta a sociedade e não deve ser escondido”.

Segundo Paulo Brandão, a vítima “era parte da equipa, da família do Theatro Circo, desde 2010” e deixa “na memória dos colegas uma profunda bondade, a simpatia e o sorriso fácil, a prontidão em ajudar em todas as situações, mesmo em momentos de adversidade”.

O responsável salienta que a vítima, Gabriela, “foi vítima de violência doméstica” e que o Theatro Circo, que conta com 17 mulheres na equipa para fazerem do espaço “um lugar de fruição de arte, de cultura, de harmonia, não pode deixar de repudiar profundamente este ato de violência que tirou a vida a uma das melhores pessoas que contribuía diariamente para esta casa”

“Convidamos a cidade a juntar-se a nós, vestindo de branco e trazendo consigo uma flor”, pediu Paulo Brandão.

Paulo Fernandes. Foto: DR

A Gabriela, que tinha 46 anos e deixa dois filhos, foi morta “por uma arma branca”, sendo que o suspeito do crime entregou-se numa esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP), disse à agência Lusa fonte desta força policial.

Paulo Fernandes, de 48, entregou-se “numa esquadra do Comando Distrital de Braga indicando que feriu a sua companheira com uma arma branca”.

“A PSP deslocou-se ao local indicado pelo suspeito, a via pública, e encontrou a vítima. Foram acionados os meios de emergência e o óbito foi declarado no local”, referiu a mesma fonte.

26.ª vítima este ano

Gabriela Monteiro é a vigésima sexta vítima mortal de violência doméstica, este ano, em Portugal. Na lista, de acordo com dados da Procuradoria Geral de República (PGR), constam 20 vítimas do sexo feminino e seis do sexo masculino. 25 adultos e uma criança.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Na região do Minho, esta foi a quarta morte registada em 2019, no âmbito deste crime.

O primeiro caso ocorreu em março, em Salamonde, Vieira do Minho, e vitimou uma mulher de 39 anos, num caso que chocou o país. O agressor, marido da vítima, foi acusado pelo Ministério Público, esta quarta-feira, de homicídio qualificado. Terá esganado a esposa.

Em agosto, há registo de dois casos. Em Gondifelos, Vila Nova de Famalicão, uma mulher foi morta pelo marido, que se suicidou de seguida. Em Pedralva, no concelho de Braga, uma mulher, de 54 anos, morreu após de ter sido alvejada por três tiros de caçadeira. O suspeito é o marido, de 59, pedreiro de profissão.

Fora do país, também foram conhecidos dois casos a envolver cidadãos portugueses. Nos Estados Unidos, uma mulher da região de Sintra foi esfaqueada mortalmente pelo companheiro, em maio. No Luxemburgo, uma mulher brasileira foi morta pelo marido, natural de Lama, Barcelos, também por esfaqueamento.

Em março, outra mulher morreu colhida por um comboio, em Vila Nova de Famalicão, num aparente caso de suicídio, tendo vindo a saber-se que também era vítima de violência doméstica.

 

Notícia atualizada às 15h56 com mais conteúdo.

Continuar a ler

Populares