Seguir o O MINHO

País

Lançada plataforma de sensibilização contra lixo marinho e defesa dos oceanos

em

Foto: DR

Uma plataforma em formato de aplicação para sensibilizar para o combate ao lixo marinho e para a adoção urgente de medidas contra este “grave problema ambiental” foi lançada hoje, anunciou a Universidade de Coimbra.

“Sensibilizar a população para o combate ao lixo marinho, contribuindo para a preservação dos oceanos, e alertar as entidades competentes para a urgência na adoção de medidas que permitam mitigar este grave problema ambiental global” é o principal objetivo da plataforma ‘lixomarinho.app’, “lançada hoje em formato de aplicação” (app), afirma a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), numa nota enviada à agência Lusa.

Este “projeto de ciência cidadã” foi promovido por investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) daquela faculdade, em parceria com a Associação Portuguesa do Lixo Marinho.

Também disponível nas redes sociais facebook e instagram, a plataforma permite “a contagem simples e mapeamento de lixo marinho em praias da costa portuguesa, nomeadamente em eventos de limpeza dos areais”, visando funcionar como observatório nacional de lixo marinho, refere a FCTUC.

Há muitas iniciativas de limpeza de praias em Portugal, mas “é necessário compilar de forma simples e organizada todos os dados que se estão a produzir, para que se possa informar outros atores da sociedade e decisores políticos sobre os níveis de poluição, com o objetivo de sensibilizar e reduzir as emissões de lixo marinho para o ambiente”, isto é, para “promover alterações efetivas nos níveis de poluição na costa”, afirma Filipa Bessa, coordenadora da plataforma.

Qualquer pessoa pode participar, “quer em tempo real na praia ou, mais tarde, através do registo no ‘site’ da plataforma, onde é possível efetuar as contagens das suas recolhas de lixo marinho”, refere ainda investigadora do MARE, clarificando que existem duas tipologias de contagens – uma simples e outra de caráter científico.

A contagem simples, composta por 20 itens – representando os materiais e resíduos que mais se registam nas praias de Portugal –, indicará as tendências dos tipos de lixo ao longo do tempo.

A contagem científica, dirigida a investigadores/técnicos especializados, inclui uma lista mais alargada de tipos de lixo marinho e “poderá ser útil às entidades responsáveis pelas monitorizações nacionais e internacionais deste tipo de poluição”, explicita a FCTUC.

Esta contagem por categorias permite “produzir uma plataforma alargada, de acesso livre de dados, sobre a ocorrência de lixo marinho na costa” portuguesa, destaca Filipa Bessa.

Esses dados “estarão disponíveis para todos os utilizadores registados de forma gratuita (cidadãos, organizações não governamentais, empresas, organizações estatais, nacionais, regionais e internacionais) que queiram colaborar, contribuindo para a redução e mitigação do lixo marinho”, acrescenta, citada pela FCTUC, a investigadora.

É considerado lixo marinho qualquer material sólido, persistente, manufaturado ou processado, que é eliminado, abandonado ou perdido no ambiente marinho e costeiro.

Apesar deste tipo de lixo incluir uma vasta gama de materiais, entre os quais metal, madeira, borracha, plástico, vidro e papel, vários estudos indicam que mais de 80% dos materiais identificados são plásticos de vários tamanhos e formas.

“Devido à sua dificuldade de degradação no ambiente, os plásticos têm sido identificados como um dos maiores problemas ambientais globais dos nossos tempos, resultando do excesso de consumo destes materiais e de algumas falhas na gestão destes resíduos”, afirma Filipa Bessa.

“Sabe-se que, em média, cerca de oito milhões de toneladas de lixo terminam nos oceanos e as tendências indicam um aumento destas projeções”, alerta a coordenadora da plataforma lixo marinho.

Existem registos de lixo marinho, particularmente plásticos de vários tamanhos, em praticamente todos os ambientes do planeta (rios, lagos, oceanos, praias, solos, gelo e até no ar), “com vários impactos adversos para a fauna e flora, bem como em termos sociais e económicos para o Homem”, conclui.

Anúncio

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: DR / Arquivo

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta terça-feira, 07 de abril: 4, 5, 14, 33 e 48 (números) e 7 e 12 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 45 milhões de euros.

Continuar a ler

País

BCE empresta quase 20 mil milhões de euros a 99 bancos a 77 dias

Banco Central Europeu

em

Foto: DR / Arquivo

O Banco Central Europeu (BCE) emprestou hoje a 99 bancos da zona euro 19.507 milhões de euros a 77 dias, na quarta das suas operações de refinanciamento adicional.

Segundo a agência Efe, a procura de liquidez baixou em relação à semana passada, quando 107 bancos pediram 43.713 milhões de euros a 84 dias, e na semana anterior tinham pedido 79.673 milhões de euros a 91 dias.

O BCE levará a cabo, semanalmente, até finais de junho, operações adicionais de financiamento a prazo mais longo, de forma temporária, para proporcionar um apoio de liquidez imediato ao sistema financeiro da zona euro.

Estas operações efetuar-se-ão mediante um procedimento de leião a taxa de juro fixa com adjudicação plena, com uma taxa de juro igual à taxa média aplicável à facilidade de depósito, que está atualmente nos -0,50%.

O juro do empréstimo calcula-se e paga-se na data de vencimento, pelo que poderão ser de -0,50% se o BCE não baixar a facilidade de depósito.

Todas estas operações adicionais de liquidez em condições favoráveis vencem em 24 de junho, quando o BCE levar a cabo uma operação de liquidez a muito longo prazo da sua terceira série.

Continuar a ler

País

Detidas 33 pessoas desde a renovação do estado de emergência

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A PSP e a GNR detiveram até hoje 33 pessoas pelo crime de desobediência desde 03 de abril, totalizando 141 as detenções feitas desde o início do estado de emergência, indicou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI).

Em comunicado, o MAI refere que, entre as 00:00 de 03 de abril e as 17:00 de hoje, foram detidas 33 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

O MAI avança também que, durante o mesmo período, foram encerrados 177 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas no estado de emergência.

Em relação ao último balanço feito às 18:00 de segunda-feira pelo MAI, nas últimas 24 horas foram detidas mais 11 pessoas e encerrados mais 32 estabelecimentos.

Estes dados são referentes ao segundo período do estado de emergência, que foi renovado na sexta-feira e termina a 17 de abril.

O MAI sublinha que estes números hoje divulgados juntam-se aos verificados no primeiro período de estado de emergência, que vigorou entre os dias 22 de março e 02 de abril, nos quais se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.

No âmbito do estado de emergência, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm vindo “a desenvolver uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população”.

No comunicado, o MAI insiste ainda “no cumprimento rigoroso” das medidas impostas pelo estado de emergência, “perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da covid-19″.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil.

Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados.

Continuar a ler

Populares