Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Julgamento do caso da morte de Dylan da Silva no curso de Comandos começa a 27 de setembro

em

Dylan da Silva. Foto: DR

O Tribunal Central Criminal de Lisboa marcou para 27 de setembro o início do julgamento dos 19 militares acusados no processo do 127.º curso de Comandos, no qual morreu o recruta Dylan da Silva, de Ponte de Lima, e o colega Hugo Abreu.

Segundo um despacho judicial deste tribunal, a que a agência Lusa teve acesso, a primeira sessão está agendada para as 10:00, com continuação às 14:00, no Juiz 2, no Campus da Justiça. Caso haja adiamento, o tribunal marcou o início do julgamento para a sessão de 01 de outubro, às 10:00.

O tribunal designou ainda as seguintes datas para continuação do julgamento, sempre com início às 10:00 e continuação às 14:00, exceto o dia 24 de outubro: 04, 10, 11, 15, 17, 18, 24 (14:00), 25 e 31 de outubro, 07, 08, 14, 15, 21, 22, 28, 29 de novembro, e 05, 12 e 19 de dezembro.

As sessões de 27 de setembro, 01 e 04 de outubro vão ser “para identificação dos arguidos e eventuais declarações destes”, refere o despacho judicial.

Dylan da Silva e Hugo Abreu, ambos com 20 anos à data dos factos, morreram enquanto vários outros instruendos sofreram lesões graves e tiveram de ser internados, na sequência de uma prova do 127.º curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, distrito de Setúbal, a 04 de setembro de 2016.

Em junho do ano passado, o Ministério Público (MP) acusou 19 militares no processo relativo à morte de dois recrutas dos Comandos e internamento de outros, considerando que os arguidos atuaram com “manifesto desprezo pelas consequências gravosas que provocaram nos ofendidos”.

Da lista dos 19 acusados de abuso de autoridade e de ofensa à integridade física, no processo desencadeado pela morte dos recrutas Hugo Abreu e Dylan Silva e pelo internamento de outros, constam oito oficiais do Exército, oito sargentos e três praças, todos do Regimento de Comandos.

“Os princípios e valores pelos quais se regem os arguidos revelam desrespeito pela vida, dignidade e liberdade da pessoa humana, tratando os ofendidos como pessoas descartáveis”, indica a acusação assinada pela procuradora Cândida Vilar.

A acusação refere que, ao sujeitarem os ofendidos a essa “penosidade física e psicológica” durante a recruta efetuada em setembro de 2016, todos os arguidos sabiam que “excediam os limites” permitidos pela Constituição e pelo Estatuto dos Militares da Forças Armadas e “colocaram em risco a vida e a saúde dos ofendidos, o que aconteceu logo no primeiro dia de formação.

Alguns dos arguidos requereram a abertura de instrução – fase facultativa que visa decidir por um juiz se o processo segue para julgamento -, mas a juíza de instrução criminal, Isabel Sesifredo, decidiu levar a julgamento (proferiu despacho de pronúncia) todos os arguidos nos exatos termos da acusação do Ministério Público (MP).

“Nesta fase processual, os indícios são muito fortes para não pronunciar os arguidos (não levar a julgamento). Por isso pronuncio-os”, disse a juíza de instrução criminal Isabel Sesifredo, durante a leitura da decisão instrutória, que decorreu a 09 de março deste ano, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

Em causa estão crimes de abuso de autoridade e ofensa à integridade física. Ao todo, os 19 militares e arguidos vão ser julgados por 489 destes crimes.

Anúncio

Ponte de Lima

Colisão em Ponte de Lima faz um ferido grave e três encarcerados

EN 203

em

Foto: O MINHO

Uma colisão rodoviária entre duas viaturas, ao final da manhã deste domingo, provocou quatro feridos, um dos quais em estado grave, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

As viaturas colidiram no troço da Estrada Nacional 203 que atravessa a freguesia de Correlhã, no concelho de Ponte de Lima, com o alerta a ser dado cerca das 11:00 horas.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários e a SIV de Ponte de Lima e a VMER de Viana do Castelo, no total de 19 operacionais e oito viaturas.

As vítimas foram transportadas pelos bombeiros limianos para o Hospital de Viana do Castelo.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Carnaval sai à rua em Ponte de Lima no dia 21

Cortejo das escolas

em

Foto: DR / Arquivo

Os Agrupamentos de Escolas de Ponte de Lima, com o apoio do Municipio de Ponte de Lima estão a preparar mais uma edição do tradicional Cortejo de Carnaval.

“Animação, ritmo e boa disposição não vão faltar”, garante a autarquia, num trajeto que privilegia a passagem pelo centro histórico da vila.

A saída está prevista para as 10:00 junto ao Jardim de Infância de Ponte de Lima, seguindo pela rua Dr. Luís Gonzaga; Avenida António Feijó; Praça da República; Largo de Camões; Passeio 25 de Abril; Largo Dr. António de Magalhães; rua General Norton de Matos; rua Dr. Ferreira Carmo, regressando ao Jardim de Infância de Ponte de Lima.

À semelhança dos anos anteriores, prevê-se a participação de dezenas de crianças mascaradas, ao gosto, ou em grupos, onde todos interpretaram as mais diversas personagens, vivendo a magia do Carnaval.

Continuar a ler

Alto Minho

Quatro feridos em colisão em Ponte de Lima

Na rotunda dos Corvos, em Anais

em

Foto: V. Carlos / Via Ocorrências no Norte (Facebook)

Uma colisão rodoviária entre duas viaturas ligeiras, na rotunda dos Corvos, em Anais, concelho de Ponte de Lima, provocou, esta segunda-feira à noite, quatro feridos, “todos ligeiros”, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Segundo a fonte, as vítimas, cujas idades ainda não foi possível apurar, foram transportadas para o Hospital de Braga.

Foto: V. Carlos / via Ocorrências no Norte (Facebook)

Para o local foram mobilizados 12 operacionais, depois do alerta ter sido recebido, cerca das 21:31.

A GNR de Freixo tomou conta da ocorrência.

(em atualização) 

Continuar a ler

Populares