Seguir o O MINHO

Ave

Juiz de Famalicão condenado por mentir em tribunal

em

Um juiz do Tribunal de Comércio de Famalicão foi esta terça-feira condenado, pelo Tribunal da Relação de Guimarães, a pagar oito mil euros, calculados com base em 400 dias de multa, a 20 euros, por dia, pelo crime de falsidade de testemunho.

Em causa estão as declarações que aquele juiz prestou, na qualidade de testemunha, num julgamento no Tribunal de Braga, em setembro de 2013.

O julgamento em causa estava relacionado com o testamento deixado pelo pai da ex-mulher do juiz, outorgado em 2010.

Um irmão da ex-mulher do juiz não concordou com o testamento e pôs o caso em tribunal, alegando falta de capacidade e de sanidade mental por parte do pai.

Uma versão que acabou por vingar em tribunal, levando à anulação de parte do testamento e prejudicando a ex-mulher do juiz em mais de 700 mil euros.

O Tribunal de Guimarães veio agora provar que o culpado mentiu, nomeadamente quando afirmou que o sogro, quando efetuou o testamento, não estava na posse das necessárias faculdades mentais, com o intuito de prejudicar a ex-mulher, vingando-se assim da separação.

 

O juiz fica ainda obrigado a pagar uma indemnização de cinco mil euros à ex-mulher, por danos não patrimoniais.

O advogado de defesa já disse que irá recorrer da sentença, considerando que o acordão do tribunal se encontra “cheio de contradições”.

Anúncio

Guimarães

Capela da Senhora da Conceição é um património simbólico para Guimarães

Em Azurém

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Este domingo, 08 de dezembro, assinalaram-se as celebrações religiosas em honra de Nossa Senhora da Conceição com uma razão extra para celebrar, depois de concluída a primeira fase das obras de restauro da Capela Senhora da Conceição, em Azurém, com apoio da Câmara de Guimarães, num valor a rondar os 400 mil euros.

Domingos Bragança, edil, visitou o monumento classificado e assinalou a “valorização patrimonial” da Capela Senhora da Conceição, sendo um imóvel classificado de interesse público do século XVI que “encontrava-se num estado muito mau de conservação cuja recuperação poderia ser irreversível se não fosse efetuada esta intervenção, perante o estado de degradação em que se encontrava”.

Nesta primeira fase da obra registaram-se intervenções de montra no restauro dos telhados, paredes, a torre sineira e sacristia, num processo que demorou dois anos. Segundo padre Queirós de Carvalho, “houve uma intervenção de fundo e delicada ao nível de paredes e telhados, com a recuperação total do edifício do sacristão, com ligação à capelinha” destacando as intervenções no teto da nave, soalhos e sacristia.

O pároco registou a colaboração da autarquia na atribuição do subsídio. Para completar a recuperação total é necessário ainda a intervenção do azulejo, nos altares laterais, na tribuna e ainda a recuperação do orgão do século XVII.

Definido como património vimaranense, a recuperação da Capela Nossa Senhora da Conceição merece especial atenção da câmara. Domingos Bragança considera “fundamental” a continuidade da recuperação do património, e nesse sentido já foi concretizada uma candidatura ao programa comunitário Norte 2020 para assegurar o investimento em falta.

“Concretizou-se uma parte importante da obra, mas nem tudo está feito e esperamos uma decisão sobre a candidatura submetida ao programa Norte 2020 para dar seguimento à segunda fase das obras”, vincou.

Continuar a ler

Guimarães

Empresa de Guimarães investe 4 milhões e abre novo pólo com duas linhas de produção

Retalho de mobiliário e têxteis para o lar

em

É a 13 de dezembro que nasce, com duas linhas de produção, a nova fábrica do grupo JOM, marca vimaranense dedicada a retalho de mobiliário e artigos para o lar

O novo espaço, que representa um investimento de cerca de quatro milhões de euros, ocupa mais de 8.500 metros quadrados, em Selho, Guimarães, onde foi, outrora, a sede de um grupo têxtil que, entretanto, se mudou para Vila do Conde [Têxteis Cães de Pedra].

Nas duas linhas que vão trabalhar em simultâneo, o “parque de máquinas” é moderno, e os colaboradores (sobretudo designers), estão preparados para inovar e criar artigos exclusivos.

A inauguração irá contar com a presença de João Neves [secretário de Estado da Economia], Jorge Ortiga [Arcebispo de Braga] e Domingo Bragança [presidente da Câmara de Guimarães].

Com faturação de mais de 40 milhões, em 2018, o grupo de Joaquim Oliveira Mendes conta já com 22 lojas em todo o país, depois da abertura, em novembro, de uma “super-loja” na zona industrial do Porto, em investimento de 4.5 milhões.

O grupo JOM fabrica e comercializa produtos para o lar, como móveis, sofás, colchões, eletrodomésticos, artigos de iluminação, decoração e têxteis.

Continuar a ler

Guimarães

Vereador de Guimarães candidato à distrital do PS

Ricardo Costa

em

Foto: Divulgação

Ricardo Costa, de 44 anos, assumiu a candidatura às próximas eleições para a Federação Distrital de Braga do Partido Socialista (PS), atualmente lideradas pelo deputado à Assembleia da República, Joaquim Barreto.

O anúncio foi revelado pelo Jornal de Notícias, que aponta uma “modernização” do partido como mote de candidatura do político vimaranense.

“Assumo a disponibilidade para me candidatar, posicionando o PS novamente como um partido moderno que seja capaz de criar valor para todos os cidadãos”, referiu Ricardo Costa, citado pelo jornal.

Um dos nomes que já manifestou apoio ao futuro candidato é o líder da concelhia de Amares, Afonso Pimenta, que defende “uma renovação a nível federativo” dos socialistas de Braga. O movimento terá apoio de todas as 14 concelhias do distrito.

Desde 2014 que a distrital é liderada por Joaquim Barreto, antigo presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto, que ainda não revelou se será, novamente, candidato.

As eleições devem decorrer entre março e abril de 2020.

Continuar a ler

Populares