Jovem nega violação de septuagenária em Esposende

Refugiado sudanês

Um jovem refugiado sudanês negou, esta quarta-feira, ter violado uma septuagenária, em Esposende, dizendo que a molestou sexualmente, mas sem penetração. Já a vítima confirmou que foi alvo de uma violação completa quando o indivíduo a surpreendeu pelas costas, no momento em que trabalhava na horta da moradia, numa tarde do verão de 2021.

Falando no início do seu julgamento, que decorreu no Palácio da Justiça de Braga, Amat L., de 23 anos, solteiro, desempregado, confessou no essencial todos os factos da acusação do Ministério Público, excetuando a penetração infligida na vítima, de 73 anos.

Agora em prisão preventiva, na Cadeia Regional de Braga, Amat L. vivia no Lar Dom Pedro, em Fão, Esposende, e responde pelo crime de violação agravada, já que a 11 de julho de 2021, deslocou-se à freguesia vizinha de Fonte Boa, no mesmo concelho onde gozava proteção internacional, para atacar sexualmente a septuagenária, particularmente indefesa em razão da avançada idade, motivo pelo qual é acusado por violação agravada.

Segundo a reconstituição que fez, com a Polícia Judiciária de Braga, o refugiado sudanês, ao deparar-se com uma mulher de 73 anos, agarrou-a, atirando-o ao chão, rindo-se face à aflição da septuagenária, desferiu-lhe um novo empurrão, mandando-a “estar caladinha”.

Como a vítima tentasse reagir, gritando por socorro, nesse instante, o indivíduo tapou-lhe a boca com bastante força, ferindo-a, ao mesmo tempo que a violava, durante cerca de 15 minutos, até se aperceber da vinda de outra mulher.

Vestiu-se e colocou-se em fuga, mas no julgamento, na tarde desta quarta-feira, disse que afinal não terá havido penetração na septuagenária, que por sua vez reiterou ter sido mesmo violada pelo refugiado sudanês.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Monção: 80 alunos e quatro professores participam nas Olimpíadas de Educação Financeira

Próximo Artigo

Viana cria centro logístico para reunir donativos para a Ucrânia

Artigos Relacionados
x