Seguir o O MINHO

Famalicão

Jovem morre na A3

em

Um jovem morreu hoje de manhã na sequência de uma colisão entre duas viaturas na autoestrada A3, em Cruz, Vila Nova de Famalicão, sentido sul-norte, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

Segundo a mesma fonte, o alerta do acidente foi dado às 08:24, sendo a vítima um jovem de cerca de 20 anos.

O trânsito encontra-se “condicionado no local”, disse.

No local estão as duas corporações de bombeiros de Famalicão, com quatro veículos, e elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), designadamente uma VMER do Médio Ave e uma viatura de suporte imediato de vida.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Famalicão apoia crianças e jovens em risco de aprendizagem com 98% de taxa de sucesso

Programa Acompanhar.

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O ‘Programa Acompanhar’, desenvolvido pela Câmara de Vila Nova de Famalicão para apoiar crianças e jovens em risco de aprendizagem, registou uma taxa de sucesso educativo de 98% no período 2017/2018, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal de Famalicão explica que aquele programa abrangeu 673 alunos, entre os seis e os 21 anos, de todos os estabelecimentos do concelho, sendo que dos 673 alunos envolvidos, 88 apresentavam pelo menos duas retenções e que 309 estavam em situação de risco, incluindo o risco de abandono escolar.

O projeto pretende “potenciar e apoiar os estabelecimentos de ensino na implementação de projetos de boas práticas na área do acompanhamento e inclusão inteligente de alunos em especial situação de risco ou que não estão integrados em qualquer tipo de resposta socioeducativa complementar” e ainda “criar processos potenciadores da melhoria do rendimento escolar e processo de inclusão social dos alunos com o recurso a soluções complementares de educação não formal e capacitação ao nível da inteligência emocional”.

Segundo o vereador da Educação, Leonel Rocha, citado no documento, “este não é um programa apenas para jovens em risco, visto que boa parte dos participantes são jovens com resultados académicos muito positivos e que procuram no programa respostas ao nível da capacitação, programas de voluntariado e envolvimento social”.

A metodologia do ‘Programa Acompanhar’, refere a autarquia, “assenta no princípio da Investigação-Relação-Ação, numa resposta socioeducativa, tendo por base a Tutoria de Pares e a Mentoria”.

O Programa Acompanhar trabalha em estreita colaboração com o Projeto Eurobairro e o Programa CLDS 3G Famalicão.

Continuar a ler

Famalicão

Empresário de Famalicão, esposa e pai detidos pela PJ por associação criminosa

Sérgio Pimenta é o líder do esquema que levou a PJ a fazer cinco detenções por associação criminosa e fraude fiscal, avança a RTP.

em

Foto: DR

Sérgio Pimenta, de Vila Nova de Famalicão, é o líder do esquema que esta terça-feira levou a Polícia Judiciária a fazer cinco detenções por associação criminosa e fraude fiscal. A informação é avançada pela RTP, que diz que o empresário, a esposa e o pai fazem parte do grupo de pessoas detidas.

“São, no total, dez arguidos, entre os quais os cinco detidos. Os outros dois arguidos são os “testas de ferro”. Os restantes arguidos são duas pessoas da Câmara de Santo Tirso, e outros três “testas de ferro””, avança a televisão pública.

Cinco empresários foram detidos na Operação Dennis da PJ que desarticulou uma “associação criminosa” por crimes de fraude fiscal, branqueamento, recebimento indevido de vantagem e participação económica em negócio, entre outros, no Norte do país.

“No decurso de 35 buscas, realizadas nos concelhos de Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Guimarães, Maia, Braga e Vila do Conde, foram detidos cinco indivíduos, todos empresários, quatro do sexo masculino e um do sexo feminino, e com idades compreendidas entre os 38 e os 73 anos, fortemente indiciados pelos referidos crimes”, revela a PJ/Norte em comunicado.

Segundo adianta também hoje uma nota divulgada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), durante a operação, dirigida pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), coadjuvada pela Polícia Judiciária, e em articulação com a Autoridade Tributária/Direção de Finanças do Porto, foram realizadas 35 buscas nos concelhos de Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Guimarães, Maia, Braga e Vila do Conde.

Em causa estão crimes de associação criminosa, fraude na obtenção de subsídio, fraude fiscal qualificada, branqueamento, recebimento indevido de vantagem e participação económica em negócio.

Segundo os investigadores, a associação criminosa criou e geriu um conjunto de sociedades comerciais, com o recurso a “testas de ferro”, visando ocultar os verdadeiros administradores e despistar eventuais fiscalizações por parte das entidades competentes.

Tal conduta teve como finalidade a emissão de faturação fictícia entre essas sociedades comerciais, no intuito de aumentar de forma substancial o valor do IVA a receber do Estado.

O esquema montado permitia – de acordo com a investigação – “evidenciar um volume de negócios que não correspondia ao real, mas principalmente permitiu que outras sociedades, dominadas pela associação criminosa, apresentassem candidaturas a fundos comunitários, no âmbito do programa de apoio comunitário “Portugal 2020”, candidaturas essas num valor total de cerca de 35 milhões de euros e valor aprovado superior a 20 milhões de euros, tendo a associação criminosa recebido já das entidades competentes subsídios no valor de cerca de 2,7 milhões de euros.

Relativamente ao IVA e IRC, com o circuito fechado de faturação fictícia, este grupo de sociedades terá obtido um crédito fiscal de cerca de 1,9 milhões de euros.

Os empresários detidos – cinco homens e uma mulher – têm entre os 38 e os 73 anos e foram conduzidos ao Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.

Durante a operação policial, foram apreendidas vários automóveis, equipamentos informáticos e telemóveis, além de variada documentação de natureza contabilística e fiscal.

A operação Dennis envolveu cerca de 100 elementos, incluindo magistrados judiciais e do Ministério Público, investigadores da Diretoria do Norte e do Departamento de Investigação Criminal de Braga da Polícia Judiciária e Inspetores Tributários da Direção de Finanças do Porto da Autoridade Tributária.

A Polícia Judiciária esteve hoje na Câmara de Santo Tirso a fazer buscas numa operação que fez já cinco detidos e tornou arguidos o vice-presidente da autarquia e uma chefe de divisão, disse à agência Lusa fonte da polícia.

Na origem das buscas naquela autarquia do distrito do Porto “está a aquisição de uma viatura elétrica pela câmara, em que foi interveniente”, segundo a fonte, “o vice-presidente Alberto Costa e ainda a chefe de divisão Maria Cacilda de Sousa, tendo ambos sido constituídos arguidos”.

Em comunicado, a Câmara de Santo Tirso confirmou ter sido hoje alvo de “diligências inspetivas por parte da Polícia Judiciária”, num processo relacionado com a aquisição de uma viatura elétrica para os serviços urbanos do município.

Continuar a ler

Famalicão

Mulher de 26 anos detida por tráfico de droga em Famalicão

Outros dois homens foram constituídos arguidos.

em

Brufe. Foto: Divulgação / Arquivo

Uma mulher de 26 anos foi detida, e dois homens, de 35 e 55, foram constituídos arguidos, por tráfico de estupefacientes, em Brufe, no concelho de Vila Nova de Famalicão, anunciou hoje fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Após uma busca domiciliária, levada a cabo pelo Núcleo de Investigação Criminal de Barcelos, foram apreendidas 27 doses de heroína, uma balança de precisão usada para pesagem da droga e 430 euros em numerária.

A operação deu-se no âmbito de uma investigação iniciada em outubro passado.

A detida foi presente a Tribunal, tendo-lhe sido aplicado termo de identidade e residência como medida de coação.

Continuar a ler

Populares