Jovem de Fafe condenado por homicídio que não cometeu pede 500 mil euros ao Estado

Armindo Castro foi condenado a uma pena de 20 anos e cumpriu dois e meio
Armindo Castro. Foto: CMTV

Um estudante de Fafe, de 31 anos, esteve preso durante dois anos e meio por um crime que não cometeu. Agora pede ao Estado um indemnização de meio milhão de euros alegando “danos psicológicos gravíssimos”.

Armindo Castro foi condenado em 2012 a 20 anos de prisão pelo homicídio da tia, Odete Castro, em Joane, Famalicão.

No entanto, dois anos depois, um homem viria assumir ter sido ele o autor do crime. Armindo foi absolvido em Janeiro do ano passado mas as coisas não voltariam a ser as mesmas.

Sem um simples pedido de desculpas por parte do Estado, o jovem fafense decidiu avançar com um pedido de indemnização “para reparar este erro crasso” da justiça portuguesa.

O pedido já entrou, através do advogado, no Tribunal de Guimarães.

Recorde-se que o homicídio foi cometido por um casal de vizinhos, Artur Gomes e Júlia Lobo, já condenados a penas de 20 e 18 anos de prisão.

Durante a investigação inicial, Armindo Castro confessou o crime e fez até uma reconstituição do homicídio mas viria a confessar que o fez pressionado e ameaçado e temendo que a mãe pudesse ser presa.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Famalicão está há 13 anos a dar palco ao teatro amador

Próximo Artigo

Material furtado na Alemanha recuperado em Guimarães

Artigos Relacionados
x