Seguir o O MINHO

Braga

Jovem da Póvoa de Lanhoso que morreu carbonizado na A11 sepultado um mês depois

Cerca de um mês depois do acidente

em

Foto: DR

O corpo de Vítor Emanuel Silva Carvalho, de 21 anos, já foi libertado pelo Instituto de Medicina Legal depois de realização da autópsia, e será sepultado na Póvoa de Lanhoso no próximo sábado, apurou O MINHO junto de fonte próxima da família.

Filho de Carlos Ramalho de Carvalho e Maria Manuela Vaz da Silva – residentes em Taíde -, Vítor perdeu a vida na sequência de um aparatoso despiste ocorrido no dia 17 de agosto – há um mês -, cerca das 13:20 horas, entre os concelhos de Barcelos e Esposende, depois do carro cair de uma ponte e incendiar-se junto a um campo de milho.

Quando o socorro chegou ao local, a viatura já estava toda tomada pelas chamas e o corpo carbonizado.

No passado dia 30 de agosto, a pedido da família, foi realizada uma missa de homenagem ao jovem, muito devido ao atraso nas perícias do IML, algo que é procedimento normal quando se tratam de vítimas carbonizadas.

Recorde-se que o carro onde Vítor seguia despistou-se e “voou” cerca de 100 metros, depois de passar entre uma placa da autoestrada e um suporte em betão, onde ficou parte do carro.

No terreno, decorreram buscas para apurar se haveria mais vítimas, o que não se verificou.

Para o local foram mobilizados bombeiros de Barcelinhos, Barcelos, Fão, a VMER de Braga, bem como a GNR, num total de 32 operacionais apoiados por 12 viaturas.

O funeral realiza-se depois da eucaristia marcada para as 11:00 horas de sábado, em Taíde, Póvoa de Lanhoso.

A agência funerária apela a que sejam “evitados os ajuntamentos, cumprido o distanciamento social, evitadas quaisquer saudações físicas e utilizada a máscara” durante as cerimónias.

Notícia atualizada às 00h37 com correção da data do funeral.

Populares