Seguir o O MINHO

Desporto

José Moreira e Carla Salomé Rocha vencem Meia Maratona de Braga

em

Foto (arquivo): DR

José Moreira e Carla Salomé Rocha foram os vencedores da 2.ª edição da Meia Maratona de Braga, realizada este domingo, 12 de fevereiro, numa prova em que foram batidos os dois recordes de tempo de 2016.

José Moreira, do Sporting, cortou a meta aos 67m49s, seguindo-se Rui Pedro Silva, também do Sporting, com 68m32s e o queniano Nicodemus Biwott, com 68m44s, a fechar o pódio masculino.

Carla Salomé Rocha foi a atleta feminina mais rápida a concluir a prova com 75m01s, seguida por Doroteia Peixoto, da equipa Amigos da Montanha, com 77m58s, e Elisabete Lopes, do N A Taipas, com 80m11s, em 2.º e 3.º lugar respetivamente.

De acordo com comunicado da organização, a cargo da runporto.com, a prova contou com a participação de muitos bracarenses, “que decidiram sair à rua e desafiar a chuva que se fez sentir durante toda a manhã”, mas ainda não são conhecidos números.

Em 2016, na primeira edição, participaram mais de 4 mil atletas.

 

Anúncio

Futebol

Tavinho renova por uma época com o Vizela

II Liga

em

Foto: Divulgação

O Vizela, clube que foi promovido à II Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje a renovação de contrato com o avançado Tavinho, que assinou um novo vínculo por mais uma temporada.

O extremo português, de 26 anos, que os vizelenses tinham recrutado, no início desta época, ao Farense, participou em sete jogos e apontou quatro golos na presente temporada, e mostrou-se “entusiasmado” por acompanhar a equipa no regresso aos campeonatos profissionais

“É uma emoção voltar à II Liga e mais especial ainda por ser com a camisola do Vizela. A nível individual, as minhas expectativas passam por poder fazer o maior número de jogos possível e ajudar os meus colegas. Coletivamente, queremos estabilizar o clube nesta Liga”, disse o jogador, em declarações ao site do clube

Além desta renovação com Tavinho, o emblema vizelense já tinha anunciado a continuidade do avançado Kiko Bondoso, do defesa João Pedro e a contratação de Richard Ofori, lateral esquerdo ex-Fafe.

O Vizela, a par do Arouca, foi indicado pela Federação Portuguesa de Futebol para a subida à II Liga Portuguesa de Futebol, depois do Campeonato Portugal, no qual militava, ter sido interrompido, devido à pandemia de covid-19.

À data da suspensão da prova, o Vizela liderava a Série A, com 60 pontos (mais oito do que o segundo classificado Fafe), enquanto o Arouca estava em primeiro lugar na Série B, com 58 pontos (mais oito do que o Lusitânia de Lourosa).

Continuar a ler

Futebol

Adepto do Benfica acusado de fomentar ataque contra claque do Vitória

Ministério Público

em

Foto: DR / Arquivo

O Ministério Público acusou de resistência e coação a funcionário um adepto do Benfica que terá fomentado confrontos entre claques antes de um jogo de futebol em Guimarães, acabando os elementos policiais por serem “violentamente” empurrados.

Segundo nota hoje publicada na página da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, os factos remontam a 17 de janeiro de 2017, no contexto da realização, em Guimarães, do jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, a contar para a 16.ª jornada da I Liga, da época 2016/17, que os ‘encarnados’ venceram por 2-0.

“O arguido deslocava-se apeado e integrado num grupo com cerca de 200 adeptos denominados ‘No Name Boys’, pertencentes a um grupo designado por ‘Casuals’, onde exerce funções de liderança”, refere a nota.

Naquelas circunstâncias, e “pretendendo confrontar fisicamente” adeptos da claque White Angels, do Vitória de Guimarães, o arguido “desobedeceu às instruções policiais e incentivou os membros do grupo que integrava a que forçassem a barreira policial, o que veio efetivamente a suceder”.

Alguns dos elementos do grupo, “movidos pelas palavras do arguido”, empurraram “violentamente” os elementos policiais.

Continuar a ler

Futebol

Gil Vicente sem casos de covid-19 (à terceira ronda de testes)

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Os jogadores, equipa técnica e outros funcionários do Gil Vicente voltaram a dar todos negativo na terceira bateria de testes à covid-19, realizada na terça-feira, anunciou hoje o nono classificado da I Liga de futebol.

“O Gil Vicente FC informa que os testes de rastreio à covid-19 realizados ontem ao plantel e ‘staff’ deram todos negativos. Esta foi a terceira ronda de testes, sempre com todos os mesmos resultados”, lê-se numa nota publicada nas redes sociais dos minhotos.

Após duas baterias de testes negativos ao novo coronavírus, intercaladas com outras tantas semanas de trabalho individualizado em três relvados do concelho de Barcelos, o plantel gilista avançou para treinos coletivos em 18 de maio, três dias antes de a Direção-Geral da Saúde ter aprovado o Estádio Cidade de Barcelos para a retoma da I Liga.

Alojado no primeiro patamar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, o recinto dos ‘galos’ teve de reforçar a sinalização das medidas de segurança e vedar a passagem para uma sala próxima da zona técnica a pedido das autoridades regionais de saúde, de forma a poder receber os jogos de Gil Vicente e Famalicão na condição de visitado.

Numa temporada marcada pelo regresso ao principal escalão, após uma reintegração administrativa a partir do Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’, a formação de Vítor Oliveira ocupa a nona posição, com os mesmos 30 pontos de Moreirense e Santa Clara, 14 acima da zona de descida.

A I Liga vai ser reatada, sob fortes restrições e sem público nos estádios, em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, disputadas até 26 de julho.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.342 pessoas das 31.007 confirmadas como infetadas, e há 18.096 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Populares