Seguir o O MINHO

Braga

José Manuel Lopes Cordeiro, da UMinho é o comissário da exposição sobre os 200 anos da Revolução Liberal no Porto

Mostra é inaugurada, esta quinta-feira, na Casa do Infante

em

Foto: O MINHO

A exposição “1820. Revolução Liberal do Porto”, comissariada por José Manuel Lopes Cordeiro, professor de História da Universidade do Minho, é inaugurada esta quinta-feira na Casa do Infante, no Porto, e vai ficar patente até setembro. A iniciativa assinala os 200 anos da Revolução Liberal, num programa do Município do Porto que inclui meia centena de eventos, como um congresso internacional, colóquios, livros, concertos, visitas e cinema.

A mostra documental – adiantou, esta quarta-feira, a UMinho – arranca com os principais antecedentes da revolta: a ida da corte para o Brasil em 1807; a invasão napoleónica do Porto e o desastre da Ponte das Barcas em 1809; a criação pelo príncipe regente D. João do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves em 1815; a conspiração de 1817 e a execução do general Gomes Freire de Andrade, que acicatou a revolta contra a presença inglesa e do marechal Beresford; e a constituição da associação secreta Sinédrio, no Porto, para organizar a revolução.

Gravura da obra “Iconografia Histórica Portuense”

A exposição destaca, em especial, fontes portuenses daqueles 40 dias que abalaram a História de Portugal e do Brasil há dois séculos. Para Lopes Cordeiro, “a peça principal é a ata da Câmara Municipal de 24 de agosto de 1820, cujo texto se encontra inteiramente coberto com tinta preta, uma iniciativa dos partidários de D. Miguel após a reviravolta absolutista”.

“O pronunciamento militar fez-se às cinco da manhã no Campo de Santo Ovídio (hoje Praça da República) e às oito horas estava toda a gente na Câmara, onde se aprovou a constituição da Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, que inaugurava um novo regime”, explica. O professor do Instituto de Ciências Sociais da UMinho e investigador do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais (CICS) ficou algo surpreendido ao constatar que o documento estava historicamente quase esquecido, apesar de então transcrito na imprensa local, divulgado em panfletos e republicado em jornais de Lisboa quando a capital aderiu ao movimento.

Vitória do liberalismo

A vitória definitiva do liberalismo foi em 1834, com a derrota miguelista na guerra civil, após o fracassado cerco do Porto, mas José Manuel Lopes Cordeiro focou a exposição até 04 de julho de 1821, quando o rei desembarcou em Lisboa. “Estavam cumpridos os principais objetivos: o rei e a corte regressaram ao país, a influência inglesa nos meios militares tinha terminado e já havia um documento provisório da Constituição”, observa.

O historiador lança em abril um livro que aborda desenvolvidamente todo o processo desta primeira tentativa de implantação do liberalismo em Portugal. Este livro supera largamente a função de catálogo da exposição, que vai ficar patente até 06 de setembro e conta com visitas guiadas, tendo entrada livre de terça-feira a domingo, das 10:00 às 17:30, e encerrando à segunda-feira e aos feriados.

Braga

Dona de pastelaria em Braga desespera com confinamento: “Vender pão não chega”

A proprietária da pastelaria Quinta do Carmo, em Merelim S. Paio, concelho de Braga, lançou um vídeo, no início desta semana, nas redes sociais onde manifesta desespero com o novo confinamento, dizendo que “para vender pão, mais vale a pena fechar”. Deixa ainda críticas às filas de voto no Altice Forum, do passado domingo. Imagens: Redes sociais

A proprietária da pastelaria Quinta do Carmo, em Merelim S. Paio, concelho de Braga, lançou um vídeo, no início desta semana, nas redes sociais onde manifesta desespero com o novo confinamento, dizendo que “para vender pão, mais vale a pena fechar”. Deixa ainda críticas às filas de voto no Altice Forum, do passado domingo. Imagens: Redes sociais

Continuar a ler

Braga

Juiz manda prender ‘Jojó’, assaltante que tem ‘semeado’ pânico em Braga

Crime

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO / Arquivo

É conhecido por ‘Jojó’ e andava a ‘semear’ pânico em Braga através de assaltos a carros, moradias e estabelecimentos comerciais. O périplo do assaltante durava há várias semanas mas a eficácia de agentes da PSP de Braga pôs um fim ao ‘divertimento’ do larápio.

Durante esta madrugada, cerca das 02:35, o suspeito de 37 anos foi apanhado na freguesia de Nogueira quando assaltava o café Sereia do Minho, na Rua Cruzeiro Garcia Pires. Os agentes interceptaram ‘Jojó’ em flagrante com várias bebidas espirituosas furtadas do mesmo estabelecimento, que tinha as portas arrombadas.

“Aquando da abordagem, o detido tinha na sua posse garrafas de bebidas espirituosas, que havia furtado do interior do estabelecimento comercial, situado na Rua Cruzeiro Garcia Pires, nesta cidade de Braga”, avançou hoje o comando distrital da PSP em Braga.

Apanhado com bebidas espirituosas roubadas em estabelecimento de Braga

 

Hoje, presente ao juiz do Tribunal de Braga, foi-lhe decretada a medida de coação mais gravosa – prisão preventiva -, ficando agora a aguardar julgamento num estabelecimento prisional.

‘Jojó’ estava já referenciado pelas autoridades por vários delitos do género. Ao que apurámos, o agora detido preventivamente foi várias vezes apanhado a tentar assaltar viaturas na freguesia de Nogueira, sendo surpreendido pelos proprietários.

Muitos deles não apresentaram queixa, mas outros sim, existindo várias acusações que o apontam como sendo culpado dos furtos.

Continuar a ler

Braga

Amares promove recolha de bens para os mais desfavorecidos

Ação social

Foto: Divulgação / CM Amares

Os Serviços de Ação Social do Município de Amares estão a levar a cabo uma campanha de doação de bens para famílias mais desfavorecidas, “depois de identificadas algumas necessidades por parte de alguns agregados familiares”, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, aquela autarquia lança o “repto” a todos para que “partilhem aquilo que não lhes faz falta em casa e, particularmente, aos empresários que podem contribuir com material de construção, entre outros”.

O texto salienta que “mobiliário, roupa de cama, utensílios, eletrodomésticos e materiais de construção são alguns dos bens que se podem doar e que podem fazer a diferença na vida de algumas famílias” do concelho.

A ação está a ser feita em articulação com os parceiros da rede social do concelho.

Continuar a ler

Populares