Redes Sociais

Braga

José Manuel Fernandes disponível para concorrer às próximas eleições europeias

 a

Foto: DR/Arquivo

O presidente da Distrital de Braga do PSD, o eurodeputado José Manuel Fernandes, manifestou-se esta quinta-feira “disponível” para se recandidatar a deputado ao Parlamento Europeu nas próximas eleições europeias, mas ressalvou que a elaboração das listas compete à Comissão Política Nacional e ao seu líder, Rui Rio.

“Seria hipócrita se dissesse que não, porque gosto do trabalho que estou a fazer e sinto que, ainda sou útil ao país e ao distrito”, afirmou.

Falando na apresentação da sua recandidatura ao cargo de presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Braga revelou, ainda, que o partido quer vencer, no distrito, além das europeias, as legislativas e as autárquicas, contribuindo, assim, para a vitória de Rui Rio a nível nacional. Uma vitória que repetiria o que sucedeu nas três eleições anteriores, sublinhou.

Fernandes – que se candidata sob o lema Manter a União, reforçar o PSD – deu uma conferência de imprensa, nas instalações da Distrital do PSD, na Rua Santa Margarida, em Braga, e na qual, estiveram presentes, o mandatário da candidatura Ricardo Rio e o candidato à Mesa da Assembleia Distrital, o autarca de Famalicão, Paulo Cunha. Na sala estavam, ainda, outros dirigentes partidários e os autarcas Benjamim Pereira, (Esposende), António Cardoso (Vieira do Minho) e Isidro Araújo (Amares).

Na ocasião, José Manuel Fernandes disse que a Comissão Política, a eleger a 30 de junho, começa logo a preparar as próximas eleições, em sintonia com os órgãos nacionais. Criticou o governo do PS, a quem acusou de ter “várias caras”, isto porque “apresenta uma ao Bloco, outra ao PCP, outra aos portugueses e outra, ainda, na Europa”.

“É um governo que apenas faz gestão corrente e não acrescenta valor ao país”, criticou, defendendo que está a prejudicar os mais pobres, com impostos, degradação dos serviços públicos e da saúde, nomeadamente nos hospitais, e na educação. Tudo – reforçou – com menos investimento públicodo que o que havia no tempo da Troika”.

Sobre as eleições m unicipais adiantou que o PSD quer manter as nove câmaras que conquistou e vai bater-se por ganhar as outras cinco. “Se hoje há mais emprego e melhor emprego no distrito isso deve-se, em grande parte à ação dos nossos autarcas”, declarou.

Cidadãos valorizados

No mesmo sentido, Paulo Cunha disse que os cidadãos dos concelhos social-democratas sentem que “ficam valorizados com a gestão do partido”, e apontou o caso de concelhos como o de Braga, onde a eleição de Ricardo Rio em 2013, resultou na melhoria da qualidade de vida dos seus habitantes. E lembrou que, na linha do que vem sendo feito e é defendido por Rui Rio, o PSD tem de continuar a abrir à sociedade civil.

Já Ricardo Rio, presidente da Câmara de Braga elogiou o trabalho “notável” de Fernandes, quer na distrital quer na Europa, classificando-o com “o melhor eurodeputado português da atualidade”.

Lembrou que tem entre mãos a negociação de dossiers importantes para o país como o do próximo Orçamento da União Europeia.

O autarca bracarense defendeu que o PSD tem de continuar a guiar-se com três linhas mestras: responsabilização, qualificação da ação política e abertura e mobilização da sociedade.

Com José Manuel Fernandes, recandidatam-se todos os atuais líderes dos órgãos distritais de Braga, nomeadamente Paulo Cunha (Mesa da Assembleia Distrital), Cláudio Domingues Carvalho (Conselho de Jurisdição) e António Gomes da Silva (Auditoria Financeira). Como vice-presidentes permanecem João Granja e André Coelho Lima, enquanto que o Tesoureiro continua a ser Jorge Adélio Pereira Costa e o Secretário será Vítor Manuel Moreira.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Bebé de 20 meses fratura perna ao ficar “preso” em elevador em Braga

Em São José de São Lázaro.

Publicado

 a

Foto: O MINHO / Arquivo

Um bebé de 20 meses fraturou a perna esquerda, ao ficar “preso” num elevador do edifício onde reside, na Urbanização do Fujacal, em São José de São Lázaro, Braga.

A ocorrência foi ao princípio da noite e o bebé, do género masculino, teve fratura exposta, quando se encontrava com a mãe e algo funcionou mal no sistema do elevador do edifício, na Rua Rosalía de Castro.

Os moradores conseguiram libertar a criança até à chegada dos Bombeiros Sapadores de Braga, Bombeiros Voluntários de Braga e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do INEM de Braga, tendo o bebé sido transportado para o Hospital de Braga, onde se encontra livre de perigo.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Vila Verde

Autarca de Vila Verde considerado inocente dos crimes de prevaricação e desobediência

Tribunal não vislumbrou a prática de nenhum dos crimes.

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, foi inocentado pelo Tribunal da Relação de Guimarães já que este confirmou, no passado dia 05 de novembro, o despacho anterior do Tribunal de Instrução de Braga que o ilibara dos crimes de prevaricação e desobediência, não o pronunciando para julgamento.

O Ministério Público havia acusado, em 2017, o autarca, do PSD, por este ter ordenado, em 2016, aos fiscais da Câmara para não multarem os automobilistas que já tinham sido alvo de um aviso de incumprimento da concessionária do estacionamento à superfície, a Sociparque. Os automobilistas estavam a apanhar com duas multas, uma do Município e outra da concessionária, por não pagamento do parcómetro, o que – entendeu o Presidente – “era insólito e absurdo”. O Ministério Público considerou que a medida prejudicava os cofres do Município, em mais de um milhão de euros, e acusou-o, ainda, de desobediência a uma ordem judicial.

Agora, a Relação não vislumbrou a prática de nenhum dos crimes, considerando que atuou “sem dolo”.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Projeto de Braga distinguido nos “Prémios Municípios do Ano”

Na Categoria Norte – mais de 20 mil habitantes.

Publicado

 a

Foto: Sérgio Freitas/CM Braga

O projeto “Inteligência Urbana na Mobilidade Escola – School Bus”, de Braga, ganhou esta sexta-feira a distinção nos Prémios Municípios do Ano – Portugal 2018 na Categoria Norte – mais de 20 mil habitantes, que decorreu ao início da noite em Guimarães, no Paço dos Duques.

Os projetos de Ponte de Lima e Viana do Castelo, que estavam nomeados, não foram galardoados na iniciativa promovida pela Universidade do Minho que visa “reconhecer boas práticas” autárquicas com impacto social, económico, cultural ou ambiental.

O Prémio Município do Ano 2018, o principal galardão do evento, foi entregue a Arouca pelo projeto “Arouca – Geoparque Mundial da UNESCO”.

Em declarações à Lusa, à margem da cerimónia de entrega dos Prémios Municípios do Ano – Portugal 2018, o responsável pela plataforma UM-Cidades, que coordena o concurso, Paulo Pereira, salientou que houve “um crescimento e melhoria” dos projetos apresentados, sendo que o de Arouca se distinguiu pela “multidisciplinaridade”.

“Este é um projeto que abrange a temática da valorização do território, na sequência da intervenção dos passadiços [sobre o rio Paiva], que já foi objeto de concurso anterior. O projeto procura valorizar o concelho de Arouca em temáticas como lazer, território, mas com uma forte preocupação ambiental”, descreveu Paulo Pereira.

Além do Prémio Município do Ano e do galardão que Braga venceu, foram entregues mais oito distinções: a Montalegre pelo projeto “Sexta-feira 13 Noite das Bruxas (categoria Norte – menos de 20 mil habitantes), a Arouca pelo “Geoparque Mundial da UNESCO” (Categoria Área Metropolitana do Porto), a Idanha-a-Nova pelo “Recomeçar Idanha” (Categoria Centro – menos 20 mil habitantes), à Mealhada pelo “CATRAPIM – Festival de Artes para Crianças (Centro – mais de 20 mil habitantes).

O projeto School Bus

Após a fase-piloto realizada no ano passado no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, o projeto foi implementado de forma permanente no início deste ano lectivo, contribuindo para o alívio do fluxo de trânsito junto de seis escolas do centro de Braga: EB 2,3 Francisco Sanches, EB 2,3 André Soares, Colégio D. Diogo de Sousa, Colégio Leonardo Da Vinci, Colégio Teresiano e Conservatório de Música Calouste Gulbenkian.

A ligação a estes estabelecimentos de ensino é feita a partir das quatro principais entradas de Braga, com interfaces na Av. Robert Smith, em Maximinos, na Variante do Fojo e junto ao Estádio Municipal.

Em um mês de funcionamento, o projecto registou a adesão de 397 crianças que são transportadas diariamente por este serviço até ao seu estabelecimento escolar. Do ponto de vista ambiental, estima-se que o projecto tenha retirado cerca de 200 veículos da sua zona de implementação, representando uma poupança diária de 14 quilómetros por carro em viagens e uma diminuição de 1.83 Kg de CO2 por carro/dia. A expectativa do município é que o número de crianças a utilizar este serviço possa chegar em breve aos 450 alunos, número inicialmente previsto para este primeiro ano de implementação.

Municípios do Ano

Esta foi a quinta edição dos Prémios Município do Ano e contou com 56 candidaturas, estando nomeados projetos de 35 municípios para as nove categorias e para o grande prémio final.

O concurso “visa reconhecer as boas práticas de projetos implementados pelos municípios com impacto no território, na economia e na sociedade, promovendo o crescimento, a inclusão e a sustentabilidade”.

Aquele galardão quer também “colocar na agenda a temática da territorialização do desenvolvimento, perspetivada a partir da ação das autarquias, bem como valorizar realidades diversas que incluam as cidades e os territórios de baixa densidade nas diferentes regiões do país”.

A iniciativa foi ganha em 2014 pelo município de Lisboa (projeto “Há Vida na Mouraria”), em 2015 por Vila do Bispo (projeto “Festival de Observação de Aves & Atividades de Natureza”), em 2016 pelo Fundão (projeto “Academias de Código”) e em 2017 por Guimarães (projeto “Pay-as-You-Throw no Centro Histórico de Guimarães”).

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares