Seguir o O MINHO

Alto Minho

José Luís Presa, de Caminha, reeleito presidente da Associação de Escolas Profissionais

Ensino profissional

em

Foto: Divulgação / ANESPO

José Luís Presa, presidente da escola profissional ETAP de Caminha, voltou a tomar posse na passada sexta-feira como presidente da direção da Associação Nacional de Escolas Profissionais (ANESPO), cargo que já desempenhava antes de novas eleições realizadas no passado mês de março.

A tomada de posse dos órgãos sociais decorreu no Instituto de Educação Técnica, em Lisboa, contando apenas, por razões sanitárias, com a presença dos empossados e do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Para o lugar de primeiro vice-presidente mantém-se Amadeu Dinis, da Escola Profissional CIOR, sediada em Famalicão.

José Luis Presa agradeceu a presença do Ministro da Educação, apelidando-a como “um sinal de consideração pelas escolas e pela ANESPO”.

Foto: Divulgação / ANESPO 

Realçou o reforço de verbas e implementação de sistemas de garantia de qualidade, “aspetos da governação de grande significado para as escolas profissionais”. Destacou ainda a “introdução das medidas relacionadas com a autonomia e flexibilidade que, embora fazendo parte do ADN das Escolas Profissionais, contribuíram para aprofundar as reflexões sobre as problemáticas e para melhorar os projetos educativos das escolas”.

Referiu-se à necessidade de resolução dos problemas resultantes da crise pandémica que implicam dar particular atenção à necessidade de transmissão de saberes e aquisição de competências que não foi possível proporcionar no tempo próprio.

Na mesma linha, José Luís Presa, considerou importante a retoma das aulas presenciais, mas apelou a que não se perdesse de vista os avanços conseguidos com a utilização de recursos digitais.

Foto: Divulgação / ANESPO 

Lembrou a necessidade de melhorar as instalações e os equipamentos das escolas, dando tradução às prioridades definidas no Programa de Recuperação e Resiliência.

Por último manifestou a disponibilidade da ANESPO para continuar a colaborar com o Ministério da Educação em tudo o que tivesse a ver com as políticas de educação quer dirigidas a jovens quer a adultos.

Já Tiago Brandão Rodrigues sublinhou as raízes minhotas de ambos e o “excelente relacionamento que tem existido”, mostrando apreço pelo trabalho desenvolvido pela ANESPO.

O Ministro da Educação disse que em muitos momentos, nos contactos com os Colegas de governo e com outras individualidades, tem sublinhado o “magnífico desempenho das escolas profissionais” e agradeceu o espírito sempre construtivo da ANESPO e a sua colaboração no desenho das políticas de educação e formação e na adoção de muitas medidas com impacto na governação.

Foto: Divulgação / ANESPO

Pôs em destaque, também, o papel das escolas profissionais ao longo dos 32 anos que levam de experiência e sua dedicação na preparação dos jovens para o mundo do trabalho e para o prosseguimento de estudos. Em face da obtenção dos bons resultados alcançados no país nos últimos anos, em matéria de combate ao insucesso e à redução do abandono escolar, referiu que estava convencido de que muitos desses avanços se devem ao trabalho desenvolvido pelas escolas profissionais.

O Ministro da Educação terminou a intervenção sublinhando o papel “muito ativo da ANESPO e do seu presidente na preparação de vários documentos estruturantes”, como o PRR.

Populares