Jornal inglês apresenta o Minho como “o canto de Portugal que o vai convencer a emigrar”

O tradicional jornal inglês “The Telegraph” publicou um artigo na secção de viagens a eleger o Minho como “o canto de Portugal que o vai convencer a emigrar”.

“Quando eu crescer, vou morar numa mansão medieval. Suas grossas paredes de granito serão caiadas de branco, nitidamente cobertas com telhas de terracota, janelas de madeira escura abertas para pegar a brisa fresca. E à medida que a tarde se torna vespertina, deito-me no seu terraço colunado onde, à sombra de trepadeiras, um copo do meu próprio vinho branco resfriado na mão, inalarei aromas de flor de laranjeira e eucalipto, escuto os pântanos que sobrevoam e observo um sol pêssego que se dissolve no Atlântico.

É um devaneio, claro. Mas enquanto percorria uma trilha arborizada de borda de floresta ao lado de uma mansão no norte de Portugal, ocorreu-me que (sussurrando) isto poderia ser alcançável. Não na Inglaterra, naturalmente; eu sou um escritor, não um banqueiro de investimentos. Mas no Minho – a região mais antiga, mais verde, mais saborosa e mais setentrional do país, imprensada entre a fronteira espanhola e o rio Douro – não está totalmente além dos reinos da possibilidade”, diz o jornalista Paul Bloomfield, que assina o artigo.

Jornalista falou sobre o Gerês. Foto: DR

O escritor também destaca a hospedagem feita em “mansões que datam de mais de cinco séculos” e que não estão em estado de decomposição, e que muitas foram elegantemente renovadas para receber hóspedes. O que analisa como uma boa ideia para um inglês investir.

“Esta é uma faceta do apelo de Portugal aos caminhantes britânicos carentes de impostos, além de ótimos trechos e ótimos restaurantes a preços baixos”.

O artigo conta mais da história da região, destaca lugares como Gerês, Braga, Viana do Castelo ou Ponte de Lima.

“Eu diria que existem mais motivos para visitar Ponte de Lima do que comer arroz com sangue de porco. O renomado escritor local Conde d’Aurora afirmou: “Os arredores de Ponte de Lima são impossíveis de descrever … como escolher os mais belos? Todos eles são, cada um mais do que o outro”. Hipérbole, talvez, mas a vila mais antiga de Portugal, fundada em 1125, é certamente cativante”, continua.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Milhares de fiéis sobem monte de Santa Luzia para cumprir promessa centenária

Próximo Artigo

Ação nacional de limpeza de praias contempla Esposende

Artigos Relacionados
x