Seguir o O MINHO

Futebol

Jorge Jesus, ex-SC Braga, pode ser o primeiro português a conquistar a Taça Libertadores

Taça Libertadores da América

em

Jorge Jesus, treinador do Flamengo. Foto: CBF / Divulgação

Jorge Jesus, o mestre da tática, pode conquistar no sábado, aos 65 anos, pelo Flamengo, o mais importante troféu da carreira, uma Taça Libertadores que não consta do palmarés de qualquer treinador português de futebol.

A cumprir a 31.ª época da sua carreira de técnico, iniciada há 30 anos, na temporada 1989/90, ao serviço do Amora, Jesus precisa de bater os argentinos do River Plate, os detentores do título, para fazer história no ‘gigante’ brasileiro.

Em pouco mais de quatro meses, Jesus já conquistou o ‘coração’ dos adeptos do Fla, mais do que pelos triunfos, pela forma como a equipa os consegue, pelo atraente futebol que pratica e tem sido traduzido em resultados, com dois troféus à mão de semear.

O treinador português pode dar ao Flamengo a Champions da América do Sul, que seria apenas a segunda do clube, depois do sucesso de 1981, num conjunto comandado em campo pela categoria de Zico e que tinha o ex-benfiquista Mozer como central.

O fim de semana pode, aliás, trazer dois títulos para o palmarés do Fla, que se sagrará campeão brasileiro pela sexta vez, e primeira desde 2009, caso o Palmeiras não vença no domingo na receção ao Grêmio. Sê-lo ia com quatro jornadas por disputar.

O Brasileirão é, porém, um dado adquirido, uma questão de tempo, enquanto a Libertadores decide-se no sábado, num só jogo, em Lima, e será o grande título de Jesus, que, na Europa, esteve em duas finais, mas não conseguir ganhar nenhuma.

O técnico luso conduziu os encarnados a duas finais consecutivas da Liga Europa, mas perdeu a primeira (2012/13) para o Chelsea (2-1), culpa de um golo nos descontos, e a segunda para o Sevilha (2013/14), no desempate por penáltis (4-2).

No seu currículo internacional, consta apenas uma Taça Intertoto, que arrebatou pelo Sporting de Braga porque os minhotos foram a equipa das 11 vencedoras da terceira ronda da prova que chegou mais longe (oitavos de final) na Taça UEFA.

Em relação ao panorama nacional, Jorge Jesus, que cumpriu em solo luso as primeiras 29 temporadas da carreira, encheu o saco de troféus com a sua passagem pelo Benfica, que representou de 2009/10 a 2014/15, arrebatado 10 títulos, mais do que qualquer outro técnico na história do clube da Luz.

Depois de passagens pelo Amora, que subiu à Liga de Honra (atual II Liga) em 1991/92, Felgueiras, com promoção ao primeiro escalão em 1994/95, União da Madeira, Estrela da Amadora, Vitória de Setúbal, Vitória SC, Moreirense, União de Leiria, Belenenses e SC Braga, Jesus aterrou na Luz com 55 anos e prometeu de imediato colocar a equipa jogar o dobro.

O Benfica foi logo campeão em 2009/10 e, após seis anos, o saldo foi de 10 títulos: três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga, faltando-lhe a consagração europeia, que esteve muito perto de conseguir.

Com enorme polémica, mudou-se então para o outro lado da Segunda Circular, para o Sporting, que esteve muito perto de levar ao título em 2015/16, ao somar 86 pontos, insuficientes, porém, face aos 88 do Benfica, do seu sucessor Rui Vitória.

Jorge Jesus falhou nessa época e, nas duas seguintes, não esteve sequer perto de repetir a façanha, mas, nos três anos, recheou o palmarés com dois títulos, a Supertaça (2016), logo na estreia, face ao Benfica, e mais uma Taça da Liga (2017/18).

Depois do ciclone que significou a invasão da Academia do Sporting, partiu, contrariado, mesmo com muitos euros envolvidos, para o estrangeiro e só não terá conquistado, pelo Al-Hilal, o título de campeão da Arábia Saudita porque saiu antes do final da época. Acabou por ganhar o Al-Nassr, de Rui Vitória.

A experiência foi curta e a pausa na carreira também, porque rapidamente apareceu o Flamengo, ao serviço do qual está muito perto de conquistar dois títulos, depois de 23 vitórias, oito empates e apenas duas derrotas, em 33 jogos (71-27 em golos).

Anúncio

Futebol

Famalicão procura reforçar terceiro lugar, SC Braga ‘ataca’ quarto

13.ª jornada da I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O Famalicão vai procurar reforçar hoje o terceiro lugar na I Liga de futebol, na receção ao Tondela, 10.º classificado, em jogo da 13.ª jornada da prova.

A equipa minhota ocupa o terceiro lugar com 24 pontos, a sete do FC Porto, segundo, e com mais quatro do que o terceiro, o Sporting, e recebe um Tondela instalado a meio da tabela, com 15.

Um pouco mais abaixo, o Sporting Clube (SC) de Braga vai tentar somar a terceira vitória consecutiva para o campeonato e, deste modo, chegar ao quarto lugar da prova, ocupado pelo Sporting, que no domingo recebe o Moreirense.

A equipa ‘arsenalista’ ocupa presentemente o quinto lugar com 18 pontos, menos dois do que os ‘leões’, e desloca-se a casa do Desportivo das Aves, último classificado com apenas três pontos e que na jornada passada estreou Nuno Manta Santos no comando técnico, na derrota (3-2) em casa do Moreirense.

No outro encontro agendado para hoje, o Marítimo, que na jornada passada estreou o treinador José Gomes – derrota por 4-0 na Luz com o Benfica -, recebe o Santa Clara, numa partida em que os ‘verde rubros’ precisam de somar pontos para fugir aos lugares de baixo da tabela, ocupando neste momento o 16.º lugar com 11, frente a uma formação açoriana que conta mais dois pontos e é 13.º.

A ronda arrancou na sexta-feira com a goleada do campeão Benfica no terreno do Boavista, por 4-1, com golos de Carlos Vinicius, que ‘bisou’ e ultrapassou o companheiro de equipa Pizzi na lista de melhores marcadores do campeonato (10), Franco Cervi e Gabriel, enquanto Stojiljkovic assinou o tento ‘axadrezado’.

Os ‘encarnados’ somaram a 10.ª vitória na edição 2019/20 da I Liga – e Bruno Lage a 15.ª vitória em 15 jogos como visitante no campeonato, desde janeiro – e seguraram a liderança, com 36 pontos, mais cinco do que o FC Porto, que visita o Belenenses SAD, no domingo.

Resultados e programa da 13.ª jornada:

– Sexta-feira, 06 dez:

Boavista – Benfica, 1-4.

– Sábado, 07 dez:

Marítimo – Santa Clara, 15:00

Famalicão – Tondela, 18:00

Desportivo das Aves – Sporting de Braga, 20:30

– Domingo, 08 dez:

Vitória de Guimarães – Portimonense, 15:00

Paços de Ferreira – Vitória de Setúbal, 15:00

Sporting – Moreirense, 17:30

Belenenses – FC Porto, 20:00

– Segunda-feira, 09 dez:

Rio Ave – Gil Vicente, 20:15

Continuar a ler

Futebol

Benfica segura liderança da I Liga com goleada no terreno do Boavista

À 13.ª jornada

em

Foto: Twitter

O Benfica venceu hoje no terreno do Boavista, por 4-1, em jogo da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, e aumentou provisoriamente para cinco pontos a vantagem sobre o FC Porto, segundo classificado.

No Estádio do Bessa, no Porto, Carlos Vinicius deu vantagem aos ‘encarnados’, aos 34 minutos, o sérvio Stojiljkovic empatou para os ‘axadrezados’, aos 44, o argentino Franco Cervi voltou a adiantar os campeões nacionais, aos 52, a passe do avançado brasileiro, que chegaria aos 10 golos na competição, aos 62. O médio Gabriel fixou a goleada, aos 90+2.

Com este triunfo, o 10.º seguido, o Benfica segurou o primeiro lugar, com 36 pontos, mais cinco do que o FC Porto, que visita o Belenenses, no domingo, enquanto o Boavista permanece no quinto posto, com os mesmos 18 pontos do Sporting de Braga, que visita o Desportivo das Aves, no sábado.

Continuar a ler

Futebol

Nuno Manta Santos acredita que pode causar desconforto ao SC Braga

Antevisão da 13.ª jornada

em

Foto: Twitter

O treinador Nuno Manta Santos desejou, esta sexta-feira, que o lanterna-vermelha Desportivo das Aves mostre atrevimento na receção ao Sporting Clube (SC) de Braga, no sábado, em jogo da 13.ª jornada da I Liga de futebol.

“O Braga tem muitas soluções ofensivas, ataca bem a profundidade e é a equipa com mais cruzamentos efetuados no campeonato. Com a nossa humildade e agressividade ofensiva vamos tentar evitar que esteja confortável. Podemos não atacar muitas vezes, mas temos de visar a baliza contrária no momento certo”, observou o técnico, em conferência de imprensa.

Com onze derrotas em doze rondas, que perfazem o pior arranque na I Liga desde 1990/91, o clube do concelho de Santo Tirso vai enfrentar um conjunto minhoto em retoma na prova, panorama que leva Nuno Manta Santos a antecipar ainda mais dificuldades.

“Gostava de apanhar o Braga depois de uma competição europeia. Nesses ciclos há sobrecarga de jogos e os jogadores têm dificuldades em estarem mentalmente disponíveis para um novo desafio. Mas com este intervalo desde o último jogo [na segunda-feira, em que venceu o Rio Ave por 2-1] dá para recuperar muito melhor”, observou.

Para contrariar o “favoritismo” arsenalista, o treinador recomendou que os avenses acreditem “no processo desenvolvido dia após dia” e eliminem “alguns erros individuais e coletivos” cometidos no desaire em Moreira de Cónegos, na jornada anterior (3-2).

“Há que dar mérito ao adversário pela forma como provoca o nosso erro, mas temos de estar muito mais vivos. O objetivo é defender cada vez melhor e construir situações de finalização, porque a aleatoriedade do jogo pode dar origem a um golo”, vaticinou.

Apesar da desvantagem de oito pontos para a ‘linha de água’, após o primeiro terço do campeonato, Nuno Manta Santos acredita que o Desportivo das Aves “tem muito mais a ganhar do que a perder neste momento”, direcionando a “crença” do grupo para a conquista de metade dos 66 pontos ainda em disputa.

Nas cinco receções aos bracarenses para o campeonato, os avenses venceram os dois duelos inaugurais e perderam os últimos três, sem terem concretizado qualquer golo.

O Desportivo das Aves, 18.º e último colocado, com três pontos, recebe o Sporting de Braga, na sexta posição, com 18, no sábado, em jogo com início às 20:30.

Continuar a ler

Populares