Seguir o O MINHO

Desporto

Jogos do Eixo Atlântico juntam mais de 1800 jovens da euroregião em Braga

Idade máxima dos atletas participantes é de 16 anos

em

Foto: DR

Braga recebe até 12 de Julho, a XIII edição dos Jogos do Eixo Atlântico, sucedendo a Lugo, Monforte de Lemos e Sarria, que foram sede na última edição. Esta é a primeira vez que a Cidade acolhe esta competição.

A cerimónia oficial de abertura da XIII edição dos Jogos do Eixo Atlântico que terá hoje, pelas 16:45, na Praça do Município, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, Sameiro Araújo, vereadora do Desporto e Juventude, Alfredo García Rodríguez, presidente do Eixo Atlântico, e de Xoán Mao, secretário-geral.

Antes da Cerimónia de Abertura terá lugar um desfile de todas as comitivas que irão percorrer várias ruas da Cidade. O desfile inicia-se na Avenida Central, pelas 16:30, em direcção à Praça do Município.

Nesta edição participarão mais de 1800 jovens, de 14 concelhos do norte de Portugal e 12 da região da Galiza, inscritos nas seguintes modalidades desportivas: Andebol, Basquetebol, Futebol 7, Voleibol, Atletismo, Atletismo Adaptado. Natação, Natação Adaptada e Ténis. A idade máxima dos atletas participantes é de 16 anos.

Ricardo Rio, presidente de Braga, referiu que esta competição é uma ferramenta que permite estreitar os laços entre as comunidades do eixo. “A população mais jovem é crucial para o futuro do eixo. Esta iniciativa, pela mobilização e capacidade de pôr em contacto milhares de jovens da euro região, permite a criação de raízes que serão úteis para o futuro do território” disse, desejando que todos os envolvidos usufruam de uma experiência agradável na Cidade.

Por seu turno, Sameiro Araújo, vereadora do desporto, sublinhou que Braga é uma cidade aberta à prática desportiva e à organização de grandes eventos. “Este evento, e outros que têm tido lugar na Cidade, vêm dar seguimento ao trabalho desenvolvido em 2018, que deixou um legado para todos Bracarenses”, referiu, adiantando que estes jogos vão permitir aos jovens experienciar momentos de convívio e camaradagem que marcarão o seu percurso.

Como é habitual nos Jogos do Eixo Atlântico, esta edição também integra várias modalidades de desporto adaptado, com a participação de mais de 130 atletas, em consonância com a filosofia do Eixo Atlântico de eliminar barreiras e fomentar a participação de todos os jovens

As competições terão lugar nos seguintes locais: futebol no Parque Desportivo da Rodovia e Campo das Camélias; basquetebol masculino no Pavilhão André Soares e no Pavilhão Municipal de Lamaçães; basquetebol feminino no Pavilhão de Ferreiros e Pavilhão Francisco Sanches; Andebol no Pavilhão Flávio Sá Leite; Voleibol no Pavilhão de Maximinos; Natação e Natação Adaptada nas Piscinas da Rodovia; Atletismo e Atletismo Adaptado no Estádio 1º de Maio e Ténis no Clube de Ténis de Braga.

Anúncio

Desporto

600 participantes de dez países na maratona “extrema” de Sistelo

Em Arcos de Valdevez

em

Foto: Divulgação / Nelson Costa

No passado domingo, dia 20 de outubro, realizou-se a 2.ª edição da Sistelo Extreme Marathon, um projeto da Carlos Sá Nature Events®, em parceria com o Município de Arcos de Valdevez e Junta de Freguesia de Sistelo, que levou até a aldeia de Sistelo cerca de 600 participantes oriundos de 10 países.

Praticamente todos os percursos decorreram dentro do Munícipio de Arcos de Valdevez, um dos 5 que integra a área do único Parque Nacional do país – Peneda- Gerês -, classificado como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO em 2009.

Na prova rainha, a Eco Marathon 42Km, foi Germano Figueira quem levou a melhor, com 3h30m12s. Daniel Costa do Clube de Atletismo de Fafe, com 3h40m05s, ficou em segundo ligar e Bruno Maia fechou a tríade do pódio masculino desta distância, com um tempo de 3h41m10s. Nas mulheres, Juliana Onuma da Viana Running, conquistou o lugar mais alto do pódio com 4h34m07s, a 11 minutos da Maria Lopes, que conquistou o segundo lugar dos femininos em 4h45m53s. A atleta da Relative Team, Karolina Janosikova chegou em terceiro lugar com 4h45m56s.

Já na Eco Race 32Km foi Rúben Veloso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez quem arrebatou o primeiro lugar, em 2h25m34s. Gonçalo Cruz, individual, com um tempo de 2h41m04s classificou-se em 2º lugar e Fernando Carvalho da Nós Acreditamos, com 2h50m03s ocupou o último lugar do pódio. Gabriela Pereira foi a primeira das mulheres a cortar a linha de chegada com 3h24m14s, seguida da segunda classificada, a atleta da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez, Paula Costa, que terminou o percurso em 3h29m49s. Fechou a tríade do pódio a atleta Maria Marinho, do Viana Running com 3h41m10s.

Na Eco Half Marathon 21km, Duvernet Pierre foi o primeiro, com um tempo de 1h34m38s, com uma vantagem de apenas alguns segundos em relação ao segundo classificado, o Eusébio Fernandes do Clube de Atletismo de Fafe que terminou em 01h35m11s. Filipe Sousa foi o terceiro a atravessar a meta, com um tempo de 1h36m55s. A atleta do Viana Running Cristina Iglesias foi a primeira mulher a cortar a meta, conquistando assim o mais alto lugar no pódio feminino, com um tempo de 1h53m33s. A atleta Helena Sousa também do Viana Running classificou-se em segundo lugar com 1h54m04s e, aproximadamente um minuto depois, chegou Joana Fernandes do Kuafit que fechou o pódio das mulheres.

Por fim, na Eco Race 13km o pódio masculino foi composto por Pedro Pontes da Seri Trail Team com 1h06m30s, José Miranda com 1h06m32s e Rafael Morais com 1h07m19s. No setor feminino foram as atletas Cristiana Ferreira com 1h23m10s, Diana Costa com 1h29m11s e Nathalie Afonso da Academia Desportiva de Arcos de Valdevez com 1h29m46s, que ocuparam os lugares mais altos do pódio.

O evento contou ainda com uma caminhada solidária de 7km cujos fundos reverteram para os Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, honrando desta forma o trabalho excepcional desta grande instituição.

Continuar a ler

Futebol

Famalicão com a maior taxa de ocupação em jogos em casa na Liga

Reportagem

em

Foto: DR

O Famalicão é a surpresa da I Liga de futebol, ao conseguir manter-se na liderança isolada da prova ao fim de sete jornadas, e a euforia domina o dia-a-dia do clube e da cidade.

A equipa sensação tem tido dias de sonho e, na verdade, os motivos são muitos. O crescimento do clube tem sido sentido de diversas formas e cada conquista serve para enaltecer e acrescentar algo mais a esse crescimento.

O número de associados do Famalicão é um desse exemplos que ilustra na perfeição essa mesma situação. Há quatro anos existiam cerca de 1.500, mas, no ano passado, antes do arranque da época que culminou com o regresso à I Liga, 25 anos depois, este número ultrapassava os 7.000.

Nesta temporada, antes do início do campeonato, os números já tinham ascendido aos 8.500, mas agora, com a liderança, o clube conta já com 9.500 sócios, ou seja, quase o dobro da lotação do estádio, que é de 5.200 lugares.

Além disso, os jogos em casa dos minhotos são os que maior taxa de ocupação têm no campeonato esta época. A SAD esgotou a venda de lugares anuais, que andam à volta das mil cadeiras.

Este crescimento nas vendas sente-se também nos artigos de ‘merchandising’. Os adeptos esgotaram os artigos disponíveis no estabelecimento aberto no início da época no centro da cidade, em duas semanas. Em números redondos, o Famalicão já vendeu cerca de 1.500 camisolas, o triplo em relação ao ano anterior.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, assume-se com um “adepto ferrenho” do clube e reconhece que as vitórias e o destaque do emblema contribuem para aumentar o “reconhecimento da cidade no país e no mundo”.

O autarca, que confessou a vontade de poder estar na bancada dos adeptos, de cachecol ao pescoço, revelou ainda que “no início do ano, o Estádio Municipal de Famalicão vai entrar em obras”.

As obras de remodelação vão ser uma realidade e, segundo o autarca, aconteceriam “mesmo que o clube estivesse ainda na II Liga”.

“O processo está em curso e acreditamos que podemos começar a obra em janeiro. Queremos que as famílias de Famalicão possam ir ao futebol como se vai ao teatro ou ao cinema, usufruindo de ótimas condições de conforto. Mas a intervenção é indiferente ao percurso desportivo. Já projetámos esta intervenção há mais de dois anos e isso estaria a acontecer caso o Famalicão estivesse em primeiro, em último ou estivesse na II Liga”, reforçou.

Na rua, o entusiasmo também se sente sem grande dificuldade. Na quarta-feira, dia de feira no centro de Famalicão, por entre barracas, roupas para venda e muitos pregões, o nome do clube é dito à ‘boca cheia’ e com um orgulho enorme.

António e Cristiano, feirantes de profissão, têm uma verdadeira história de amor com o clube da terra. E, como em todas as histórias de amor, são feitas loucuras para se poder acompanhar o clube. António tem uma caricata e que envolve a irmã.

“Há umas semanas, no jogo com o Guimarães, tinha de estar no aeroporto para ir buscar a minha irmã às 23:00 e só cheguei lá à uma da manhã… ela não se importou, só disse para eu ir com calma”, lembrou António.

Já Crisitiano não conseguiu esconder o entusiasmo em relação ao percurso do clube que ama desde pequeno.

“Acompanho o Famalicão desde sempre… Não ando nisto só porque agora o Famalicão ganha. Já apanhei muita chuva, frio, calor… e o Famalicão a jogar em escalões inferiores… e a perder. Mas o amor é exatamente o mesmo. E sei que no final desta época vou estar a festejar algo bom. Eu acredito piamente nisso. Vamos ser o novo Leicester”, disse.

Com a oitava jornada à porta e a deslocação à casa do FC Porto, os ânimos não esmorecem.

“Que venha o FC Porto. Eles não vão jogar sozinhos e nós vamos sair de lá com mais uma vitória”, atirou Cristiano ainda.

O Famalicão lidera isolado a I Liga portuguesa de futebol, somando seis vitórias e um empate, e o sonho de continuar na senda dos bons resultados comanda o dia-a-dia de todos no clube e adeptos.

Continuar a ler

Futebol

Arsenal perde antes da receção ao Vitória SC

Premier League

em

Foto: DR / Arquivo

O Arsenal, adversário do Vitória Sport Clube (SC) na Liga Europa, perdeu (1-0) no terreno do Sheffield United, em jogo a contar para a primeira liga inglesa.

Os arsenalistas sofreram um golo de Lus Moussett aos 30 minutos de jogo, sendo este já o quarto jogo fora em que os jogadores de Londres não conseguem triunfar (dois empates e duas derrotas).

A tabela classificativa vê agora os comandados de Unay Emery na quinta posição, com 15 pontos, menos dez que o líder, Liverpool

O Vitória desloca-se ao estádio Emirates na próxima quinta-feira, com jogo marcado a partir das 20:00 horas.

Continuar a ler

Populares