Seguir o O MINHO

Desporto

Jogos do Eixo Atlântico juntam mais de 1800 jovens da euroregião em Braga

Idade máxima dos atletas participantes é de 16 anos

em

Foto: DR

Braga recebe até 12 de Julho, a XIII edição dos Jogos do Eixo Atlântico, sucedendo a Lugo, Monforte de Lemos e Sarria, que foram sede na última edição. Esta é a primeira vez que a Cidade acolhe esta competição.


A cerimónia oficial de abertura da XIII edição dos Jogos do Eixo Atlântico que terá hoje, pelas 16:45, na Praça do Município, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, Sameiro Araújo, vereadora do Desporto e Juventude, Alfredo García Rodríguez, presidente do Eixo Atlântico, e de Xoán Mao, secretário-geral.

Antes da Cerimónia de Abertura terá lugar um desfile de todas as comitivas que irão percorrer várias ruas da Cidade. O desfile inicia-se na Avenida Central, pelas 16:30, em direcção à Praça do Município.

Nesta edição participarão mais de 1800 jovens, de 14 concelhos do norte de Portugal e 12 da região da Galiza, inscritos nas seguintes modalidades desportivas: Andebol, Basquetebol, Futebol 7, Voleibol, Atletismo, Atletismo Adaptado. Natação, Natação Adaptada e Ténis. A idade máxima dos atletas participantes é de 16 anos.

Ricardo Rio, presidente de Braga, referiu que esta competição é uma ferramenta que permite estreitar os laços entre as comunidades do eixo. “A população mais jovem é crucial para o futuro do eixo. Esta iniciativa, pela mobilização e capacidade de pôr em contacto milhares de jovens da euro região, permite a criação de raízes que serão úteis para o futuro do território” disse, desejando que todos os envolvidos usufruam de uma experiência agradável na Cidade.

Por seu turno, Sameiro Araújo, vereadora do desporto, sublinhou que Braga é uma cidade aberta à prática desportiva e à organização de grandes eventos. “Este evento, e outros que têm tido lugar na Cidade, vêm dar seguimento ao trabalho desenvolvido em 2018, que deixou um legado para todos Bracarenses”, referiu, adiantando que estes jogos vão permitir aos jovens experienciar momentos de convívio e camaradagem que marcarão o seu percurso.

Como é habitual nos Jogos do Eixo Atlântico, esta edição também integra várias modalidades de desporto adaptado, com a participação de mais de 130 atletas, em consonância com a filosofia do Eixo Atlântico de eliminar barreiras e fomentar a participação de todos os jovens

As competições terão lugar nos seguintes locais: futebol no Parque Desportivo da Rodovia e Campo das Camélias; basquetebol masculino no Pavilhão André Soares e no Pavilhão Municipal de Lamaçães; basquetebol feminino no Pavilhão de Ferreiros e Pavilhão Francisco Sanches; Andebol no Pavilhão Flávio Sá Leite; Voleibol no Pavilhão de Maximinos; Natação e Natação Adaptada nas Piscinas da Rodovia; Atletismo e Atletismo Adaptado no Estádio 1º de Maio e Ténis no Clube de Ténis de Braga.

Anúncio

Futebol

Vizela faz reviravolta e vence Covilhã

II Liga

em

Foto: Facebook de FC Vizela (Arquivo)

Com uma reviravolta em Paços de Ferreira, o Vizela garantiu hoje uma vitória frente ao Covilhã, por 2-1, em jogo da 3.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol.

Depois de estar a perder, a equipa vizelense encarou a adversidade de forma destemida e conseguiu dar a volta ao resultado, somando assim a segunda vitória na prova. Recorde-se que na última jornada, o Vizela sofreu uma pesada derrota, por 4-1, em casa do FC Porto B.

O Covilhã, por outro lado, ainda não somou qualquer vitória na prova.

A partida iniciou-se com a equipa serrana a conseguir dominar e a criar as melhores situações de perigo. Logo aos seis minutos, e a provar isso mesmo, a bola chegou mesmo a entrar dentro da baliza da formação da casa, com um golo apontado por Gleison. No entanto, o árbitro assinalou fora de jogo.

A pressão manteve-se e, aos 25 minutos, Marcelo, ao tentar tirar a bola de dentro da área, atrapalhou-se e colocou-a dentro da baliza de Ivo.

Apesar da infelicidade, a vantagem do Covilhã era o resultado merecido perante tudo o que estava a ser feito em campo até ao momento.

Depois do golo, o Vizela acordou e passou a dominar o jogo, mostrando vontade em chegar ao empate o mais depressa possível. No entanto, isso só acabou por acontecer na segunda parte.

Ao minuto 53, David Soares fez falta dentro da área do Vizela e o árbitro prontamente assinalou grande penalidade a favor da equipa da casa. Marcos Paulo foi chamado a marcar e não desperdiçou a oportunidade, repondo assim a igualdade e a justiça no resultado.

O Vizela manteve-se na procura pelo golo, algo que acabou por acontecer aos 79 minutos. Após um canto de Samu, Tavinho apareceu na área, nas alturas, e, de cabeça, fez o golo da reviravolta.

Até ao final, a formação da casa limitou-se a gerir o resultado, permitindo com isso que o Covilhã subisse no terreno, mas sem perigo.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

Vizela – Covilhã, 2-1

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Marcelo, 25 minutos (na própria).

1-1, Marcos Paulo, 54 (grande penalidade).

2-1, Tavinho, 79.

Equipas:

– Vizela: Ivo, Koffi Kouao, Marcelo, Aidara, Kiki, Marcos Paulo, Ericson (Samu, 68), Zag, Cardozo (Francis Cann, 55), Cassiano (Diogo Ribeiro, 90+1) e André Soares (Tavinho, 55).

(Suplentes: Pedro Silva, Tavinho, João Pais, Okoli, Samu, João Pedro, Ofori, Diogo Ribeiro e Francis Cann).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– Covilhã: Léo Navacchio, David Santos, André, Jaime, Tiago Moreira, Gilberto (Areias, 83), Léo Cá, Filipe, João Cardoso (Gui, 65), Gleison (Jean Felipe, 73) e Daffe.

(Suplentes: Bruno, Morgado, Areias, Jean Felipe, Vital, N’Dao, Edwin Vente, Jorge Vilela e Gui).

Treinador: Daúto Faquirá.

Árbitro: David Silva (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para João Cardoso (15), Léo Navacchio (75), Francis Cann (85) e Tavinho (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Futebol

Raúl Silva punido com dois jogos de suspensão e multa após expulsão no Dragão

SC Braga

em

Foto: DR

O defesa do SC Braga Raúl Silva foi punido com dois jogos de suspensão devido a “injúrias e ofensas à reputação” contra a equipa de arbitragem do encontro frente ao FC Porto, anunciou hoje o conselho de disciplina.

“O jogador foi expulso por utilizar linguagem injuriosa e grosseira”, referiu o órgão de disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), especificando que, já depois de ter sido substituído, ofendeu o árbitro João Pinheiro, tendo ainda dirigido injúrias ao quarto árbitro quando se dirigia para o túnel de acesso ao balneário.

Além da suspensão por duas partidas, devido ao vermelho direto que viu no jogo no estádio do Dragão, que os ‘azuis e brancos’ venceram por 3-1, o futebolista brasileiro vai ter de pagar uma multa superior a mil euros.

Já o fisioterapeuta Rui Sousa, do FC Famalicão, que defrontou o Benfica (vitória por 5-1 das ‘águias’), foi suspenso por 22 dias por causa da “lesão da honra e da reputação e denúncia caluniosa” do árbitro Luís Godinho, informou o conselho de disciplina em comunicado, referindo que o responsável “utilizou gestos e/ou linguagem ofensiva, insultuosa ou abusiva ao gritar para o árbitro”.

Rui Sousa foi ainda condenado a pagar uma multa de 1.530 euros.

Já Rafael Defendi, do Farense, foi suspenso por uma partida devido ao vermelho direto que viu durante o encontro frente ao Moreirense, que terminou com a vitória dos minhotos (2-0).

“O agente foi expulso porque tocou deliberadamente a bola com a mão, anulando uma clara oportunidade de golo para a equipa adversária”, sublinhou o conselho de disciplina, que aplicou uma multa de 21 euros ao atleta.

Continuar a ler

Futebol

13 adeptos do Braga acusados de “refrega” em Guimarães com estragos e feridos

Ministério Público

em

Foto: SC Braga (Arquivo)

O Ministério Público acusou 13 adeptos do SC Braga de participação em rixa, por alegadamente se terem envolvido numa “refrega” com adeptos do Vitória, em Guimarães, quando iam assistir a um jogo de futebol entre os dois clubes.

Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto acrescenta que o Ministério Público (MP) pediu também a condenação dos arguidos na pena acessória de interdição de acesso a recintos desportivos.

Os factos remontam a 18 de fevereiro de 2018, nas imediações do Estádio D. Afonso Henriques, por ocasião de um jogo de futebol entre o Vitória SC e o SC Braga, a contar para a 28.ª jornada da I Liga de futebol.

Segundo o MP, os arguidos, “enquanto adeptos do Sporting de Braga, integraram grupo que se envolveu em refrega com outro grupo de adeptos, este afeto ao Vitória, com arremesso de pedras, garrafas, mesas e cadeiras das esplanadas dos estabelecimentos comerciais circundantes”.

Ainda de acordo com a acusação, “por força desta contenda sucederam estragos materiais em viaturas estacionadas e foram partidas montras, cadeiras e mesas de diversos estabelecimentos comerciais das zonas envolventes.

Resultaram ainda ferimentos em duas pessoas e “alarme social nos cidadãos”.

Os arguidos estão acusados da prática de um crime de participação em rixa na deslocação para ou de espetáculo desportivo, punível com pena de prisão até três anos ou com pena de multa.

Continuar a ler

Populares