Seguir o O MINHO

Futebol

Feirense-Chaves cancelado por causa da covid-19 com os jogadores já em campo

II Liga

em

Foto: Liga Portugal

O encontro Feirense – Desportivo de Chaves, da primeira jornada II Liga de futebol, foi hoje adiado, num dia em que o conjunto flaviense revelou ter tido quatro resultados positivos a covid-19 no seu grupo de trabalho.


Já com as duas equipas prontas para começar a partida, o árbitro João Gonçalves recebeu uma chamada telefónica e deslocou-se durante breves instantes ao túnel de acesso ao relvado.

Na transmissão televisiva da SportTV foi ainda possível ver os delegados da Liga Portuguesa de Futebol Profissional a falar ao telefone, juntamente com vários responsáveis dos dois clubes.

Já 27 minutos depois da hora prevista para o início do encontro, o árbitro apitou para que os jogadores recolhessem ao balneário, sem que tenha sido prestada qualquer informação oficial até ao momento.

Durante a manhã, o Desportivo de Chaves revelou que dois jogadores e dois elementos da equipa técnica do Desportivo de Chaves estavam infetados com o novo coronavírus.

O médio Guzzo e o guarda-redes Samu, e ainda os treinadores adjuntos Pedro Machado e Tiago Castro, testaram positivo “embora assintomáticos”, revelou, em comunicado, o clube transmontano.

Em comunicado enviado a O MINHO, a Liga Portugal esclarece que o pedido de não-realização do jogo foi enviado aos responsáveis da liga às 20:24, pelo delegado de saúde do Alto Tâmega e Barroso.

Anúncio

Futebol

Treinador do Boavista quer conquistar primeiro triunfo em Famalicão

Vasco Seabra

em

Foto: DR

O treinador Vasco Seabra manifestou hoje uma “confiança muito grande” nos futebolistas do Boavista, que procuram conquistar no domingo o primeiro triunfo na I Liga, no terreno do Famalicão, em encontro da quinta jornada.

“Queríamos já ter vencido, mas, independentemente disso, não sentimos absolutamente nada sobre o quer que seja. Mais do que o tempo ou o deixar de ter tempo, centramo-nos nos caminhos e comportamentos que controlamos para chegar às vitórias. Essas são as nossas únicas convicções”, salientou o técnico, em conferência de imprensa.

Os dois empates e as duas derrotas amealhadas representam o pior arranque dos ‘axadrezados’ desde o regresso à elite em 2014/15 e estão aquém das metas traçadas para esta época, embora Vasco Seabra garanta que os resultados vão aparecer.

“Nós temos sempre a responsabilidade de jogar para vencer e a pressão é diária, mesmo que estejamos com vitórias ou com outros resultados para trás. Há um foco muito grande no jogo, no trabalho com a equipa e nas coisas que temos de melhorar defensiva e ofensivamente para sermos mais competentes e competitivos”, apontou.

Exemplo dessa evolução passa por “finalizar parte das oportunidades criadas”, já que o Boavista mostra alguma ansiedade natural de querer vencer”, e “procurar sofrer menos”, em função de um dos piores registos defensivos da prova, com 10 tentos encaixados.

“A ideologia de um jogo positivo e de um futebol atrativo é uma falsa questão. Se nos dissessem que jogar de outra forma garantia que iríamos ganhar mais vezes, jogaríamos sempre assim. A nossa convicção é de que, com a nossa forma de jogar, estamos mais compactos, capazes e consistentes para vencer de forma continuada”, defendeu.

Vasco Seabra regressa a Vila Nova de Famalicão, onde trabalhou em 2017/18, e espera um oponente “difícil, com qualidade individual e coletiva, que mudou ligeiramente a forma de jogar face à época passada e apresenta maior variabilidade”.

“Propomo-nos a estar competitivos e a trabalhar cada dia mais do que no anterior para estarmos mais fortes a cada jogo. É essa a imagem que queremos dar e o facto que queremos consumar”, finalizou o técnico, que assistiu à recuperação do avançado Yusupha Njie, ao invés do defesa Adil Rami e do médio Angel Gomes.

Já o guarda-redes Rafael Bracali, que falhou o desaire caseiro frente ao Vitória de Guimarães (1-0) por ter estado em contacto com uma pessoa infetada com covid-19, recebeu autorização da Direção-Geral da Saúde (DGS) para reintegrar os treinos.

O Boavista, 17.º e penúltimo colocado, com dois pontos, visita o Famalicão, oitavo, com cinco, no domingo, às 17:30, no Estádio Municipal de Famalicão, em duelo da quinta jornada da I Liga, com arbitragem de Tiago Martins, da associação de Lisboa.

Continuar a ler

Futebol

Ricardo Soares enfrenta baixas do Moreirense como “oportunidade para crescer”

I Liga

em

Foto: DR

O treinador Ricardo Soares frisou hoje que as sete baixas clínicas do Moreirense configuram “uma situação anormal”, embora estejam a proporcionar ao clube da I Liga de futebol “oportunidades para crescer”.

“Gostava de ter os jogadores todos, porque a competitividade interna aumenta. Se há coisas positivas que isto nos traz é que me está a preparar para ser melhor no futuro e reagir mais rápido à adversidade”, apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Kewin, Abdu Conté, Anthony D’Alberto, Pedro Amador, Sori Mané, André Luís e Derik Lacerda estão lesionados, ao contrário de Ibrahima Camará, que teve um teste negativo para o novo coronavírus e foi autorizado hoje a reintegrar os treinos dos minhotos.

“Podíamos ter mais que cinco pontos, mas os jogadores têm dado uma grande resposta, sinal da capacidade de trabalho e da união existente dentro do clube. A cada jornada que passa temos mais certezas de que será um campeonato difícil e competitivo. Só com muito trabalho, dedicação e compromisso conseguiremos a manutenção”, alertou.

Ricardo Soares valorizou a coesão defensiva revelada pelo Moreirense, “o que não é necessariamente jogar baixo, mas começar logo na frente a defender”, tendo em vista uma “equipa que cresça a partir desta base e seja mais competente no futuro”.

“O futebol é ganhar, o resultado está sempre presente na minha cabeça e temos de evoluir para estarmos mais próximos da vitória. Este é o ADN que queremos. É certo que faremos mais e melhor, mas há um tempo para isso e não ultrapassaremos etapas. Sabemos o que estamos a fazer, como estamos e como isto vai acabar”, garantiu.

Sem vencer há três jornadas seguidas, após o triunfo na ronda inaugural diante do Farense (2-0), os ‘cónegos’ vão receber o Marítimo, que tem “muita qualidade individual, defende com muita gente e é forte nos duelos e bolas paradas”.

“Não queremos ser surpreendidos por alguma dinâmica e respeitamos muito o Marítimo, mas vamos a jogo com o pensamento de entrar para ganhar. Todas as equipas têm coisas muito boas e outras menos boas. Encontraremos a melhor forma para atacar os espaços concedidos e transformar o jogo em sucesso para nós”, analisou.

O Moreirense, 12.º colocado, com cinco pontos, recebe o Marítimo, sétimo, com seis, no domingo, às 15:00, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, em duelo da quinta jornada da I Liga, com arbitragem de Artur Soares Dias, da associação do Porto.

Continuar a ler

Futebol

Reviravolta dita derrota do Vizela em casa

II Liga

em

Foto: Académica / Twitter

Três golos nos últimos 20 minutos garantiram hoje à Académica a vitória no reduto do Vizela, por 3-1, para a sétima jornada da II Liga de futebol, num jogo em que os vizelenses acabaram com nove elementos.

Com este importante e merecido triunfo, o segundo consecutivo no campeonato, a Académica ascendeu provisoriamente ao segundo lugar, agora com 14 pontos, enquanto o Vizela, que somou a segunda derrota seguida, mantém os oito e tem em risco o atual oitavo lugar.

Os locais, com um jogo muito combativo, entraram a ganhar, por Cassiano, na cobrança de uma grande penalidade, aos 16 minutos, por alegada mão de Silvério na área da Académica.

A reação dos ‘estudantes’ não tardou e uma maior agressividade a meio campo permitiu várias recuperações de bola no meio campo contrário e duas oportunidades claras para chegar ao empate: Bouldini, aos 39 minutos, acertou no poste, e Bruno Teles, aos 42, viu o empate ser-lhe negado pelo guarda-redes Pedro Silva.

A Académica acentuou as melhorias no seu jogo após o intervalo e a expulsão do central vizelense Matheus Costa, aos 69 minutos, precipitou a reviravolta no marcador.

O brasileiro cometeu falta para grande penalidade sobre Bouldini, que só marcou na recarga. Traquina, pouco depois, ameaçou o segundo dos estudantes, que chegaria com naturalidade aos 84 minutos, num remate forte e colocado de Bruno Teles à entrada da área.

Tavinho perdeu a cabeça e viu dois amarelos no espaço de oito minutos, deixando o Vizela reduzido a nove elementos no primeiro dos cinco minutos de descontos, o tempo suficiente para o suplente Leandro Sanca, em lance de contra-ataque, voltar a marcar para Académica, fixando o resultado.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Futebol Clube de Vizela.

Vizela – Académica, 1-3.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores:

1-0, Cassiano, 16 minutos (grande penalidade).

1-1, Bouldini, 71.

1-2, Bruno Teles, 84.

1-3, Leandro Sanca, 90+3.

Equipas:

– Vizela: Pedro Silva, Koffi Kouao, Matheus Costa, Aidara, Kiki Afonso (Ofori, 83), Marcos Paulo, Zag (Ericson, 57), Samu, Francis Cann (Fernando Cardozo, 66), Cassiano (Diogo Ribeiro, 83) e Kiko Bondoso (Tavinho, 66).

(Suplentes: Ivo Gonçalves, João Pedro, Ofori, Marcelo, Ericson, Tavinho, André Soares, Fernando Cardozo e Diogo Ribeiro).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– Académica: Mika, Fabiano (Fábio Vianna, 89), Rafael Vieira, Silvério, Bruno Teles, Dias, Guima (Mimito, 85), Fabinho (Filipe Chaby, 68), Traquina, Bouldini e João Mário (Leandro Sanca, 85).

(Suplentes: Daniel Azevedo, Fábio Vianna, Pedro Pinto, Diogo Pereira, Zourdini, Filipe Chaby, Dani, Leandro Sanca e Mimito).

Treinador: Fernando Alexandre.

Árbitro: João Bento (AF Santarém).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Aidara (21), Zag (32), Koffi Kouao (73), Tavinho (82 e 90+1) e Fabiano (88).

Cartão vermelho direto para Matheus Costa (69) e por acumulação de amarelos para Tavinho (90+1).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares