Seguir o O MINHO

Desporto

João Sousa nas meias-finais do Circuito Sénior da Federação de Ténis

Ténis

em

Foto: DR

O vimaranense João Sousa assegurou hoje a qualificação para as meias-finais do segundo torneio do Circuito Sénior da Federação Portuguesa de Ténis (FPT), com uma vitória ante João Monteiro, enquanto Nuno Borges foi eliminado no Lisboa Racket Centre.


Depois de bater Tiago Torres no primeiro encontro do Grupo 1, o número um português e 66.º colocado do ‘ranking’ ATP superou João Monteiro, por 6-4 e 6-2, em uma hora e 20 minutos, num dia em que o vento voltou a dificultar a tarefa dos jogadores.

“Estive mais à vontade com as condições, que aqui não são fáceis. Mas joguei a bom nível e estou contente com esta exibição contra um bom jogador. Feliz pela vitória. A confiança é importante. A semana passada foi de aprendizagem depois de muito tempo sem competir, em condições a que não estou habituado. Tenho de me habituar e tentar apanhar n ovas rotinas, sem apanha-bolas e menos juízes de linhas. Tem sido uma boa semana. Dois bons jogos, o segundo melhor do que o primeiro em condições de vento muito instáveis”, afirmou.

Graças à liderança do Grupo 1, João Sousa, de 31 anos, vai defrontar nas meias-finais Luís Faria, que hoje estava a liderar o encontro frente a Gastão Elias, por 5-0, quando adversário desistiu, por lesão no cotovelo direito.

“O Luís é um jovem de Guimarães. Somos da mesma terra e ele tem evoluído muito. Espero manter o bom nível de ténis e conto fazê-lo de novo no sábado para tentar vencer e chegar à final”, frisou.

Além de assegurar ser “importante competir em Portugal e raro, mas ótimo jogar para as poucas pessoas que podem estar presentes”, João Sousa acredita estar no rumo certo para estar em boa forma daqui a seis semanas, aquando da retoma do ATP Tour em Washington.

“Temos feito os passos corretos para dia 14 estar no pico de forma, tanto fisicamente como mentalmente. Estou estável e bem e estes torneios também servem para isso”, sublinhou.

Ao contrário de Sousa, Nuno Borges, que se sagrou campeão do primeiro torneio do Circuito Sénior FPT, derrotando inclusivamente na fase de grupos o minhoto e Gastão Elias (nas meias-finais), foi hoje derrotado por Frederico Silva, em duas partidas, por duplo 6-4.

“Estou muito contente por ter ganho este encontro e estar nas meias-finais. Já esperava um encontro difícil, ele fez um bom torneio na semana passada, joga muito bem e estava com muita confiança. As condições dificultaram muito o jogo dos dois, por isso estou muito contente pelo que consegui fazer e pela vitória”, frisou o segundo cabeça de série.

O próximo adversário de Frederico Silva será Duarte Vale, após a vitória deste diante Tiago Cação em três ‘sets’, pelos parciais de 5-7, 6-3 e 6-4, em duas horas e 55 minutos de encontro.

Na competição feminina, Francisca Jorge, campeã na Vale do Lobo Tennis Academy no domingo, foi a primeira a garantir a passagem às meias-finais, que vai disputar com Maria Inês Fonte. A outra meia-final será discutida por Inês Murta e Ana Filipa Santos.

Anúncio

Desporto

Volta a Portugal adiada para 2021. Edição deste ano será especial

Ciclismo

em

Foto: Facebook Volta a Portugal

A 82.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta vai ser disputada em 2021, sendo a prova a realizar entre 27 de setembro e 05 de outubro uma edição especial, devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a organização.

“A ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) e terá características distintas, constituindo uma Volta a Portugal – Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82.ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais”, explicou a organização da principal prova velocipédica nacional.

A edição de 2020 da prova rainha do ciclismo nacional, que deveria decorrer entre 29 de julho e 09 de agosto, foi adiada, em 25 de junho último, para datas a determinar, tendo, em 16 de julho, a FPC anunciado estar “a trabalhar para que a Volta a Portugal possa realizar-se entre 27 de setembro e 05 de outubro”, com uma redução de 11 para nove etapas.

“A Podium Events e a FPC decidiram proceder ao adiamento da 82.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander para 2021. A decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela covid-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão”, lê-se no comunicado hoje emitido pela Podium Events.

Entre os motivos apresentados para o adiamento, a organização da corrida apresenta “a evolução da pandemia, o estado de incerteza sobre a mesma, assim como a recusa de autorização de passagem e permanência da prova por parte de algumas autarquias”, assim como a “prioridade inequívoca de proteger a saúde pública”.

“Conscientes de que a decisão poderá colocar a modalidade numa situação dramática, e perante o desejo da FPC defender o ciclismo profissional e a salvaguarda dos interesses dos ciclistas e equipas, ambas as entidades entenderam na possibilidade de realização de uma edição especial, da Volta a Portugal em bicicleta por parte da FPC”, prossegue a Podium, que agradece o apoio de patrocinadores e parceiros nas decisões tomadas.

Em 25 de junho último, a Podium Events, em comunicado conjunto com a FPC, anunciou estar “a equacionar outros cenários e a procurar ativamente encontrar com os seus parceiros uma data alternativa para a realização do evento, ainda em 2020”.

A realização da Volta tinha recebido ‘luz verde’ da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo, atendendo às orientações para a retoma de competições ao ar livre de modalidades individuais e à aprovação do plano sanitário para a prova.

No entanto, as Câmaras Municipais de Viana do Castelo e Viseu anunciaram que não receberiam a passagem da corrida nos seus concelhos.

O calendário velocipédico esteve suspenso desde meados de março, devido à pandemia de covid-19, e foi retomado em 05 de julho, com uma prova de reabertura, em Anadia.

Continuar a ler

Desporto

Volta a Portugal de 2020 será edição especial

82.ª adiada para 2021

em

Foto: DR / Arquivo

A 82.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta vai ser disputada em 2021, sendo a prova a realizar entre 27 de setembro e 05 de outubro uma edição especial, devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a organização.

“A ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) e terá características distintas, constituindo uma Volta a Portugal – Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82.ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais”, explicou a organização da principal prova velocipédica nacional.

A edição de 2020 da prova rainha do ciclismo nacional, que deveria decorrer entre 29 de julho e 09 de agosto, foi adiada, em 25 de junho último, para datas a determinar, tendo, em 16 de julho, a FPC anunciado estar “a trabalhar para que a Volta a Portugal possa realizar-se entre 27 de setembro e 05 de outubro”, com uma redução de 11 para nove etapas.

“A Podium Events e a FPC decidiram proceder ao adiamento da 82.ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander para 2021. A decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela covid-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão”, lê-se no comunicado hoje emitido pela Podium Events.

Entre os motivos apresentados para o adiamento, a organização da corrida apresenta “a evolução da pandemia, o estado de incerteza sobre a mesma, assim como a recusa de autorização de passagem e permanência da prova por parte de algumas autarquias”, assim como a “prioridade inequívoca de proteger a saúde pública”.

“Conscientes de que a decisão poderá colocar a modalidade numa situação dramática, e perante o desejo da FPC defender o ciclismo profissional e a salvaguarda dos interesses dos ciclistas e equipas, ambas as entidades entenderam na possibilidade de realização de uma edição especial, da Volta a Portugal em bicicleta por parte da FPC”, prossegue a Podium, que agradece o apoio de patrocinadores e parceiros nas decisões tomadas.

Em 25 de junho último, a Podium Events, em comunicado conjunto com a FPC, anunciou estar “a equacionar outros cenários e a procurar ativamente encontrar com os seus parceiros uma data alternativa para a realização do evento, ainda em 2020”.

A realização da Volta tinha recebido ‘luz verde’ da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Governo, atendendo às orientações para a retoma de competições ao ar livre de modalidades individuais e à aprovação do plano sanitário para a prova.

No entanto, as Câmaras Municipais de Viana do Castelo e Viseu anunciaram que não receberiam a passagem da corrida nos seus concelhos.

O calendário velocipédico esteve suspenso desde meados de março, devido à pandemia de covid-19, e foi retomado em 05 de julho, com uma prova de reabertura, em Anadia.

Continuar a ler

Futebol

Liga dos Campeões: António Costa espera grande momento desportivo em Lisboa

Futebol

em

António Costa. Foto: Twitter

O primeiro-ministro António Costa saudou as equipas presentes na inédita ‘final a oito’ da Liga dos Campeões de futebol, entre hoje e 23 de agosto, esperando que se concretize num grande momento desportivo em Lisboa.

“Gostaria de dirigir uma mensagem de boas-vindas às oito equipas que vão disputar em Portugal a ‘final a oito’ da Liga dos Campeões, no fim desta época 2019/20, tão especial e tão diferente de anos anteriores. Temos em Lisboa as oito melhores equipas de futebol da Europa e quero que este torneio seja um grande momento desportivo”, afirmou António Costa.

A fase final da principal competição continental de clubes arranca hoje, às 20:00, em Lisboa, com o embate entre os italianos da Atalanta e os franceses do Paris Saint-Germain, no Estádio da Luz, para os quartos de final.

Seguem-se, até sábado, os restantes embates desta fase, disputada a um só jogo e sem público, e as meias-finais, nas próximas terça e quarta-feira, nos estádios José Alvalade e da Luz, que vai acolher a final, em 23 de agosto.

Este foi o formato encontrado para fazer face à pandemia de covid-19, que levou à suspensão de quase todos os campeonatos, tendo a UEFA escolhido a capital portuguesa para receber esta inédita fase final, que tinha o embate decisivo marcado para Istambul.

“É uma grande honra podermos receber este evento, que, por um lado demonstra a extraordinária capacidade organizativa de Portugal e da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), demonstrada desde o Euro2004 (…), mas é também uma forma de reconhecimento da UEFA como o local mais seguro para receber a competição”, prosseguiu Costa.

Na mensagem de boas-vindas, a primeiro-ministro reconheceu a frustração pela ausência de público nos estádios, deixando, mesmo assim, um convite à visita ao país.

“Quem quer que venha, seja para a competição, ou para férias, ou por outra razão, é muito bem-vindo a Portugal e poderá estar em segurança em Portugal”, rematou Costa.

Continuar a ler

Populares