Seguir o O MINHO

Braga

Mesquita Machado vai a julgamento por “negócio milionário” – JN

em

Mesquita Machado foi presidente da Câmara Municipal de Braga durante 37 anos, entre 1976 e 2013. DR

Francisco Mesquita Machado, presidente da Câmara Municipal de Braga até 2013, e os cinco vereadores socialistas que faziam parte do executivo municipal, durante o seu último mandato, vão ser julgados em tribunal pelos crimes de participação económica em negócio e abuso de poder, no âmbito do chamado “Caso das Convertidas”, avança o Jornal de Notícias (JN) na sua edição desta segunda-feira.


Primeira página do Jornal de Notícias (JN) (15/05/2017)

“Nenhum dos arguidos pediu a instrução do processo, pelo que só falta saber a data do julgamento”, escreve o JN, que coloca a notícia em destaque na primeira página, avançando que o Ministério Público (MP) defende que Mesquita Machado planeou uma estratégia para tentar salvar o genro, José Pedro Castro Rodrigues, e a filha, Ana Catarina Mesquita Machado, “que podiam ficar sem todos os bens pessoais, por causa de dívidas de 2,6 milhões de euros ao BCP e de mais dois milhões a Manuel Duarte, empresário da cidade”.

Edifício do Recolhimento de Santa Maria Madalena ou Recolhimento das Convertidas. Fórum Bracarae

A expropriação dos três imóveis adjacentes à Casa das Convertidas, na Avenida Central, em Braga, que foram da firma do genro de Mesquita Machado e que passaram para as mãos de Manuel Duarte, terá sido decidida pelos vereadores socialistas, “de comum acordo”, “por um montante manifestamente superior [2.954,462,78 milhões de euros]” ao que valeriam. 

Segundo o MP os edifícios estavam avaliados em 679 mil euros, considerando que, caso a expropriação de três milhões de euros tivesse avançado, o Município teria sido lesado em 2,2 milhões de euros. 

Aquele que ficou conhecido como o “Caso das Convertidas” foi uma das medidas que mais polémica gerou no último ano de mandato de Mesquita Machado à frente da autarquia de Braga, com o Bloco de Esquerda a pedir mesmo a perda de mandato do autarca.

Isto porque, além das referidas hipotecas, a sociedade pertencente ao genro de Mesquita Machado vendeu aqueles prédios a 30 de abril de 2013, quatro dias antes do executivo socialista aprovar a expropriação daquelas propriedades.

A votação foi depois repetida, a 23 de maio, já sem a participação do ex-autarca, entretanto acusado de “favorecer familiares” com o “negócio”.

O projeto que levou à decisão de expropriar aquelas propriedades era o de requalificação do quarteirão das “Convertidas”, que incluía a construção da Pousada da Juventude, do Centro Euro-Atlântico da Juventude, da Loja Europa e de um museu. Segundo a notícia do JN, o MP defende ainda que a candidatura camarária apresentada aos fundos comunitários não tinha sequer projeto anexa, já que apenas visava favorecer os familiares do autarca.

A expropriação chegou a avançar no final de 2012, mas foi revogada pelo atual autarca bracarense Ricardo Rio (PSD/CDS-PP/PPM) e confirmada pelo Tribunal da Relação em março de 2015.

Hugo Pires, Palmira Maciel, Ilda Carneiro, Paula Morais e Vítor Sousa são os vereadores socialistas envolvidos no processo.

Anúncio

Braga

Internacional português Miguel Ângelo reforça SC Braga/AAUM

Futsal

em

Foto: DR

O ala internacional português Miguel Ângelo é a primeira contratação para a equipa de futsal do SC Braga/AAUM para 2020/21, indicou hoje o clube minhoto, poucos dias depois de o Benfica comunicar a saída do jogador.

“O SC Braga tem uma estrutura muito boa. Em Portugal, talvez seja Benfica, Sporting e logo a seguir o SC Braga, se é que não está ao mesmo nível. Vim com boas referências, do André Coelho, do Tiago Brito e do Nilson que me deram muito boas referências do SC Braga. Isso claro que ajudou e pesou muito na minha decisão”, disse Miguel Ângelo.

O internacional luso, de 26 anos, espera mostrar trabalho em Braga e ajudar a equipa a ganhar o título que “já merece”.

“O clube é muito exigente, já merece ganhar um título e vamos lutar por isso. Da minha parte, podem esperar atitude, ambição e força de vontade. Tenho a certeza de que vou gostar muito deste clube e espero ficar aqui muitas épocas”, acrescentou.

Na última época, de 2019/20, as competições foram suspensas em março devido à pandemia da covid-19, e, posteriormente, canceladas, sem atribuição de título.

Continuar a ler

Braga

Polémica das praxes na UMinho. Junta de Gualtar acusa “Papa” de mentir

Associação Académica demarca-se

em

Foto: "Cabido de Cardeais" / Arquivo

A Junta de Freguesia de Gualtar, onde fica localizado o campus da Universidade do Minho em Braga, acusou hoje o “Papa da Academia Minhota”, Pedro Domingues, de mentir quando referiu ao jornal Público que as autoridades autárquicas tinham sido contactadas por causa do regresso presencial das praxes.

Em comunicado enviado às redações, Junta manifesta “repúdio pelas afirmações do estudante Pedro Domingues, responsável pelas praxes na Universidade do Minho”, de que teria “sido fácil informar as autoridades e nomeadamente a Junta de Freguesia de Gualtar sobre a decisão de retomar as praxes”.

“Tais afirmações são absolutamente falsas! Nunca a Junta de Freguesia foi contactada sobre qualquer Praxe nem manifestou qualquer apoio à realização das mesmas. Nunca a Junta de Freguesia (que tem os seus espaços públicos encerrados) poderia ou poderá permitir tal situação. São afirmações injuriosas para com a Junta de Gualtar e para com os Gualtarenses”, destaca o comunicado.

Ao jornal Público, Pedro Domingues afirmaram que todas as autoridades locais “estão a par de tudo” (autárquicas, de segurança – “como a GNR e a PSP” – e de saúde) e as “regras muito rigorosas” foram delineadas em conjunto com essas autoridades.

O praxante admite que informar as autoridades de Braga “foi mais fácil”, especialmente com a Junta de Freguesia de Gualtar, onde se situa o maior pólo na cidade de Braga, e o Cabido mantém o diálogo com as autoridades de Guimarães para que “tudo corra bem”.

“Absolutamente imoral a realização de tais praxes”, acusa Junta

Afirmações que são desmentidas, agora, pela Junta de Freguesia, a qual “reafirma, publicamente, que dada a actual situação de pandemia, é contra qualquer tipo de ajuntamento e irá continuar a denunciar tais situações alertando sempre as autoridades”.

Praxes regressam presencialmente a Braga e Guimarães. Polémica estala na UMinho

“Consideramos absolutamente imoral a realização de tais Praxes e ajuntamentos, nesta fase pandémica, estando algumas delas a ser realizadas por estudantes de Cursos da área da Saúde (Enfermagem) como aconteceu no último fim-de-semana num terreno privado que obrigou à intervenção da GNR no local a pedido do Presidente da Junta”, refere ainda o comunicado, apelando às autoridades que “intervenham, por todos os meios ao seu dispor, de modo a inviabilizar a concretização destes ajuntamentos de estudantes impedindo mesmo a sua realização em qualquer circunstância”.

Associação Académica demarca-se

Em declarações ao Público, o presidente da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM),  demarcou-se da decisão polémica: “O Cabido de Cardeais é um grupo que se gere autonomamente a praxe e a AAUM não tem mão na gestão”.

O presidente da associação afirmou, ainda, que a praxe não era uma prioridade e que “não se encaixa nas actividades que são essenciais”.

Rui Oliveira comparou ainda, àquele jornal, com o que AAUM e a universidade fizeram, encerrando toda a actividade presencial até ao próximo ano lectivo, apontando que é preciso sempre ter em conta a saúde pública. “A AAUM abdicou de toda a actividade presencial que realizava, seja cerimónias mais formais e pequenas, seja o Enterro da Gata. Todas elas foram canceladas porque a AAUM tomou consciência que tinha de salvaguardar a saúde publica”.

Continuar a ler

Braga

Nova comissão distrital do PSD/Braga apostada em vencer as autárquicas

Política

em

Foto: DR

Paulo Cunha, o único candidato do PSD, às eleições para os órgãos distritais do PSD/Braga disse, esta segunda-feira, em conferência de imprensa, que, no que toca às eleições presidenciais, o partido aguarda que Marcelo Rebelo de Sousa manifeste disponibilidade para se recandidatar, para então o apoiar.

Já sobre as autárquicas de 2021 no distrito de Braga adiantou que, até outubro, a nova Comissão Política Distrital “criará as condições para encontrar as melhores soluções em cada território”. “O PSD tem propostas, programa e pessoas para todos os concelhos e freguesias”, salientou.

O também autarca de Famalicão lembrou que o PSD é o maior partido do distrito, o que tem mais câmaras e juntas: “Conquistámos duas em 2013 e mais duas em 2017. Em 2021 bater-nos-emos para governar mais municípios”.

Sobre o distrito, Paulo Cunha diz que se quer “cabeça de uma região forte, social e economicamente” e disse que vai “exigir” das instâncias nacionais uma relação diferente para o distrito: “Este território dá muito mais para o país do que o país lhe dá. Somos um contribuinte líquido não devidamente retribuído. Queremos mais atenção do governo e das estruturas nacionais”.

Na conferência de imprensa, anunciou que o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, foi o escolhido para a presidência da Mesa da Assembleia Distrital.

Revelou ainda que César Teixeira, de Guimarães, liderará a Comissão de Jurisdição, e Isabel Miranda, militante de Barcelos, presidirá à de Auditoria Financeira. O ainda presidente da Distrital, o eurodeputado José Manuel Fernandes, será o seu mandatário.

Ricardo Rio: distrito inovador

De seguida, o autarca bracarense Ricardo Rio disse que “o PSD é o verdadeiro provedor do distrito de Braga”, defendendo que “deve continuar a apresentar propostas positivas e reconhecidas pelos cidadãos do distrito”.

Foto: DR

“O distrito merece maior atenção dos organismos nacionais. Do governo. Porque é dos mais inovadores do país, e um verdadeiro motor de crescimento nacional, com os concelhos mais exportadores do país.

José Manuel Fernandes: ‘dream team’

É uma equipa de sonho, uma ‘dream team’, a que vai a votos no dia 11. Foi assim que o eurodeputado José Manuel Fernandes – ainda presidente da Distrital – definiu a equipa que dirigirá o órgão distrital “Ricardo e Paulo são os mais votados do PSD em termos nacionais. Pela qualidade, competência, dedicação e empenho que demonstram. E daí os resultados positivos no distrito”, salientou.

Fernandes realçou que o PSD/Braga tem cumprido a sua missão. Ao serviço das populações e do território” e deixou “uma palavra de homenagem a todos os autarcas do distrito. Sempre no terreno e a substituir-se ao próprio governo, nesta fase difícil da pandemia. Atuam com modernidade e uma nova visão do serviço público, assumindo competências que podiam dispensar e trabalhando com grande envolvimento e proximidade aos cidadãos”.

E a concluir, apelou à unidade: “O sucesso só se consegue quando todos puxam para o mesmo lado”.

Continuar a ler

Populares