Seguir o O MINHO

Futebol

Jesualdo Ferreira pede Boavista a reencarnar “espírito de campeão” em Barcelos

I Liga

em

O treinador Jesualdo Ferreira apelou hoje aos futebolistas do Boavista que adotem na visita de quarta-feira ao Gil Vicente, decisiva na luta pela permanência na I Liga, o “espírito de campeão” exibido há 20 anos no título de 2000/01.

“Gostaria de fazer uma ligação clara entre o espírito que essa equipa mostrou na conquista do título e o espírito que teremos de ter amanhã [quarta-feira] neste jogo. É essa mensagem que passarei aos jogadores e deixo aos adeptos, esperando que perdure do primeiro ao último minuto”, vincou o técnico, em declarações nas redes sociais dos ‘axadrezados’.

Em 18 de maio de 2001, o Boavista venceu o já despromovido Desportivo das Aves (3-0) e selou um inédito título a uma jornada do fim, imitando um feito restrito do Belenenses, que, 55 anos antes, se tinha intrometido na hegemonia de Benfica, FC Porto e Sporting.

“Queria felicitar o clube e os seus adeptos, jogadores, ‘staff’ e dirigentes daquele tempo que fizeram parte da vitória do Boavista no campeonato. Faz hoje 20 anos que o Boavista foi campeão. Se nessa altura lutávamos pelo título nacional, agora é para nos mantermos na I Liga”, notou, focado num objetivo “que já devia estar conquistado há muito tempo”.

Os portuenses vão encarar a 34.ª e última jornada na 15.ª posição, com 33 pontos, dois acima da zona de descida direta, lugar ocupado pelo Farense (17.º), e os mesmos dois de avanço do Rio Ave (16.º), que está em zona de acesso ao play-off’ de permanência.

“É o jogo no qual sabemos perfeitamente que decidiremos a nossa vida. É um jogo em que vamos precisar que todos sejam guerreiros e, acima de tudo, muito competentes no que temos de fazer. É um jogo em que vamos entrar para ganhar”, apontou Jesualdo Ferreira, privado de Ricardo Mangas e Sebastián Pérez, ambos a cumprir castigo.

O Boavista chega à derradeira ronda do campeonato a depender apenas de si próprio para alcançar a sétima permanência consecutiva, na sequência de um triunfo caseiro sobre o Portimonense (1-0), que encerrou um ciclo de cinco encontros sem vencer.

“Não direi que aumentou o otimismo, mas esse terá sido dos jogos mais difíceis de todos. Esteve na linha de muitos outros em que estivemos muito bem e não conseguimos ganhar. Não foi o jogo em que criámos mais oportunidades de golo, mas no qual tivemos menos problemas defensivos, mais controlo e fomos mais equilibrados”, analisou.

Jesualdo Ferreira quer replicar essa “equipa muito forte” em Barcelos, onde espera um oponente a atuar “de forma tranquila”, até porque “conseguiu conquistar pontos nas alturas próprias” e “teve bons resultados, alguns até inesperados, com todo o mérito”.

“Vamos com uma carga emocional muito grande, que muitas vezes é inibidora, mas será importante para nós. Vamos com o objetivo de alcançar a permanência ao fim dos 90 minutos. Não fomos suficientemente competentes em determinadas alturas, mas espero que possamos festejar com os adeptos um ano muito difícil para o Boavista”, concluiu.

O Boavista, 15.º colocado, com 33 pontos, visita o Gil Vicente, 13.º, com 39, na quarta-feira, às 20:00, no Estádio Cidade de Barcelos, em encontro da 34.ª jornada e última jornada da I Liga, com arbitragem de Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.

Populares