Seguir o O MINHO

Actual

Itália encerra teatros e cinemas e obriga bares e restaurantes a encerrar às 18:00

Covid-19

em

Foto: DR

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, assinou hoje um novo decreto que impõe o encerramento de piscinas, ginásios, teatros e cinemas a partir de segunda-feira, numa tentativa de conter os contágios que dispararam no país.


A medida hoje anunciada determina ainda o encerramento às 18:00 dos bares e restaurantes.

Após horas de negociação com as regiões italianas que pretendiam ajudas para os proprietários de bares e restaurantes, foi assinado esse novo decreto em vigor entre segunda-feira e o dia 24 de novembro.

O endurecimento das medidas surge depois do aumento exponencial de casos, tendo o país registado no sábado mais 19.644 casos e 151 mortes devido à covid-19.

A Itália segue com grande preocupação o aumento de pacientes internados, que já são 12.415 em todo o país, mais 817 em relação a sexta-feira.

Relativamente aos cuidados intensivos, os dados das autoridades de saúde italianas dão conta que estão nestas unidades 1.128 pessoas, mais 79 pessoas em relação a sexta-feira.

O novo decreto lembra a obrigatoriedade do uso de máscaras em todos os momentos e é recomendável evitar receber visitas.

Embora tenha sido evitado o recolher obrigatório a nível nacional, que já existe em regiões como o Lácio, cuja capital é Roma, Campânia, Sicília, Calábria e Lombardia, as regiões têm o poder de encerrar as áreas onde se registem aglomerações a partir das 21 horas.

Restaurantes, bares, pubs, geladarias e confeitarias podem funcionar apenas das 5h às 18h, mas podem abrir aos domingos e feriados.

São permitidas apenas quatro pessoas por mesa, desde que não sejam do mesmo núcleo familiar.

Ginásios, piscinas e spas, bem como centros culturais, centros sociais, centros recreativos, salas de bingo, casinos e parques de diversões também devem ser fechados, enquanto os parques e parques infantis permanecerão abertos.

Teatros, cinemas e salas de concertos também estão encerrados, bem como os ao ar livre, sendo proibida toda a forma de organização de eventos e conferências presenciais.

A abertura das estações de esqui não será permitida, principalmente após as imagens deste sábado com longas filas e pessoas lotadas nos teleféricos.

O Governo não decretou a proibição da deslocação entre regiões, mas “recomenda veementemente a todas as pessoas que não se desloquem, por meio de transporte público ou privado, a um município que não seja o de residência, exceto para necessidades comprovadas de trabalhar ou estudar, por motivos de saúde”.

Também introduz novas medidas para aplicar a educação à distância a pelo menos 75% dos alunos dos cursos de segundo grau do ensino médio, ou seja, maiores de 14 anos.

O presidente do Governo italiano, Giuseppe Conte, deve dar hoje uma conferência de imprensa para explicar o conteúdo do novo decreto.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 42,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Anúncio

Actual

Dois mortos após veículo invadir área pedonal na Alemanha

Vários feridos

em

Foto: DR

Duas pessoas morreram atropeladas e várias ficaram feridas depois de um veículo ter avançado sobre uma zona pedonal da cidade de Trier, no sudoeste da Alemanha, de acordo com a polícia local.

O motorista foi detido e o veículo apreendido, segundo uma mensagem publicada pela polícia de Trier na rede social Twitter.

A polícia e as equipas de resgate pediram às pessoas para evitarem o centro da cidade, desconhecendo-se ainda mais pormenores sobre o incidente.

Trier fica a cerca de 200 quilómetros a oeste de Frankfurt, perto da fronteira com o Luxemburgo.

Continuar a ler

Actual

Disney vai despedir 32 mil funcionários

Crise

em

Foto: DR

A Walt Disney anunciou hoje a intenção em despedir mais quatro mil trabalhadores, aumentando o total anunciado para 32 mil funcionários, em grande parte devido à pandemia de covid-19.

O anúncio desta decisão por parte da empresa foi divulgado através de um comunicado da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos no início da semana, noticia a agência AP.

Na nota, é explicado que 32 mil funcionários da divisão de parques, experiências e produtos serão demitidos na primeira metade do ano fiscal de 2021, que começou em outubro.

No final de setembro, a empresa já tinha anunciado a intenção de despedir 28 mil trabalhadores dos parques temáticos.

A Walt Disney não especificou quantos dos quatro mil funcionários adicionais a serem dispensados é que trabalham nos parques temáticos da Califórnia ou da Florida.

O documento, divulgado na véspera do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, revelava ainda que a empresa colocou 37 mil funcionários não indicados para despedimento em ‘lay-off’, devido à pandemia de covid-19.

“Devido à situação atual, incluindo os impactos da covid-19 e as mudanças no ambiente no qual operamos, a empresa gerou eficiência na sua equipa, incluindo a limitação de contratação para funções críticas, ‘lay-off’s’ e reduções no número de trabalhadores”, sublinhava a nota.

A empresa acrescentou ainda que pode ter de realizar ainda mais cortes nos gastos, recorrendo à redução de investimentos em conteúdos de cinema e televisão, colocando mais trabalhadores em ‘lay-off’ ou realizando dispensas adicionais.

Na Florida, a empresa tem limitado a lotação nos seus parques e mudado os protocolos de forma a garantir o distanciamento social, limitando encontros e a convivência com as personagens.

Os parques da Disney fecharam em março quando a pandemia começou a ter impacto nos Estados Unidos. Os parques da Florida foram reabertos no verão, mas os parques da Califórnia ainda não reabriram e continuam dependentes da aprovação das autoridades regionais e locais.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.433.378 mortos resultantes de mais de 60,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (263.798) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 12,8 milhões).

Continuar a ler

Actual

“Instruções para Abolir o Natal” em Viana do Castelo

Cultura

em

Foto: DR

A Companhia de Teatro do Algarve (ACTA) vai apresentar a peça “Instruções para Abolir o Natal”, na sala principal do Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, na próxima quinta-feira.

Com encenação de Isabel dos Santos e interpretação de Luís Vicente e Sara Mendes Vicente, a peça tem “como pano de fundo a crise financeira de 2008”, como recorda um comunicado do Teatro do Noroeste.

“[E] se tivéssemos a oportunidade de entrar numa destas reuniões? Se nos fosse dada a oportunidade de saber – honestamente – o que acontece dentro das portas fechadas dos gabinetes dos arranha-céus espelhados? […] Duas personagens em crise. Crise financeira, emocional e psicológica que os levam a descrever o antes e o depois, expondo a realidade da nossa condição humana atual”, pode ler-se na sinopse divulgada pelo teatro.

A peça está em cena às 21:00 e os bilhetes custam entre quatro e dez euros.

Continuar a ler

Populares