Seguir o O MINHO

Braga

Irmãos de António Variações em palco com quatro orquestras para “espetáculo ímpar”

No Europarque, em Santa Maria da Feira

em

Jaime, Adosinda e Luiz Ribeiro, com o ator Sérgio Praia, protagonista do filme "Variações". Foto: Ricardo Santos / Revista "Lux" (2016)

Jaime e Luíz Ribeiro, irmãos do músico António Variações (1944-1984), sobem sábado ao palco do Grande Auditório do Europarque, em Santa Maria da Feira, para participar num “espetáculo ímpar” com mais de 200 instrumentistas de quatro bandas sinfónicas.

O concerto é uma produção desse município do distrito de Aveiro e, marcando o encerramento do cartaz de 2020 da Festa das Fogaceiras, reunirá os coletivos musicais de Arrifana, Lobão, Vale e Souto para a interpretação de um ‘medley’ instrumental, 11 temas com acompanhamento vocal – pelos irmãos de Variações e também por Joana Espadinha, Joana Almeirante e Goodfellas – e ainda um arranjo final.

“Com 200 músicos em palco, vai ser um espetáculo ímpar, algo realmente diferente, e isso deixa-nos muito orgulhosos porque demonstra como o António tinha de facto um talento tão especial que ainda hoje, passados tantos anos, continua a emocionar as pessoas e a fazer tanta gente gostar dele, mesmo nas gerações mais novas”, declara Luíz Ribeiro, irmão do artista homenageado.

Jaime Ribeiro refere que formatos idênticos já foram apresentados em Idanha-a-Nova e Braga, mas realça que nunca antes foi testado um registo “com tantos músicos em palco”, pelo que defende que esta “experiência inédita vai ser muito bonita e terá um impacto diferente, mais marcante”.

O espetáculo está a ser planeado desde meados de 2019 sob a direção artística de Marcelo Alves, que assina os novos arranjos dos temas a apresentar ao público e os vem preparando em estreita colaboração com os maestros daquelas que são “as quatro e únicas bandas sinfónicas da Feira”.

Os ensaios gerais com os solistas convidados começam esta quinta-feira e permitirão ultimar um espetáculo com “uma sonoridade muito própria, já que os instrumentistas vão garantir às canções de António Variações um registo tão ou mais rock do que aquele que uma banda de rock permitiria”.

Marcelo Alves diz à Lusa que isso resulta do profundo conhecimento que os maestros envolvidos no projeto revelam ter sobre “as potencialidades de cada instrumento sinfónico” e antecipa assim um desempenho coletivo “com estrondo e com um som poderoso”.

Os temas de António Variações selecionados para o alinhamento do concerto não foram, por isso, deixados ao acaso: irá ouvir-se, por exemplo, “O corpo é que paga”, “Estou além”, a “Canção do Engate” e “Maria Albertina”.

Jaime Ribeiro, que nunca seguiu uma carreira profissional como artista, mas sempre se dedicou à música, vai interpretar “Que pena seres vigarista”, evocando assim o facto de que o irmão “adorava Amália e, portanto, também o fado”.

Já Luíz, que se dedica à música de forma menos regular, mas já reuniu “para os filhos, netos e família” 16 faixas sobre “saudade e nostalgia” no álbum “Então fui a Braga”, cantará no Europarque “Deolinda de Jesus” e reconhece que essa escolha “é simbólica”.

“É uma canção do António sobre a nossa mãe. Mas, no fundo, fala de todas as mães e de um sentimento com que todos se identificam, qualquer que seja a sua origem e a sua idade”, conclui.

Anúncio

Braga

Agressor que esfaqueou jovem em Braga terá sido atacado quando entrava num Uber

Agressões

em

Foto: DR / Arquivo

O agressor que terá esfaqueado um jovem de 25 anos junto à Estação de Comboios de Braga alega legítima defesa, apurou O MINHO junto de fonte das autoridades.

O homem, com cerca de 30 anos, estaria a sair da estação quando foi abordado por um grupo de jovens que, alegadamente, o queriam agredir.

Este encaminhou-se para um Uber, que já tinha solicitado, quando um grupo de mais de dez elementos terá pontapeado a viatura quando este se preparava para entrar.

O agressor terá então puxado de uma faca e espetado a mesma no abdómen de um dos elementos do grupo, afeto aos Red Boys, claque do SC Braga, criando grande alvoroço.

O agressor, conhecido elemento de um grupo antifascista de Braga, acabou por sair do local e contactar no imediato a PSP, assumindo o esfaqueamento. Explicou às autoridades, que se deslocaram a casa do agressor, que terá agido sempre em legítima defesa.

Ao que O MINHO apurou, por motivações políticas, o agressor queixa-se de já ter sido alvo de dois ataques em Braga, situação que foi já confirmada pela Polícia Judiciária.

Recorde-se que por volta das 22h30 desta quinta-feira, um jovem foi esfaqueado no abdómen por um objeto cortante, na sequência de altercações junto à Estação de Comboios de Braga.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Braga e a VMER, assim como uma patrulha da PSP.

O ferido, considerado ligeiro, foi transportado para o Hospital de Braga.

Continuar a ler

Braga

Jovem esfaqueado junto à estação de comboios de Braga

Agressões

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um jovem elemento da claque de futebol Red Boys foi esta quinta-feira esfaqueado, no final do jogo Glasgow Rangers-SC Braga [disputado na Escócia], na Rua Nova da Estação, na cidade de Braga.

Ao que apurou O MINHO, o adepto, com cerca de 25 anos e que terá assistido ao jogo na sede dos Red Boys, terá sido atacado naquela rua de Maximinos, em circunstâncias ainda por apurar, resultando num esfaqueamento na zona do abdómen.

O alerta para a polícia e para os serviços de emergência foi dado cerca das 22:30 horas, mobilizando os Bombeiros Voluntários de Braga e a VMER.

A vítima, estabilizada e assistida no local, foi transportada para o Hospital de Braga com acompanhamento da viatura médica.

Apesar de o mesmo ter sofrido um golpe profundo, os ferimentos foram considerados ligeiros pela equipa médica que o assistiu numa primeira fase.

Agressor que esfaqueou jovem em Braga terá sido atacado quando entrava num Uber

A PSP registou a ocorrência e já registou o depoimento do agressor.

(notícia atualizada às 00h12 com a versão do agressor)

Continuar a ler

Braga

Dez mil euros de caução para falsa psiquiatra de Braga

Com apresentações periódicas na PSP

em

Foto: DR

O Tribunal aplicou uma caução de dez mil euros à mulher que se fazia passar por médica psiquiátrica e que dava “consultas” na sua residência em Braga, apurou O MINHO.

Como medidas adicionais foram exigidas apresentações periódicas na PSP, assim como proibição desta contactar os seus “ex-clientes”.

Segundo a PJ, a mulher intitulava-se médica psiquiátrica e procedia à realização de consultas daquela especialidade, conseguindo “ludibriar diversos clientes, dos quais obteve grandes somas de dinheiro, aproveitando-se das suas debilidades físicas e psicológicas”.

Após uma denúncia e consequente investigação, a PJ deteve na quarta-feira a “falsa psiquiatra” e recolheu “importantes e sólidos elementos de prova, que vieram demonstrar a continuação da atividade criminosa, que perdurará, pelo menos, desde há cerca de dois anos”.

Foram apreendidos vários equipamentos informáticos, quantias em dinheiro, medicamentos e material relacionado com a atividade criminosa em causa.

A mulher, que se terá chegado a intitular diretora do Serviço de Psicologia e Psiquiatria do Hospital de Braga, é suspeita da prática de crimes de burla qualificada e usurpação de funções.

Vai ser presente à autoridade judiciária competente no Tribunal de Braga, para aplicação das respetivas medidas de coação.

Continuar a ler

Populares