Seguir o O MINHO

Região

IP garante obras na Linha do Minho sem cancelamentos ou atrasos

Questão levantada pelo Eixo Atlântico

em

Foto: Divulgação

A Infraestruturas de Portugal (IP) assegurou ao Eixo Atlântico não existir “qualquer anulação ou alteração” da empreitada de eletrificação da Linha do Minho, a concluir “durante o quarto trimestre de 2020”, informou hoje a associação transfronteiriça.

Em resposta escrita a um pedido de esclarecimento enviado em novembro pelo Eixo Atlântico, a IP especificou que, com a conclusão da segunda fase da intervenção na Linha do Minho, o “início da circulação ferroviária, em modo elétrico, será possível nos primeiros meses de 2021, ficando apenas dependente dos operadores ferroviários”.

Em novembro, a informação solicitada pelo Eixo Atlântico foi justificada com “informações que surgiram nos meios de comunicação portugueses relativas à suspensão ou atraso na execução da linha ferroviária do Minho e do último troço”, entre Viana do Castelo e Valença.

Na resposta hoje tornada pública pela organização criada há mais de 25 anos e que atualmente agrega 38 municípios portugueses e galegos, a IP acrescentou estarem em curso os trabalhos de implementação de sinalização eletrónica no troço que liga Nine, no distrito de Braga, a Viana do Castelo e entre a capital do Alto Minho e a cidade de Valença, na fronteira com a Galiza, “cuja colocação ao serviço se prevê que ocorra no primeiro trimestre de 2021”.

Já “os trabalhos de supressão de passagens de nível decorrerão até 31 de dezembro de 2023”, acrescenta.

Na informação prestada ao Eixo Atlântico, a IP destacou ter sido “já concretizada a primeira fase do projeto de modernização da Linha do Minho, com a entrada em serviço, a 15 de julho, da circulação ferroviária com tração elétrica no troço entre Nine e Viana do Castelo.

Em julho, na estação de caminhos-de-ferro da capital do Alto Minho, aquando da inauguração dessa empreitada num valor de 16 milhões de euros, o primeiro-ministro, António Costa, disse que a eletrificação do troço entre Viana do Castelo e Valença estaria concluída no segundo semestre de 2020.

A modernização da Linha do Minho foi anunciada em 2011, depois de afastada a possibilidade de encerramento da ligação ferroviária internacional entre a cidade do Porto e Vigo, na Galiza.

Além da eletrificação da Linha do Minho, o projeto de modernização da ligação internacional inclui supressão de passagens de nível, novas subestações, intervenções em túneis e pontes, e instalação de sistemas e telecomunicações sinalização, com um investimento global de 832 milhões de euros.

Anúncio

Região

“Estamos todos de parabéns”. Jogadores do Braga destacam trabalho de equipa

Taça da Liga

em

Foto: Liga Portugal / Divulgação

Declarações à Sport TV após a vitória do SC Braga sobre o FC Porto, por 1-0, no jogo da final da Taça da Liga de futebol, disputado em Braga:

Rúben Amorim (treinador do SC Braga):

“Os jogadores estiveram excelentes. Voltámos a ter a ‘estrelinha’ no fim, mas fizemos por merecer. Entrámos muito bem, mas o FC Porto equilibrou. Na segunda parte, o jogo tornou-se difícil, mas os jogadores estão de parabéns e merecem. Não existe segredo, é ter bons jogadores”.

Ricardo Horta (jogador do Braga e autor do golo da vitória):

“Foi um grande trabalho de toda a equipa. Merecemos todos este troféu e vamos desfrutar muito desta Taça.

É o meu primeiro título da carreira e esta gente merece esta taça. Estamos todos de parabéns.

Entrámos muito bem no jogo. O FC Porto depois acabou por cima a primeira parte. Foi um jogo bastante disputado, mas a vitória assenta-nos muito bem.

Foi uma época de altos e baixos, mas a qualidade da equipa é sempre a mesma. Temos um grande plantel e os resultados estão a vir ao de cima. Ainda vêm muitas mais coisas boas para nós”.

Fransérgio (jogador do Braga):

“Está de parabéns o grupo e os adeptos. Toda a gente está de parabéns.

Tem de ser até ao final. Este grupo merece”.

Raul Silva (jogador do Braga):

“O Braga mereceu, por este coletivo, frente a uma das melhores equipas do nosso campeonato. Somos muito trabalhadores. Dedico a vitória aos nossos adeptos”.

João Palhinha (jogador do Braga):

“Estamos todos de parabéns. Esta equipa já merecia conquistar um título há muito tempo. Todos muito satisfeitos, felizes e orgulhosos pelo trajeto até aqui. Esperamos conquistar muito mais até ao final da época”.

Ricardo Esgaio (jogador do Braga):

“Foi um esforço de toda a equipa, mas a vitória veio para nós, o troféu é nosso. Quero dar os parabéns a toda a equipa”.

Francisco Trincão (jogador do Braga):

“Acho que foi apenas acreditar. Sabíamos o que tínhamos de fazer, fizemos e estamos muito felizes. Dedico o triunfo à minha família”.

Vítor Tormena (jogador do Braga):

“Foi uma felicidade, não quero nem pensar nisso (na lesão sofrida durante o jogo). O que importa é que o título ficou em casa. A equipa do FC Porto é muito qualificada, mas nós vimos de uma sequência muito boa, a jogar em casa. Jogámos com esse fator e fomos campeões.

Tivemos muita união. Abraçámos a ideia do treinador, que favorece muito o grupo. Todos unidos, vamos longe”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Carlos Meira desiste da corrida à liderança do CDS

Congresso do CDS

em

Foto: Imagens CDS

Carlos Meira anunciou este sábado que desiste da candidatura à liderança do CDS-PP, não levando a sua moção a votos.

O antigo presidente da concelhia de Viana do Castelo não declarou apoio a qualquer um dos restantes candidatos.

Apenas pediu “união” para o partido, abdicando da corrida. A decisão surge pouco tempo depois do candidato Abel Matos Santos também ter desistido, manifestando apoio ao candidato Francisco Rodrigues dos Santos.

A votação das moções de estratégia global decorrerá no final da apresentação das moções, até às 02:30, no 28.º Congresso do CDS-PP, que decorre até domingo no Parque de Exposições de Aveiro.

Restam três candidatos: Francisco Rodrigues dos Santos, Filipe Lobo d’Ávila e João Almeida.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães vai ter uma estátua a representar a imagem de Vímara Peres

Fundador de Guimarães

em

Estátua de Vimara Peres no Porto. Foto: DR / Arquivo

Guimarães vai ter uma estátua a representar a imagem de Vímara Peres, que fundou a cidade de Guimarães (Vimaranes),200 anos antes do nascimento de D. Afonso Henriques, a que deu o seu nome, anunciou este sábado o presidente da Câmara, Domingos Bragança, durante a apresentação do livro “Religare”, do escultor Dinis Ribeiro, que será o autor da obra de arte.

Vímara Peres foi o fundador de um pequeno burgo fortificado designado por Vimaranis (derivado do seu próprio nome), que com o decorrer dos tempos, por evolução fonética, deu lugar a Guimarães, tendo sido o principal centro governativo do Condado Portucalense.

Domingos Bragança explicou que a escolha de Dinis Ribeiro para realizar esta escultura é sinal do “reconhecimento” pela obra do escultor vimaranense e que atingiu já uma ampla dimensão nacional.

“Em Guimarães temos uma história feita futuro, nesta religação do passado ao presente e do presente ao futuro e com esta escultura de Vímara Peres estamos a religar e homenagear o iniciador do burgo de Guimarães”, frisou.

Foto: Divulgação

A sessão de apresentação do catálogo da exposição de escultura “Religare”, de Dinis Ribeiro, decorreu na Plataforma das Artes e da Criatividade, com as presenças de Fernanda Ribeiro, diretora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), a vereadora da Cultura de Guimarães, Adelina Pinto, o curador da exposição, Delfim Sousa, entre outros convidados.

A exposição “Religare” foi inaugurada em maio do ano passado, no âmbito do centenário da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), com o apoio do Município de Guimarães, e contempla uma mostra de arte pública com seis núcleos expositivos das unidades de conhecimento da história do centenário da FLUP.

A diretora da FLUP destacou a “exposição simbólica” e sublinhou na sua intervenção que “foi um gosto ter acolhido esta exposição, num ano especial, em que assinalamos os 100 anos da criação das Letras na Universidade do Porto. Uma das missões da faculdade é a ligação à sociedade e nada melhor que a ligação entre as letras e a arte para criar estes laços e partilhar a ciência que produzimos para a sociedade”, referiu Fernanda Ribeiro.

Dinis Ribeiro agradeceu o apoio da Câmara de Guimarães pela “forma como tem retribuído no apoio aos artistas vimaranenses”, destacando ainda a colaboração de todos os que contribuíram na elaboração desta exposição.

Natural de Rendufe, Guimarães, Dinis Ribeiro tem formação na área da cantaria e da talha e desenvolveu uma profícua atividade artística na área da escultura. Tem arte pública espalhada em várias regiões do território nacional e ainda em Espanha e França, contando com várias exposições em Portugal, nomeadamente em galerias de arte, museus e monumentos nacionais.

Continuar a ler

Populares