Seguir o O MINHO

Braga

Investigadora da UMinho vence Medalha de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência

Joana Cabral foi uma das quatro escolhidas, entre 70 candidatas. Vai receber 15 mil euros para estudar o cérebro

em

A investigadora Joana Cabral, da Escola de Medicina da Universidade do Minho (UMinho) e do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS), foi esta quarta-feira distinguida com a Medalha de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, anunciou a academia minhota. A cientista vai receber 15 mil euros para conectar a matemática com a neurologia e representar o mapa do nosso cérebro humano, por forma a compreender as alterações encontradas em doentes neurológicos e psiquiátricos.

Em declarações à Lusa, a investigadora disse que há “sinais cerebrais” relacionados, não se sabe porquê, com diferentes doenças neurológicas e psiquiátricas, como esquizofrenia, epilepsia ou transtorno obsessivo-compulsivo.

Partindo das “dinâmicas” geradas pelas redes de neurónios (células cerebrais), a cientista propõe-se construir, a partir de algoritmos computacionais, modelos teóricos que reproduzam esses sinais cerebrais, primeiro de pessoas saudáveis.

Estes modelos serão depois comparados e validados com os dados obtidos em eletroencefalografias e ressonâncias magnéticas funcionais, exames que registam a atividade cerebral.

Posteriormente, numa outra fase, fora do âmbito da proposta de trabalho com o qual foi premiada, a ideia será “manipular” um modelo teórico genérico que possa ajudar a compreender as alterações na rede neuronal associadas a doenças neurológicas ou psiquiátricas.

Aos 35 anos, a investigadora doutorou-se, em 2012, em Neurociência Teórica e Computacional, em Barcelona, Espanha, logo após ter concluído Engenharia Biomédica. Regressou a Portugal depois de ter concluído um pós-doutoramento em Oxford, no Reino Unido, mantendo-se como investigadora do ICVS, enquanto continua a colaborar com vários projetos internacionais.

O Prémio “Mulheres na Ciência” é atribuído anualmente a jovens investigadoras, entre os 30 e os 36 anos, e financiado pela empresa de cosmética L’Oréal Portugal.

Diana Madeira (Universidade de Aveiro), Joana Caldeira (Universidade do Porto) e Patrícia Costa Reis (Universidade de Lisboa) foram as outras investigadoras galardoadas com a Medalha de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência, distinção que chegou à sua 15.ª edição.

O júri, presidido por Alexandre Quintanilha, avaliou mais de 70 candidaturas, elegendo estas quatro jovens investigadoras. O prémio pretende contribuir para aumentar o número de cientistas mulheres a nível mundial, que continua abaixo dos 30%.

Populares