Seguir o O MINHO

Braga

INL de Braga projeta testes rápidos para pandemias, mas já não vai a tempo da Covid-19

Covid-19

em

Foto: Divulgação

O Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, pretende investir, nos próximos três anos, cerca de 5 milhões de euros numa investigação que visa criar um dispositivo para testes “rápidos, práticos e eficazes” em situações de pandemia.


Lorena Diéguez, coordenadora da área da saúde do INL e uma das investigadoras envolvidas naquele projeto, disse hoje à Lusa que aquele dispositivo permitirá prever a gravidade que o vírus atingirá em cada pessoa.

“A grande vantagem é que, para fazer o teste, não será preciso fazer chegar as recolhas a nenhum laboratório especializado e certificado. O teste poderá ser feito em qualquer lado, como centros de saúde, aeroportos ou fábricas, e numa hora o resultado é conhecido”, explicou.

A candidatura para a investigação vai ser entregue na terça-feira, ficando depois o avanço dependente da aprovação e do respetivo financiamento.

O projeto envolve centros de investigação e empresas tecnológicas de Portugal, Espanha, Dinamarca, Grécia e Alemanha, podendo ainda ser alargado a uma entidade francesa.

“Naturalmente, não chegaremos a tempo de acudir à pandemia da covid-19, mas o dispositivo é facilmente aplicável a outra qualquer virose, bastando para tanto adaptar os reagentes usados no chip”, disse ainda Lorena Diéguez.

No fundo, explicou, o dispositivo consistirá numa “pequena máquina” e num chip descartável.

À Lusa, fonte oficial do INL disse que este laboratório ibérico abriu posições para dez novos engenheiros de investigação e também dois investigadores, para reforçar a capacidade de desenvolver novos projetos e fortalecer as capacidades internas, nomeadamente no setor de saúde.

Um setor, sublinha, “que se tornou agora ainda mais crítico, após desafios globais que todos enfrentamos perante o surgimento da covid-19”.

“A contratação de novos investigadores vai ser particularmente benéfica em áreas como o diagnóstico e o desenvolvimento de protótipos”, acrescentou.

Citado em comunicado, o diretor-geral do INL, Lars Montelius, refere que o laboratório está consciente da sua responsabilidade, “mais ainda agora que todas as atenções e esperanças se voltam para a ciência e para aqueles que trabalham para resolver problemas complexos, como é a pandemia que mudou a forma como vivemos em todo o mundo”.

“É por isso que precisamos de mais pessoas para desenvolver e fazer acontecer a ciência para o benefício de todos. Este é o momento de fortalecer a ciência, e o INL está totalmente comprometido com essa missão”, disse ainda.

Anúncio

Braga

Centenas contra o racismo em Braga (com máscara mas sem grande distanciamento social)

FOTOGALERIA

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O protesto solidário pela morte do norte-americano George Floyd, ocorrido no passado dia 25 de maio, às mãos de um agente de polícia, decorreu este sábado na Avenida Central, no centro de Braga, à semelhança das restantes maiores cidades do país.


Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Com testemunhos de vítimas de racismo e preconceito, dezenas de cartazes com mensagens e gritos de protesto, a manifestação juntou cerca de 200 pessoas, todas com máscara, mas sem grandes regras de distanciamento social, apesar do esforço da organização.

Continuar a ler

Braga

Todos os bombeiros de Amares infetados já recuperaram da covid

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Os seis operacionais assalariados dos Bombeiros Voluntários de Amares que estavam infetados com covid-19 já recuperaram e regressaram ao trabalho.


O MINHO falou com Domingos Ferreira, responsável do comando daquela associação humanitária, que confirmou a ‘boa nova’, dando conta de que regressaram com “todas as medidas de segurança”.

O comandante-adjunto acrescenta ainda que já está formado uma equipa de combate a incêndios integrada no dispositivo especial, em prontidão, caso surja algum incêndio no concelho, algo que ainda não aconteceu desde que foi estabelecida.

Recorde-se que os primeiros casos de bombeiros contagiados ocorreu a 02 de maio, com dois casos positivos. Foram, entretanto, confirmados mais quatro casos, mas já todos recuperaram.

Durante o mês de maio, a sombra de novos contágios pairou sobre o corpo ativo, com o receio de que o quartel tivesse de ser encerrado, face à falta de operacionais. Mas a questão foi contornada com o serviço a ser assegurado em exclusivo por elementos voluntários.

Segundo o relatório da DGS por concelho de sexta-feira, existiam no concelho de Amares 78 casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus.

Continuar a ler

Braga

Primeira feira junto ao Estádio Municipal de Braga decorre sem incidentes

Feiras e mercados

em

Foto: DR / Arquivo

A primeira feira semanal dos comerciantes que operavam no exterior do mercado de Braga está a decorrer, hoje, “sem incidentes” na Alameda do Estádio.


A vereadora do setor, Olga Pereira revelou hoje a O MINHO que a feira está a ter uma afluência “razoável” estando a ser realizada de acordo com as regras de segurança impostas pela Direção Geral de Saúde e que passam por uma distância de dois metros entre cada tenda, por corredores próprios para a entrada e a saída de pessoas e pelo uso de máscara.

“A Câmara congratula-se com a realização da feira. Ao contrário do que, por vezes foi dito, a nossa intenção sempre foi a de dar a oportunidade aos vendedores de exercerem a sua atividade noutro local, já que a zona exterior do mercado não tinha condições para que as regras de segurança fossem cumpridas”, salientou.

No local está, também, uma força da Polícia Municipal “para ajudar a que tudo corra bem” e para que cada feirante ocupe o lugar que lhe está determinado.

Recorde-se que os feirantes realizaram vários protestos em frente ao edifício dos Paços do Concelho exigindo que o Município lhes passasse um documento em como voltariam para o exterior do mercado.

A vereadora recusou-se a passar o dito documento, dizendo que a palavra da autarquia é suficiente, mas, em resposta a um abaixo-assinado entregue pelos feirantes, presidente da Câmara reafirmou que o direito ao regresso estava garantido, o que levou o grupo a desistir do protesto e a aceitar a ida para junto do estádio.

Continuar a ler

Populares