Seguir o O MINHO

Braga

INL de Braga em projeto europeu que avalia efeitos das nanopartículas em aquacultura

“Nanoculture”

em

Foto: DR / Arquivo

Investigadores do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), em Matosinhos, integram um projeto europeu que visa avaliar “os efeitos das nanopartículas” em peixes e moluscos que são produzidos em aquacultura, revelou hoje o responsável. O Laboratório Internacional de Nanotecnologia de Braga está incluído neste projeto.


Em entrevista à agência Lusa, Mário Araújo, investigador do CIIMAR, explicou que o projeto “NANOCULTURE” surgiu, em março de 2019, com o propósito de “avaliar os efeitos da utilização das nanopartículas” no setor industrial da aquacultura.

“Verificou-se que as nanopartículas estão em maior concentração no ambiente e daí surgiu o interesse de nos voltarmos para a aquacultura e a presença destas partículas [com um tamanho mil vezes inferior ao milímetro] no ambiente aquático”, referiu o investigador.

O projeto vai nos próximos dois anos debruçar-se sobre três objetivos, sendo que o primeiro é “perceber o trajeto das nanopartículas quando ‘entram’ nos organismos”.

Para perceberem esse trajeto, nomeadamente “efeitos e implicações”, os investigadores estão a analisar duas espécies cultivadas em “grande volume” pela indústria da aquacultura: o pregado (peixe) e o mexilhão (molusco).

“Alguns colegas estão a trabalhar a observar as nanopartículas em amostragem ao nível dos tecidos e outros estão a tentar perceber se estas partículas interferem ao nível das proteínas e das suas funções”, explicou Mário Araújo.

Paralelamente a esta análise, os investigadores vão desenvolver “biossensores” para quantificar e detetar as nanopartículas presentes no meio aquático, mas também no tecido dos animais.

Segundo Mário Araújo, a equipa de investigação pretende ainda “avaliar o risco destas partículas para o consumidor”.

“O que se diz é que pode haver risco através do consumo, mas nós não vamos fazer análise de risco, isto é, não vamos colocar ninguém a comer peixe contaminado, vamos sim cozinhar o peixe e avaliar se as nanopartículas permanecem presentes”, explicou.

Mário Araújo adiantou que o projeto, desenvolvido ao abrigo do programa Interreg Atlantic Area, vai ser essencial para “avaliar o risco e minimizar a presença das nanopartículas em aquaculturas da região Atlântica”.

Além do CIIMAR, integram este projeto o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga, a Universidade de Santiago de Compostela, o Cluster Tecnológico de Aquacultura da Galiza, a Universidade de Vigo e o Centro de Investigação Marinha Índigo Rock, na Irlanda.

Anúncio

Braga

Câmara de Braga e construtora pedem a tribunal para decidir dívida

Justiça

em

Foto: DR

O consórcio Assoc e a Câmara de Braga não chegaram a acordo sobre o pedido da empresa de dez milhões por causa da construção do Estádio Municipal e, por isso, irá recorrer ao Tribunal Administrativo para resolver a questão, avança o Jornal de Notícias (JN).

Entretanto, adianta o mesmo jornal, o município também recorreu de outra decisão judicial que o obriga a pagar 4,9 milhões ao arquiteto Souto Moura.

Em declarações ao JN, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, confirmou que “não foi possível chegar a acordo já que a Assoc pedia dez milhões sem justificar esse valor” e, portanto, “o tribunal terá que chegar a um valor, não por estimativa, mas com dados confirmados”.

Câmara de Braga perde recurso e terá que pagar 4,9 milhões a Souto Moura

Em sentença confirmada pela segunda instância, o Tribunal Administrativo de Braga condenou a Câmara a pagar um valor não quantificado à Assoc (Soares da Costa, Grupo Rodrigues e Névoa, Casais, DTS, ABB e duas empresas que ficaram insolventes – Eusébios e J. Gomes), por prolongamento de custos de estaleiro para terminar a obra em finais de 2003.

Em 2018, a Câmara tinha já sido condenada a liquidar quatro milhões ao mesmo consórcio – no caso, por horas extraordinárias na execução da obra do estádio -, tendo recorrido para o Supremo Tribunal de Justiça no ano seguinte.

São 4,9 milhões de euros a pagar pela Câmara ao consórcio formado entre as empresas Souto Moura – Arquitetos, Lda e Associados – Projetos de Engenharia, SA, que fez, em 2000, o projeto do novo estádio da cidade para o Euro 2004.

Continuar a ler

Braga

Distrito de Braga sob aviso laranja por causa do calor

Meteorologia

em

Foto: DR / Arquivo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso laranja o distrito de Braga devido às elevadas temperaturas, que hoje chegarão aos 38º.

O distrito de Viana do Castelo está com aviso amarelo, com previsão de máxima de 33º.

Cerca de 40 concelhos de oito distritos do interior norte e centro e Algarve apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o IPMA.

Em risco máximo de incêndio estão cerca de 40 concelhos de Faro, Portalegre, Santarém, Castelo Branco, Guarda, Viseu, Vila Real e Bragança.

O IPMA colocou também risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

Segundo o IPMA, pelo menos até ao final da semana vai manter-se o risco de incêndio máximo e muito elevado em vários concelhos do continente por causa do tempo quente.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou sob aviso laranja os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja até às 21:00 de hoje.

Os distritos de Viana do Castelo, Porto, Aveiro, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Setúbal e Faro vão estar sob aviso amarelo até às 21:00 de hoje também devido à persistência de valores elevados das temperaturas máximas.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

De acordo com o IPMA, a “situação de tempo seco e quente” deverá manter-se até meados da semana, prevendo-se “uma ligeira descida de temperatura na terça-feira”.

As temperaturas máximas durante este período podem variar entre os 34 e os 39 graus Celsius nas regiões do interior.

Em alguns locais, como por exemplo no nordeste transmontano, vale do Douro, vale do Tejo e no interior do Alentejo os valores da temperatura máxima podem aproximar-se de 40 e os 42 graus, segundo o IPMA.

Junto à faixa costeira, as temperaturas máximas terão valores ligeiramente inferiores, entre os 28 e 30.

De acordo com o instituto, esta subida de temperatura deve-se à deslocação “de uma massa de ar quente e seco proveniente do norte de África, associada a um fluxo de leste sobre a Península Ibérica na circulação do anticiclone localizado na região dos Açores, que se estende em crista até ao Golfo da Biscaia, e de uma depressão centrada a sul da península”.

Por causa das elevadas temperaturas, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) emitiu um aviso à população para o perigo de incêndio rural.

Em comunicado, a ANEPC sublinha que face a estas previsões, é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização, fazer queima de amontoados, utilizar fogareiros ou grelhadores em todo o espaço rural, salvo se usados fora de zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito, e fumar ou fazer lume nos espaços florestais.

Continuar a ler

Braga

Jovem de 22 anos agredida e atirada de carro em andamento em Braga

Em Adaúfe

em

Imagem ilustrativa

Uma jovem de 22 anos foi agredida e atirada de um carro em andamento ontem à noite, na EN205-4, em Adaúfe, concelho de Braga.

O condutor agrediu a mulher, que seria amiga, com um soco num olho e fê-la sair do carro ao pontapé e ao empurrão, enquanto conduzia.

O homem, ao volante de um BMW, ainda voltou ao local e foi novamente embora, sem prestar auxílio.

Os Bombeiros Sapadores de Braga, acionados às 22:06, transportaram a vítima politraumatizada e em estado de choque para o Hospital de Braga.

A GNR ouviu testemunhas, que ainda foram no encalço do agressor, mas sem sucesso.

Continuar a ler

Populares