Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Iniciada em Viana do Castelo instalação de primeiro parque eólico flutuante da Europa

Projeto Windfloat Atlantic

em

Foto: DR / Arquivo

A primeira plataforma flutuante do projeto Windfloat Atlantic, primeiro parque eólico da Europa continental, já está a ser transportada para alto mar, onde ficará instalada, a 20 quilómetros de Viana do Castelo, informou hoje o consórcio Windplus.

Em causa está o Windfloat Atlantic (WFA), um projeto de uma central eólica ‘offshore’ (no mar), em Viana do Castelo, orçado em 125 milhões de euros, coordenado pela EDP, através da EDP Renováveis, e que integra o parceiro tecnológico Principle Power, a Repsol, a capital de risco Portugal Ventures e a metalúrgica A. Silva Matos.

Em comunicado, hoje enviado à imprensa, a EDP adiantou que “a estrutura, que saiu do porto de Ferrol, na Galiza, Espanha, em direção a Viana do Castelo, tem a maior turbina eólica ‘offshore’ do mundo assente numa plataforma flutuante”, sendo a primeira de “três torres eólicas” a instalar a 20 quilómetros da costa da capital do Alto Minho, numa zona em que a profundidade da água alcança os 100 metros.

“Quando estiverem prontas para entrar em fase operacional, as três estruturas flutuantes vão medir 30 metros de altura e terão uma distância de 50 metros entre si”, especifica a empresa.

Segundo a EDP, “duas das plataformas foram fabricadas no porto de Setúbal, em Portugal, e a terceira nos portos de Avilés e Ferrol, em Espanha”.

“O Windfloat Atlantic inclui tecnologia de ponta que minimiza o impacto ambiental e permite produzir energia eólica em alto mar em águas profundas, como é o caso da costa portuguesa”, explica a empresa que integra a Windplus, consórcio titular da Utilização do Espaço Marítimo Nacional para a instalação daquele projeto.

Segundo a nota, “nos próximos meses, as duas outras plataformas serão também transportadas para a localização final, para completar o parque eólico que terá uma capacidade instalada de 25 megawatt (MW), capaz de produzir eletricidade suficiente para abastecer cerca de 60 mil habitações por ano”.

O WindFloat Atlantic utiliza tecnologia “de ponta”, fornecida pela Principle Power, que vai permitir a instalação das plataformas flutuantes em águas profundas, antes inacessíveis, com o aproveitamento de abundantes recursos eólicos.

O projeto é apoiado por entidades públicas e privadas e é financiado pela Comissão Europeia, pelo Governo português e pelo Banco Europeu de Investimento (BEI).

Segundo a EDP, este projeto “vai acelerar a implementação comercial de tecnologia inovadora WindFloat, que aproveita a abundância dos recursos eólicos em águas profundas, até agora inacessíveis, constituindo-se um marco importante para o setor, por ser o primeiro parque eólico flutuante semi-submersível do mundo”.

As três turbinas eólicas alicerçadas em estruturas flutuantes, ficarão “presas apenas por correntes ao leito do mar”.

“Esta tecnologia tem amplos benefícios que aumentam a sua acessibilidade e melhoram o custo-benefício, incluindo a possibilidade de a montagem ser feita em terra, numa doca seca, sem ser necessário recorrer a reboques especializados”, acrescenta.

Segundo o consórcio responsável pelo parque eólico flutuante, o projeto tem também o benefício de não depender das complexas operações que são necessárias para instalar estruturas tradicionais fixas ao fundo do mar, como nos parques eólicos ‘offshore’ tradicionais.

“O transporte da primeira das três estruturas é um marco importante neste projeto, já que conseguiu evitar a necessidade de ter um rebocador especificamente construído para este projeto. Este benefício, a somar ao processo simples de ancoragem, torna possível replicar esta iniciativa noutras áreas geográficas e facilita a fase de comissionamento de um projeto semelhante, independentemente dos limites geográficos”, revela o consórcio.

Anúncio

Alto Minho

FNAC chega a Viana para “levar cultura, lazer e tecnologia a mais portugueses”

A partir de amanhã, no centro comercial Estação Viana

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A FNAC chega, esta semana, a Viana do Castelo naquela que é a sua 32ª loja em Portugal. Com esta abertura, que, segundo fonte da empresa, representa um investimento que ronda meio milhão de euros e a criação de 15 postos de trabalho diretos, a insígnia francesa alarga a sua cobertura a nível nacional e reforça a sua presença no norte do país.

A FNAC Viana do Castelo abre ao público no próximo dia 15 de novembro e pretende servir toda a cidade e zonas limítrofes, abrangendo assim cerca de 240 mil habitantes, população estimada do dsitrito. Localizada no piso 2 do Estação Viana Shopping, em pleno coração da capital minhota, esta nova loja conta com uma área comercial de 475 m2 onde disponibiliza uma vasta oferta em produtos e serviços, aos apaixonados por cultura, tecnologia e lazer.

“Nesta nova FNAC, será possível encontrar cerca de 14 mil referências disponíveis com stock em loja. Mas a oferta da FNAC é ainda maior uma vez que os clientes podem aceder a 4 milhões de artigos do catálogo, através dos vários fluxos omnicanal, disponíveis na manhã do dia seguinte”, é dito num comunicado enviado a O MINHO.

Para além da oferta de produtos técnicos e artigos editoriais, a FNAC Viana do Castelo terá ainda à disposição dos habitantes da região vários serviços, nomeadamente a Bilheteira FNAC, Clínica FNAC e Adesão/Financiamento Cartão FNAC.

Nuno Luz, Diretor Geral da FNAC Portugal, citado no texto, afirma que “esta abertura é mais uma prova de que a FNAC está a cumprir o seu compromisso de levar cultura, lazer e tecnologia a mais portugueses. A nossa rede de lojas continua a crescer, o que nos permite chegar a cada vez mais pessoas que veem na FNAC a solução para as suas necessidades, seja um telemóvel, um livro, um bilhete de espetáculos ou até um eletrodoméstico. Sentimos que já somos uma referência na vida das populações”.

José Duarte Glória, Diretor do Estação Viana Shopping afirma que “estamos muito satisfeitos com a abertura da FNAC, não só aumentamos o nosso portfólio de lojas, como reforçamos de forma significativa a nossa oferta a nível cultural, numa data particularmente expressiva pois antecede a época natalícia. No Estação Viana Shopping trabalhamos diariamente para proporcionar a melhor experiência a todos os que nos visitam, seja para fazer compras, para lazer e também numa vertente cultural. A partir de agora temos mais um excelente argumento para nos visitarem.”

O evento de inauguração acontece na próxima quinta-feira, dia 14 de novembro, e vai contar com a presença de Pedro Abrunhosa, padrinho da loja, que irá apresentar alguns dos seus sucessos musicais num showcase especial, a partir das 19:30.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Raposa que teima em aparecer nos treinos pode tornar-se mascote de clube de Viana

Descontração do animal deixa todos desarmados: “Até parece domesticada”

em

Uma raposa que teima em aparecer no campo do Castelense, da equipa de futebol conhecida como “lobos do mar” que milita no campeonato distrital de Viana do Castelo, pode tornar-se na nova mascote do clube de Castelo de Neiva.

A raposa já marcou presença em dois treinos do Grupo Desportivo Castelense. No relvado sintético do estádio Beira-Mar, situado junto ao mar, a raposa brincou com os cones que marcam os exercícios dos jogadores e até deu uns toques na bola, interagindo com o plantel.

No último domingo, no final do jogo que opôs o clube da terra ao Ancorense, da primeira divisão distrital da Associação de Futebol de Viana do Castelo, o animal voltou a aparecer em campo.

Os momentos da raposa foram registados em vídeo por dirigentes do clube e, rapidamente, se tornaram virais. Nas redes sociais crescem os apelos para que se torne na nova mascote do Castelense.

“Inicialmente pensávamos que seria um caso esporádico, mas o que é certo é que a raposa voltou. Se começar a ser presença constante teremos que equacionar. O coordenador técnico do clube já lançou o repto para que seja a nova mascote do clube. Quem sabe se não passamos de lobos a raposas do mar”, afirmou hoje à Lusa o presidente da assembleia geral.

Paulo Lages adiantou que o assunto será abordado na próxima reunião do clube, no sábado, dia em que o Castelense irá comemorar 44 anos de existência.

“Na reunião da direção, no sábado, iremos abordar o assunto. Há essa intenção depois do entusiasmo que esta situação criou”, referiu.

Na margem esquerda do rio Lima, terra de pescadores, Castelo de Neiva tem uma “enorme zona verde”, entre pinhais e campos agrícolas. As raposas são presença habitual na freguesia, mas sem o à vontade desta raposa que, ao cair da noite, vai “mostrar as suas habilidades futebolísticas”.

“Nota-se que é um animal jovem e que criou este à vontade com as pessoas. Achou piada em vir brincar com as bolas de futebol e tem vindo. Não sei o que a atrai, se é a luz, mas o que é certo é que aparece. Perdeu o medo e interage connosco. Se atiramos a bola, ela vai buscar. Se nos aproximamos demais ela foge” explicou Paulo Lages.

Ao impacto que o caso suscitou nas redes sociais juntou-se a curiosidade de sócios, pais e familiares dos atletas do Castelense.

“Parece uma romaria para ver a raposa dar uns toques na bola”, observou

Na primeira aparição da raposa no treino do Castelense, Tânia Sá e Carolina Neiva, diretoras do clube, estavam no estádio e ficaram incrédulas. Registaram o momento através do telemóvel e partilharam nas redes sociais a “naturalidade” com que o animal “brinca com as bolas”.

“Está muito à vontade com as pessoas. Deixa-nos aproximar até cerca de dois metros, mais do que isso não. Quando vê a bola vai atrás dela. É a primeira vez que isto acontece no clube e, nas redes sociais muita gente já pede para seja a mascote do clube”, explicou Tânia Sá.

A descontração da raposa deixa todos desarmados: “Até parece domesticada. Aqui no clube não a não alimentamos, mas há galinheiros nas redondezas do estádio onde têm faltado galinhas”, brincou Tânia Sá.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Radioamadores do Alto Minho reúnem-se em Viana

Simpósio

em

Foto: Divulgação

A Associação de Radioamadores do Alto Minho (ARAM) vai realizar, nos dias 23 e 24, um simpósio sobre comunicações por satélites, que decorrerá em Viana do Castelo, anunciou hoje a organização.

O evento, “denominado TecSat-Po 2019”, prevê a participação de radioamadores de várias regiões do país e de Espanha e tem como objetivo principal divulgar as técnicas que permitem a utilização de satélites para comunicações entre radioamadores”.

A organização “conta com a colaboração da Câmara de Viana do Castelo que, para além de outros apoios, organizará o programa turístico e social, destinado aos acompanhantes dos participantes, e que decorrerá durante o dia de sábado”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares