Seguir o O MINHO

Braga

Incêndio no Hospital de Braga provocou um ferido grave e transferência dos 20 doentes de psiquiatria

“Por questões de segurança”

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os 20 doentes internados em psiquiatria no Hospital de Braga vão ser transferidos para outras unidades públicas e privadas, na sequência do incêndio que hoje ali se registou, disse o presidente do conselho de administração.

Segundo João Porfírio Oliveira, o Hospital de Braga “tem capacidade” para ficar com aqueles doentes, mas vai proceder à sua transferência tendo em conta a “especificidade” da doença em causa.

João Porfírio de Oliveira. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A transferência, explicou o responsável, vai ocorrer “por questões de segurança e de desenfumagem [do espaço]”, de forma a garantir que “tudo está bem”.

Um incêndio deflagrou na manhã de hoje na ala masculina de psiquiatria do Hospital de Braga, estando as causas da ocorrência ainda a ser investigadas.

Segundo Jorge Marques, diretor clínico do Hospital de Braga, dois doentes ficaram feridos, um dos quais, que estava internado no quarto em que deflagrou o incêndio, sofreu “queimaduras graves”.

Jorge Marques. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Esse doente vai ser transferido para uma unidade de queimados, no Porto.

O outro doente teve problemas com a inalação de fumo, mas a sua situação “já está resolvida”.

Em relação à origem do incêndio, Jorge Marques disse que ainda não é conhecida a “causa direta” do mesmo.

“Sabemos que teve origem num dos quartos, mas não sabemos a causa direta”, referiu.

Admitiu, no entanto, que o fogo pode ter sido provocado por um doente internado.

“Essa é sempre uma das hipóteses. O hospital tem procedimentos e normas de segurança muito específicos, mas também sabemos que às vezes acontecem percalços desta natureza. Temos de pedir um inquérito”, acrescentou.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O alerta para o incêndio foi dado pelas 10:12, tendo sido mobilizados para o local 33 operacionais, apoiados por 11 viaturas.

João Felgueiras. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O comandante dos Bombeiros Sapadores de Braga, João Felgueiras, disse que, neste momento, apenas se sabe onde começou o incêndio.

Quanto às circunstâncias, referiu que essa é uma questão que “está entregue à investigação”.

Anúncio

Braga

Oficial: Média de infetados em Braga baixa nas últimas 24 horas. Há 1.154 infetados no Minho

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde desta quarta-feira vem com os números aproximados daquilo que são os casos fidedignos de infeções por covid-19 discriminados por concelho. Existem 1.154 casos confirmados no Minho.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 24:00 de terça e podem comportar apenas cerca de 79% dos casos reais.

Braga, com 423 (+16 do que ontem) casos confirmados, Famalicão com 154 (+4) e Guimarães com 149 (+2) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia. A média de novos infetados em Braga desceu para mais de metade nas últimas 24 horas.

Fonte: DGS

Segue-se o concelho de Barcelos com 107 (+5), Viana do Castelo com 79 (+4), Vila Verde sobe para 49 (+1), Arcos de Valdevez mantém 26, Póvoa de Lanhoso mantém 23, Amares mantém 19, Vizela mantém 17, Esposende mantém 16, Fafe mantém 13, Ponte de Lima mantém 12, Melgaço sobe para 12 (+3), Vieira do Minho soba para 11 (+2), Monção sobre para 9 (+2), Caminha mantém 8, Celorico de Basto mantém 7, Paredes de Coura mantém 6, Cabeceiras de Basto mantém 5 casos, Valença sobe para 5 (+1) e Terras de Bouro mantém 4.

Os restantes concelhos minhotos registam menos de 3 casos, alguns ainda sem infetados, e não constam no relatório por “motivos de confidencialidade”.

Continuar a ler

Braga

Arcebispo de Braga quer velas à janela e sinos a tocar no domingo de Páscoa

Covid-19

em

Foto: DR

O Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, em carta pastoral enviada aos sacerdotes católicos da Arquidiocese, pede “às famílias que, para exteriorizarem a sua fé na noite de sábado para domingo de Páscoa, coloquem na janela uma ou mais velas. Recordar-nos-ão o batismo e convidar-nos-ão a ser luz no mundo”.

O prelado acrescenta que, “durante o Domingo de Páscoa, os sinos devem tocar festivamente. A criatividade pastoral pode e deve ser usada para inventar outros sinais que manifestem a alegria pascal, nomeadamente um almoço festivo, com muitas ou poucas coisas, antecedido de um momento de oração”.

Na carta pastoral, D. Jorge Ortiga realça que “há mensagens, contactos telefónicos, saudações pela internet” e conclui: “Tudo deve seguir o que a fantasia da caridade sugere. E digo mais uma vez: acrescenta-lhe a melodia dos gestos, como possas e quanto o amor te ditar. O teu gesto diz: Estou a teu lado, à tua frente, a teu lado, no teu meio, atrás de ti”.

A celebração no Sábado será às 21h e no Domingo às 11h30, ambas na Sé Primaz. Ambas transmitidas pela internet.

Continuar a ler

Braga

Parques de campismo em Braga e Vila Verde disponíveis para profissionais de saúde

Covid-19

em

Foto: Domingos Costa

Os parques de campismo situados em Braga e Vila Verde estão disponíveis para receber profissionais de saúde durante o tempo da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Câmara de Braga explica que o Parque de Campismo e Caravanismo de Braga terá alojamento para até 24 pessoas da área da saúde e da proteção civil, após pareceria entre a autarquia, a Invest Braga, o movimento de caravanistas ISTAS e o Hospital de Braga.

Bungalows, autocaravans e caravanas estarão disponíveis a partir de quinta-feira, com a chegada de mais seis autocaravanas vindas de Lisboa, conforme já foi noticiado por O MINHO.

Oferece ainda quatro espaços livres para os profissionais que possuam autocaravanas ou caravanas e necessitem deste serviço.

Já em Vila Verde, na freguesia de Aboim da Nóbrega, o parque de campismo local decidiu colocar dois bungalows, com capacidade para quatro pessoas, à disposição da comunidade médica.

No Parque de Campismo e Caravanismo Rural de Aboim da Nóbrega existem sete espaços para autocaravanas e caravanas para quem possua meios próprios e necessite de um espaço.

Esta iniciativa surge após disponibilidade demonstrada pela ATAHCA, Associação de desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave, proprietária do parque.

Continuar a ler

Populares