Redes Sociais

Fafe

Incêndio em Fafe deixou três pessoas desalojadas

 a

Um incêndio numa habitação em Cepães, Fafe, deixou hoje três pessoas desalojadas, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo a fonte, o fogo deflagrou numa casa onde vivia um casal de octogenários, destruindo um quarto e danificando o telhado. As chamas também provocaram danos numa habitação próxima, onde residia uma mulher.

O alerta ocorreu às 14:44 e o incêndio não causou feridos.

Oito operacionais dos bombeiros de Fafe combateram as chamas, apoiados por três veículos.

No local, estiveram também os serviços municipais de proteção civil e de ação social da autarquia de Fafe.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Fafe

Casal de 30 anos esfaqueado por mulher junto a discoteca em Fafe

Publicado

 a

Interior da Discoteca "Praça da Música". Foto: DR/Arquivo

Um casal com cerca de 30 anos foi esfaqueado na madrugada de hoje, junto a uma discoteca, em Fafe, por uma mulher da mesma idade, na sequência de uma discussão ocorrida dentro do estabelecimento, disse fonte policial.

Segundo adiantou à agência Lusa fonte do Comando Territorial de Braga da GNR, o incidente ocorreu cerca das 05:00 de hoje, numa discoteca situada na zona industrial do Socorro, em Quinchães, Fafe, tendo as duas vítimas sido transportadas para o Hospital de Guimarães com ferimentos ligeiros.

De acordo com a GNR, a alegada agressora e outra mulher envolveram-se numa discussão no interior da discoteca, “com troca de palavras e empurrões”, tendo uma delas acabado por ser expulsa do estabelecimento.

Praça da Música, Fafe. Foto: DR

A mulher terá então ido ao carro buscar uma faca e desferido vários golpes no pescoço do namorado da mulher com quem tinha discutido, que veio em seu socorro e acabou também por ser golpeada.

Quando a GNR chegou ao local, a agressora tinha-se já posto em fuga, mas, segundo as autoridades, “foi já identificada” com base no relato de testemunhas.

De acordo com esta fonte, o caso está agora a ser investigado pela Polícia Judiciária, uma vez que pode configurar um homicídio na forma tentada.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Fafe

Fafe com mais de cem novas razões para separar

Publicado

 a

Foto: Facebook de Município de Fafe

A Câmara de Fafe anunciou hoje a instalação nos meses de outubro e novembro de 50 ecopontos, adiantando ainda que em 2019 serão colocados mais 69 equipamentos de recolha seletiva de resíduos.

Segundo a autarquia, a localização dos novos ecopontos destaca “as zonas de maior necessidade” e mais próximas dos aglomerados populacionais.

O reforço da rede de ecopontos no concelho está a ser realizado em parceria com a Resinorte, empresa concessionária da valorização e tratamento dos resíduos em 35 municípios.

A intervenção, destaca a autarquia de Fafe, vai chegar a locais ainda não abrangidos, aumentando a capacidade de armazenamento dos resíduos recicláveis”.

Foto: Facebook de Município de Fafe

A par com o reforço no número de ecopontos, a câmara está a fazer uma campanha de sensibilização, promovendo a importância da separação dos lixos.

Foto: Facebook de Município de Fafe

“A consciencialização para a área ambiental, que passa por uma profunda mudança de mentalidades e de hábitos, é uma prioridade do município”, defendeu o vereador Parcídio Summavielle, citado num comunicado enviado à Lusa.

O autarca deixou um apelo à população para que evite deixar outros resíduos junto aos ecopontos, recordando a existência no concelho de serviço de recolha dos lixos domésticos.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Fafe

Fafe arranca com obra do nó de Arões e acredita que Europa vai comparticipar

Investimento de dois milhões de euros.

Publicado

 a

Foto: DR/Arquivo

Fafe acredita que a construção do nó de ligação à zona industrial de Arões, hoje iniciada apenas com recursos financeiros do município, possa ser comparticipada por fundos europeus, disse à Lusa o presidente da câmara Raul Cunha.

O autarca explicou que a reprogramação dos fundos do programa “Portugal 2020”, recentemente anunciada pelo Governo, “abre uma janela de oportunidade” à Câmara de Fafe, no sentido de concretizar um desejo que mantém desde o início do projeto do nó de Arões.

Raul Cunha referiu que se trata de um investimento de dois milhões de euros, ao qual o município minhoto tem dado grande atenção, ao ponto de ter assumido, na íntegra, o seu financiamento, embora “sempre com a expectativa” de o poder integrar numa candidatura a fundos comunitários.

“É uma obra de pequena em dimensão, mas muito grande em impacto e importância”, comentou.

O presidente disse que a empreitada agora iniciada deverá estar pronta no verão de 2019 e constituirá um impulso importante para várias freguesias do concelho.

“Estamos a falar de um investimento numa zona industrial que já existe e que ficará fortemente dinamizada com esse acesso”, observou, indicado haver vários projetos de investimento previstos para aquela zona industrial que aguardavam a construção da nova ligação.

O futuro nó garantirá um acesso privilegiado das freguesias da zona poente do concelho (Golães, Arões – São Romão, Arões – Santa Cristina e Cepães) à atual via rápida sem portagens que liga Guimarães a Fafe, uma reivindicação antiga da população e empresários locais.

Aquelas populações, acrescentou o edil, deixarão assim de ficar tão dependentes da EN 206, uma via sinuosa e que apresenta sinais de degradação, que há muito não corresponde à dinâmica económica e social daquela zona do concelho.

Raul Cunha acentuou, por outro lado, que “todos aqueles terrenos ficarão valorizados como uma zona interessante para as pessoas poderem viver”.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares