Seguir o O MINHO

Alto Minho

Incêndio em fábrica em Arcos de Valdevez está contido, mas não dominado

Chamas lavram ainda “com muita intensidade” e vão ser necessárias “algumas horas de trabalho moroso”

em

Foto: O MINHO

O incêndio que deflagrou hoje numa fábrica de madeiras na zona industrial de Padreiro, Arcos de Valdevez, está contido, mas ainda não dominado, disse o primeiro comandante operacional distrital (CODIS) de Viana do Castelo, Marco Domingues.


Foto: O MINHO

Aos jornalistas, o responsável pelo posto de comando instalado naquela zona industrial adiantou que as chamas lavram ainda “com muita intensidade” e que vão ser necessárias “algumas horas de trabalho moroso”.

Sobre este incêndio, que deflagrou cerca das 20:50, Marco Domingues explicou que a prioridade é a proteção dos edifícios contíguos, que não foram afetados, que a fábrica de madeiras atingida apresenta “muita carga combustível” e “não há meios de combate dentro da fábrica porque não é compatível”.

De acordo com dados da Proteção Civil, cerca das 23:00, combatiam as chamas 144 operacionais apoiados por 51 veículos, quatro dos quais plataformas de grande capacidade, tendo sido solicitado ainda reforço de meios ao distrito de Braga.

Questionado sobre a eventual propagação das chamas à creche da zona industrial de Padreiro, Marco Domingues rejeitou essa possibilidade, reforçando que a prioridade é a proteção de “todo o edificado da envolvente”.

Incêndio em zona industrial de Arcos de Valdevez: “Nunca vi nada assim”, diz bombeiro – vídeo

“De momento a própria fábrica é a única afectada. Dadas as altas temperaturas, alguns edifícios poderão sofrer danos, mas de momento está tudo salvaguardado”, afirmou.

Sobre a ocorrência de alguns rebentamentos, disse não serem “alarmantes”, garantindo ser “natural que venham a ocorrer outros por poderem ainda existir no interior da fábrica alguns recipientes”.

Anúncio

Alto Minho

29 utentes e 9 funcionários infetados em lar de Caminha

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

29 utentes e 9 funcionários do Centro de Bem Estar Social de Seixas foram esta sexta-feira diagnosticados com covid-19, confirmou a vereadora da ação social Liliana Ribeiro.

Uma das funcionárias tinha recebido um teste positivo no passada terça-feira, pelo que foi ativado o plano de contingência do lar e também a testagem ‘em massa’ de colaboradores e funcionários.

De acordo com o Jornal C, que avança a notícia, os utentes que testaram positivo estão devidamente isolados em alas e pisos diferentes dos restantes.

A vereadora adianta ainda que a maioria dos utentes e funcionários encontra-se assintomática.

Ao JN, o presidente da direção daquela instituição, Manuel Vilares, adiantou que os testes foram realizados à custa do lar, uma vez que a autoridade de saúde local achou por bem “esperar mais uns dias”.

Conta que há ainda seis utentes cujos testes se revelaram inconclusivos, pelo que vão voltar a ser testados durante este sábado. Há ainda uma funcionária a aguardar resultado e outras três que vão repetir os testes por terem sido inconclusivos.

Os trabalhadores passam agora a laborar em espelho durante 14 dias.

(notícia atualizada às 22h56 com mais informação)

Continuar a ler

Alto Minho

Pelo menos quatro professores infetados em escola de Valença

Covid-19

em

Foto: DR

Pelo menos quatro professores do Agrupamento de Escolas Muralhas do Minho, em Valença, estão infetados com covid-19, disse o presidente da Câmara.

Manuel Lopes, em declarações à Rádio Vale do Minho, não soube precisar o número certo, adiantando que podem ser mais do que quatro nessa condição.

Os professores descobriram que estavam covidpositivos depois de terem efetuado testes na chegada aos Açores, durante uma viagem escolar, e mostraram-se bastante surpreendidos.

O autarca esclarece que “vários alunos” do oitavo ano, que estiveram em contacto com esses professores, foram enviados para isolamento profilático no domicílio, encontrando-se em vigilância ativa pelas autoridades de saúde.

Também uma aluna do 10.º ano daquele agrupamento testou positivo.

Recorde-se que o concelho de Valença regista hoje 92 casos ativos de covid-19. São 24 novos casos desde a passada terça-feira.

O autarca local ordenou o encerramento de algumas valências municipais, como é o caso das piscinas, até que os números baixem.

(notícia atualizada às 19h09 com correção do sobrenome do autarca)

Continuar a ler

Alto Minho

Forçou entrada em casa da ex-mulher, agrediu-a e deixou-a no chão, em Cerveira

Violência doméstica

em

Foto: DR

Um homem de 27 anos foi detido pela GNR pelo crime de violência doméstica contra a ex-mulher, na quinta-feira, em Cerveira.

Em comunicado, o comando territorial de Viana do Castelo dá conta da detenção efetuada por militares do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas, após investigação.

“Os militares da Guarda apuraram que o indivíduo arrombou a porta da residência da ex-mulher, de 23 anos, e agrediu-a fisicamente, deixando-a prostrada no chão e pondo-se de seguida em fuga”, refere a GNR.

No decorrer das diligências, foi dado cumprimento a um mandado de detenção do alegado agressor.

Presente a juiz, ficou sujeito às medidas de coação de afastamento e proibição de contacto com a vítima através de pulseira eletrónica.

Continuar a ler

Populares