Seguir o O MINHO

Braga

Imigrante brasileiro radicado em Braga morre após queda de 20 metros

Óbito

em

Foto: Redes Sociais

Loverci de Castro Junior, imigrante brasileiro de 31 anos radicado em Braga, morreu no passado dia 11 de setembro quando procedia à instalação de painéis solares num imóvel da cidade de Mangualde, no distrito de Viseu.

Segundo testemunhas, o homem ter-se-à distraído quando se apoiou numa telha que não conseguiu sustentar o peso do corpo e acabou por cair de uma altura de 20 metros, queda essa que se revelou fatal.

A família de Loverci deixa agora um apelo de ajuda para que o corpo do malogrado jovem possa ser trasladado para Guarujá, em São Paulo, transporte que custa cerca de 7 mil euros.

Segundo o jornal G1, da rede Globo, o corpo de Loverci encontra-se guardado numa agência funerária portuguesa desde que foi realizada a autópsia, aguardando o pagamento para que possa ocorrer a trasladação.

Conta aquela publicação que Júnior e a esposa mudaram-se, em novembro de 2019, para a cidade de Braga, “em busca de uma vida melhor”. Os dois tinham herdado um terreno em Guarujá e pretendiam juntar algum dinheiro em Portugal para construir uma moradia nesse terreno.

A irmã de Júnior, Kellen de Lima, conta que o irmão conseguiu um emprego numa empresa de instalação de painéis solares, sendo mesmo promovido a chefe de equipa. A empresa trabalhava por todo o país, mas foi em Viseu que se deu o trágico desfecho.

Conta ainda que a empresa em questão, que O MINHO tentou mas não conseguiu contactar, comprometeu-se a arcar com as despesas do velório, desde que o enterro fosse feito em Portugal.

“Se quisermos o translado, é por nossa conta. Uma brecha no contrato do seguro de vida dele não os obriga a trazerem o corpo dele pra cá”, argumenta a irmã.

Diz ainda que não foi feito um pedido de angariação de fundos online porque esse tipo de sites demora 30 dias até se poder retirar o dinheiro, algo que não podem fazer por ser uma situação urgente.

A irmã explica ainda que já conseguiram juntar cerca de seis mil euros, devendo estar próximos de atingir o valor necessário, depois de ajuda de familiares e amigos que se mobilizaram para este fim.

Populares