Seguir o O MINHO

País

Ikea Portugal vai investir 6 milhões na redução de preços a partir de setembro

Cadeia de mobiliário tem loja no centro comercial Nova Arcada, em Braga

em

Foto: Arquivo

A Ikea Portugal vai investir seis milhões de euros na redução de preços no ano fiscal que se inicia em setembro, anunciou hoje a diretora comercial da subsidiária portuguesa, Michaela Quinlan.


Num encontro com jornalistas para apresentar a nova estratégia comercial e de ‘marketing’ da cadeia sueca, a responsável disse que a Ikea Portugal pretende tornar os produtos acessíveis à carteira dos consumidores portugueses, pelo que vai investir no próximo ano fiscal “seis milhões de euros” na redução dos preços de entre “130 até 185 produtos”.

Michaela Quinlan adiantou também que a marca de retalho pretende aumentar os pontos de entrega, que atualmente são dois – Viana do Castelo e Leiria –, para um total de 14 no próximo ano fiscal, que terminará em agosto de 2020.

Em setembro, a responsável acrescentou, abrem pontos de recolha em Vila Real, Castelo Branco e Palmela.

Questionada pela Lusa, à margem do encontro, sobre como é que vai investir os seis milhões de euros para reduzir preços, a diretora comercial explicou que a Ikea Portugal vai “reinvestir uma parte do lucro”, é uma “decisão consciente” que a empresa pretende fazer e conta com o apoio do grupo.

A diretora comercial da retalhista de mobiliário e decoração referiu que o ‘online’ “está a crescer muito bem em Portugal”.

Michaela Quinlan não avançou mais dados, uma vez que o ano fiscal do grupo sueco termina no final de agosto.

A responsável referiu que há uma mudança no digital em Portugal e que a empresa tem visto “resultados fortes” neste âmbito.

Relativamente às lojas físicas, comparativamente há quatros anos, as visitas dos consumidores portugueses à Ikea Portugal têm vindo a aumentar.

A diretora de ‘marketing’ adiantou que Portugal está ter “um bom desempenho” e que o mercado é estratégico para o grupo.

As vendas da Ikea em Portugal cresceram 14% no ano fiscal terminado em agosto de 2018 para 457 milhões de euros.

Notícia atualizada às 18h29 – por lapso, estava escrito que um dos pontos de recolha era em Loures, quando, de facto, é em Leiria.

Anúncio

País

Atenção, não utilize máscaras do fabricante Shantou, alerta o Infarmed

Covid-19

em

Foto: DR

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) recomendou hoje que não sejam compradas nem usadas máscaras do fabricante Shantou, por não cumprirem os requisitos exigidos na União Europeia.

O alerta foi divulgado na página oficial do Infarmed, no qual se diz que caso sejam detetadas essas máscaras se deve informar a instituição.

O Infarmed explica que as autoridades alemãs proibiram a comercialização e mandaram recolher as máscaras de uso clínico do fabricante “Shantou T&K Medical equipment factory Co., Ltd”, que não cumprem com os requisitos estabelecidos no Regulamento 2017/745 da União Europeia relativo aos dispositivos médicos.

Em Portugal não há registos da comercialização dessas máscaras, mas o Infarmed justifica o alerta atendendo “a que existe livre circulação de produtos no Espaço Económico Europeu”.

Devido à pandemia de covid-19 é desde finais de outubro obrigatório o uso de máscara em espaços interiores fechados com várias pessoas, em estabelecimentos comerciais ou de prestação de serviços, em edifícios públicos, em escolas e creches, em transportes públicos e em locais ao ar livre desde que não seja possível assegurar o distanciamento físico adequado.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.507.480 mortos resultantes de mais de 65,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 4.803 pessoas dos 312.553 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

País

Marcelo decreta renovação do estado de emergência

Estado de emergência

em

Foto: DR

O Presidente da República decretou hoje a renovação do estado de emergência em Portugal por mais 15 dias, até às 23:59 de 23 de dezembro, para permitir medidas de contenção da epidemia de covid-19.

“Decretei a renovação do estado de emergência para o período a iniciar às 00:00 de dia 09 e a terminar às 23:59 de dia 23 de dezembro”, anunciou Marcelo Rebelo de Sousa, numa comunicação ao país, a partir do Palácio de Belém, em Lisboa.

O atual estado de emergência teve início no dia 24 de novembro e termina às 23:59 da próxima terça-feira, 08 de dezembro. Esta renovação tem efeitos a partir das 00:00 de terça-feira, 24 de novembro.

De acordo com a Constituição, este quadro legal que permite a suspensão do exercício de alguns direitos, liberdades e garantias, não pode durar mais de 15 dias, sem prejuízo de eventuais renovações com o mesmo limite temporal.

Para o decretar, o Presidente da República tem de ouvir o Governo, que deu parecer favorável na quinta-feira, e de ter autorização da Assembleia da República, que foi dada hoje, com votos a favor de PS e PSD, abstenções de BE, CDS-PP e PAN e votos contra de PCP, PEV, Chega e Iniciativa Liberal.

Continuar a ler

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: O MINHO / Arquivo

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta sexta-feira, 04 de dezembro: 14, 20, 27, 34 e 38 (números) e 1 e 11 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 200 milhões de euros.

Continuar a ler

Populares