Seguir o O MINHO

Braga

IKEA está a recrutar para a loja de Braga

Nas áreas comercial e vendas, comida e restaurante e design de interiores e merchandising visual

em

Foto: DR/Arquivo

A loja da IKEA em Braga está a recrutar para funções nas áreas comercial e vendas e comida e restaurante, em regime de part-time e design de interiores e merchandising visual, a full time e contrato permanente.


As ofertas de emprego, assim como os requisitos e tarefas a desempenhar podem ser consultadas no site da empresa, acessível através desta ligação.

A cadeia de mobiliário sueca promete “um ambiente de trabalho empreendedor e entusiasmante num mercado de trabalho global”.

A loja IKEA Braga, inaugurada em 2016, integra a área comercial do centro comercial Nova Arcada. A área de restauração IKEA FOOD dispõe de 450 lugares num espaço em que o restaurante, o bistro e a loja alimentar sueca surgem numa área comum.

Anúncio

Braga

Arma apreendida a suspeito de violência doméstica em Braga

Crime

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

A PSP deteve em Braga um homem de 41 anos por posse de arma ilegal, no âmbito de um processo de violência doméstica, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, a PSP refere deu cumprimento, na quarta-feira, a um mandado de busca domiciliária, tendo encontrado na residência do suspeito um bastão extensível e quatro munições, que foram apreendidas.

O detido vai ser presente no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Cláudia Guerreiro e Filho da Mãe contam história surrealista no gnration em Braga

Projeto A Azenha

em

Foto: Divulgação

O projeto A Azenha reúne a baixista e ilustradora Cláudia Guerreiro (Linda Martini) e o guitarrista Rui Carvalho (Filho da Mãe) para contar, através da música e de imagens criadas ao vivo, uma história surrealista de amor.

Com música de Rui Carvalho e imagens de Cláudia Guerreiro, que são “feitas ali em tempo real com acrílicos, tintas, muita água a escorrer, uma grande confusão, recortes, sombras”, explicou a artista à Lusa, será apresentado na sexta-feira, às 19:30, no gnration, em Braga, onde os dois estão há uma semana em residência artística.

Apesar de serem amigos há 20 anos e estarem casados há 10, só recentemente Cláudia Guerreiro e Rui Carvalho decidiram criar um projeto juntos.

“Eu e o Rui já tínhamos feito esta coisa de juntar a ilustração à música, a primeira vez foi para um concerto do Rui com o Tó Trips no Teatro Maria Matos [em Lisboa] e depois fizemos uma outra vez quando eu pintei um mural no ESTAU [Festival de Arte Urbana de Estarreja]. E começámos a querer fazer isto de outra maneira, fomos a São João da Madeira, ao festival de ilustração, e depois disso decidimos ‘vamos fazer uma coisa nossa’”, recordou Cláudia Guerreiro.

Quando começaram a imaginar a história que queriam contar, Rui sugeriu a Cláudia optarem por uma narrativa que “fosse próxima” da também escultora.

A escolha recaiu na casa dos tios de Cláudia, os escultores Jorge Vieira (que morreu em 1998) e Noémia Cruz, no Alentejo.

“Tenho uma ligação muito forte com a minha tia, com essa casa, foi lá que eu me liguei às artes plásticas, foi por causa deles que fiz a minha licenciatura em Escultura. É de facto uma casa muito importante e um espaço muito importante para mim”, partilhou.

Além disso, a casa “tem uma imagética já muito definida, muito bonita” e que é “muito familiar” a Cláudia.

“Por alguma razão acabei a agarrar em quatro figuras, que estão num muro de uma piscina, que é um sol, uma lua, um touro e um escorpião. Que no fundo são um autorretrato do meu tio, retrato da minha tia e o paralelismo com os signos deles: touro e escorpião. E achei que podíamos contar a história daquela casa, tendo como referência estas personagens”, contou.

A história contada em A Azenha é a seguinte: “Uma história de amor que se passa entre a lua e o sol, o meu tio e a minha tia, naquele sítio, que é no Alentejo e tem um grande céu estrelado por cima e uma série de histórias, que na verdade só eu sei, mas que acabam por passar nas imagens”.

Trata-se de uma história “muito surrealista”, à imagem do trabalho de Jorge Vieira, que foi tomando rumo e sendo construída com o tempo.

Em 2019, Cláudia Guerreiro e Rui Carvalho apresentaram-na ao vivo no Artes à Rua, em Évora. Mas, “na altura aquilo estava um bocado mail resolvido”.

“A ideia desta residência [artística no Gnration] era resolver isto um bocado melhor e a partir daqui pôr isto a andar, como for possível, porque como todos sabemos não é a altura melhor para pôr isto onde quer que seja, mas na verdade também é bom ter uma alternativa aos nossos concertos normais”, disse.

A apresentação deveria acontecer no sábado, mas as novas medidas impostas pelo Governo para tentar conter a pandemia da covid-19 fizeram com que fosse antecipada para sexta.

“Perdemos um dia de trabalho, mas isto não é trabalho que acabe aqui. A ideia é continuar, estamos a construir material para tentar poder vender o espetáculo”, referiu.

Desengane-se quem pensa que vai a assistir a “um concerto ilustrado ou a uma peça audiovisual musicada”, porque o espetáculo A Azenha não é nenhum dos dois. “A piada disto, muito dela, é estarmos os dois em palco, músico e ilustradora, com a mesma relevância. É um espetáculo feito pelos dois, portanto uma coisa e outra devem ter o mesmo peso”.

Continuar a ler

Braga

Vieira do Minho mantém feira semanal na segunda-feira

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

A câmara municipal de Vieira do Minho decidiu manter a realização da feira semanal na segunda-feira, dia 30 de novembro, anunciou hoje aquela autarquia.

Em comunicado, a câmara lembra que “é essencial continuar a respeitar as normas de funcionamento, no sentido de garantir a segurança de todos os utilizadores”.

De acordo com o novo mapa de risco apresentado pelo Governo de Portugal, Vieira do Minho está no nível de risco “extremamente elevado” por apresentar mais de 960 casos de covid-19 por 100 mil habitantes.

Continuar a ler

Populares