Seguir o O MINHO

Região

“Ignacio” traz (muita) chuva amanhã e deixa Minho em aviso laranja e em risco de cheias

Estado do tempo

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu esta noite um aviso meteorológico de nível laranja para os distritos de Braga e Viana do Castelo face à chuva persistente que se irá sentir durante a manhã e a tarde deste sábado.

A chuva intensa será uma consequência de uma nova depressão que passa a Norte da Península Ibérica, apelidada hoje como Ignacio pela agência de meteorologia espanhola, e deverá perdurar até, pelo menos, as 18:00 horas de sábado em ambos os distritos.

A partir das 12:00 horas, será possível também sentir um aumento da intensidade do vento. Face a essa situação, o IPMA emitiu um aviso amarelo para Braga e Viana face ao vento que pode atingir rajadas até 100 km/h nas terras altas.

Ao contrário da última madrugada desta sexta-feira, onde o vento da depressão Hortense provocou várias ocorrências, para o dia deste sábado é esperada a possibilidade de cheias em locais historicamente mais vulneráveis e onde tradicionalmente ocorre este tipo de fenómeno.

A Proteção Civil Municipal de Braga lançou um alerta, esta noite, através da página oficial do Município na rede social Facebook, face ao agravamento das condições meteorológicas amanhã.

Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo, neve e formação de lençóis de água assim como a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem.

Há ainda a possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis; danos em estruturas montadas ou suspensas; possibilidade de queda de ramos ou árvores, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia.

Podem ocorrer ainda fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência e desconforto térmico na população pela conjugação da temperatura mínima baixa e do vento, nomeadamente nas terras altas.

A Proteção Civil recomenda à população a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.

Na estrada, é prudente adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de gelo nas vias rodoviárias; não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas e evitar a circulação em vias afetadas pela acumulação de neve .

É ainda recomendado especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em locais de vento mais forte; ter especial cuidado na circulação junto a zonas ribeirinhas, historicamente vulneráveis a este tipo de fenómenos; prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento, trabalhadores que exerçam atividade no exterior e pessoas sem abrigo) e estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Populares