Seguir o O MINHO

Braga

Idosos dos lares de Braga já começaram hoje a tomar a quarta dose da vacina

Covid-19

em

Foto: DR

Os idosos dos lares do concelho de Braga já começaram esta segunda-feira a tomar a quarta dose da vacina contra a covid-19.

Cem idosos dos lares ACR Cabreiros, Associação de Assistência São Vicente de Paulo e Associação S. Tiago de Fraião já foram inoculados, amanhã será a vez do lar Conde de Agrolongo e Anima Una.

“Em dez dias prevemos vacinar todas as pessoas dos lares que reunem os critérios. Vamos ter duas brigadas durante o dia, de manhã e de tarde, para fazer o máixmo possível”, adianta a O MINHO a enfermeira coordenadora do processo de vacinação, Céu Ameixinha.

A responsável faz um balanço positivo deste primeiro: “Está a correr bem, as pessoas não recusaram, está toda a gente motivada, porque perceberam que é necessária, mais uma vez, a vacinação para colocar um travão no aumento de casos”.

Céu Ameixinha salienta que “o importante é que as pessoas adiram de novo à vacinação, porque os resultados das experiências anteriores foram bons”. E conclui: “Mais uma vez temos que todos fazer este esforço, para levar isto a bom porto”.

Foto: DR

Idosos com mais de 80 anos convocados por agendamento local

Os idosos com mais de 80 anos e os residentes nos lares começam a ser vacinados com a segunda dose de reforço da vacina contra a covid-19, a partir desta segunda-feira.

“A vacinação nas Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) inicia-se já na segunda-feira e as pessoas com mais de 80 anos começarão a ser vacinadas durante a próxima semana, nos centros de vacinação ou nos centros de saúde”, adiantou, na semana passada, a DGS em comunicado.

As pessoas com mais de 80 anos serão convocadas por agendamento local, através de mensagem SMS ou chamada telefónica, como já aconteceu noutras fases da vacinação contra a covid-19.

Segundo a DGS, a Comissão Técnica de Vacinação Contra a Covid-19 (CTVC) da DGS recomendou esta toma da segunda dose de reforço, com o “objetivo de melhorar a proteção da população mais vulnerável, face ao atual aumento da incidência de casos em Portugal”.

A população elegível para esta vacinação é de cerca de 750 mil pessoas, que devem ser vacinadas com um intervalo mínimo de quatro meses após a última dose ou após um diagnóstico de infeção por SARS-CoV-2, ou seja, este “reforço abrange também as pessoas que recuperaram da infeção”, avançou o departamento liderado por Graça Freitas.

A DGS anunciou ainda que as crianças e jovens entre os 12 e 15 anos com condições de imunossupressão, no âmbito da norma publicada sobre esta matéria, também passam a ser elegíveis para receber uma dose adicional de vacina, na sequência de um parecer favorável da CTVC.

“Os jovens com estas condições serão vacinados de acordo com orientação e prescrição médica”, informou a direção-geral.

Populares