Seguir o O MINHO

Braga

Hugo Pires (PS) enche ‘praça’ em Braga e pede “cartão vermelho” para a “maioria de direita”

Eleições autárquicas 2021

em

Foto: Bruno Gonçalves

O candidato do PS à Câmara de Braga, Hugo Pires, apelou hoje ao voto nos socialistas para “mostrar um cartão vermelho a Ricardo Rio e à maioria de direita”, a quem acusa de “nada ter feito pelo progresso” do concelho.

O socialista falava durante o comício organizado na Avenida Central, junto à Praça da Republica, este sábado, que contou com a presença do secretário-geral do PS, António Costa, do líder da JS, Miguel Matos, e de mais de uma centena de simpatizantes.

“Nas próximas autárquicas há duas opções. Primeira opção é a de quem quer que tudo fique na mesma. E quem quiser, desaconselho vivamente a votar PS. Mas há uma segunda opção, para as pessoas que querem fazer avançar Braga, e ter mais qualidade de vida, e essa opção é o voto de confiança no PS”.

Hugo Pires acusou o atual executivo PSD/CDS/PPM de não ter feito “nenhuma obra” e de gastar “milhões” em promoção pessoal e na aquisição de prémios “de eficácia e origem muito duvidosas”, e prometeu “muito empenho, trabalho, criatividade e dar o melhor com muita ambição para deixar um conselho sustentável para as futuras gerações”.

“Infelizmente, Braga, nos últimos oito anos, parou. Se olharmos para esta Câmara, não lhe conhecemos uma ideia, um projeto, uma obra. Esta câmara foi incapaz de trazer progresso e desenvolvimento, foi incapaz de perceber os verdadeiros problemas que afetam os bracarenses”, acusou o também deputado na Assembleia da República, perante uma multidão considerável de apoiantes que marcaram presença no centro histórico.

Foto: Bruno Gonçalves

Pires considerou que Ricardo Rio preferiu “gastar milhões na su promoção pessoal, fazer festas e festinhas e comprar prémios de eficácia e origem muito duvidosa, em vez de investir na qualidade de vida”.

“Este presidente da Câmara, só quis saber daqueles que têm o cartão do seu partido. E é por isso que peço que mostremos um grande cartão vermelho ao Ricardo Rio e à maioria de direita na Câmara de Braga”, clamou o socialista.

António Costa quer municípios a “arregaçar as mangas”

António Costa destacou que é preciso “ter à frente das Câmaras quem acredite” e “queira defender a escola pública” e que, nos próximos dois anos, queira apoiar “um programa de recuperação de aprendizagens que não deixe ninguém para trás”.

“Por isso, não é, de facto, a mesma coisa ter uma Câmara liderada pela esquerda ou uma câmara liderada pela direita. Ter uma Câmara que acredita no SNS, que acredita na escola pública, que acredita nos cuidados para todos: essa é a Câmara liderada pelo PS, essa será a Câmara liderada pelo Hugo Pires”, apontou António Costa.

António Costa reagiu às críticas que tem recebido da oposição – nomeadamente do PSD – que o acusam de estar a misturar o papel de secretário-geral do PS e de primeiro-ministro durante a campanha autárquica, ao estar a prometer os milhões do PRR aos municípios.

“Para que este plano tenha sucesso, nós não podemos ter os municípios entregues a quem todos os dias aparece na televisão a combater o PRR, temos que ter os municípios entregues a quem quer arregaçar as mangas e pôr rapidamente no terreno, e em execução, o PRR”, afirmou António Costa.

Afirmando que o PRR “não é um plano para as calendas gregas”, mas antes um plano com um “prazo de execução muitíssimo limitado”, António Costa voltou a responder à oposição ao dizer que é “extraordinário que aqueles que há pouco tempo” diziam que o Governo não ia ser capaz de executar o PRR “a tempo e horas”, agora se queixem por o executivo “ter pressa”.

“Sim, nós temos pressa. Temos pressa não por causa do PS, temos pressa por Portugal, temos pressa pelas portuguesas, temos pressa pelos portugueses, que anseiam de uma vez por todas voltar a virar a página desta crise e voltar a reconstruir um futuro de esperança, de confiança e de prosperidade, com justiça para todos nós”, indicou.

Com o comício em Braga, António Costa terminou o seu périplo que o levou, durante o dia, a concelhos do distrito de Braga: de manhã, fez uma arruada em Póvoa de Lanhoso, e participou num comício em Celorico de Basto. À tarde, esteve em Vizela, Vila Nova de Famalicão e Barcelos.

Com Lusa.

Populares