Seguir o O MINHO

Famalicão

Hotel com 120 quartos vai nascer em Famalicão

Grupo Meliá

em

Imagem via 'site' da rádio Cidade Hoje

A cidade de Vila Nova de Famalicão prepara-se para ver nascer um novo hotel com capacidade para 120 quartos, anunciou esta segunda-feira fonte ligada ao grupo Meliá, investidor do novo projeto hoteleiro.


O hotel Méliá Famalicão ficará situado junto ao centro comercial Auchan (antigo Jumbo), nas proximidades do parque da cidade (Devesa), na urbanização Seven Arts, na Rua de Prado.

De acordo com o grupo hoteleiro, o novo espaço irá dispor de spa, ginásio, piscinas interiores e exteriores, bar, restaurante e salas para reuniões e conferências.

As caraterísticas de construção passam pela fachada onde o vidro predomina, da autoria do gabinete de arquitetura Hugo Correia.

Este será o segundo alojamento do género na cidade de Famalicão, a par do hotel Moutados.

Anúncio

Ave

Hospital de Famalicão com mais 40 camas e 20.000 testes realizados

Covid-19

em

Foto: PS Famalicão

O Centro Hospitalar Médio Ave, através da unidade de Famalicão, já realizou 20.000 testes à covid-19 e ampliou em 40 camas a capacidade instalada para doentes covid, anunciou hoje o PS de Famalicão.

É ainda revelado que o número de internados com a doença está prestes a atingir a capacidade instalada e as alas com doentes não-covid internados estão “comprometidas”, levando à suspensão de cirurgias programadas. Apesar disso, mantém a atividade assistencial em regime ambulatório, incluíndo realização de consultas.

Em comunicado, o PS famalicense dá conta de uma reunião com o conselho de administração daquele centro hospitalar, realizada no passado dia 19 de novembro, onde marcaram presença presidente do conselho, vogal e a diretora clínica.

“De entre os assuntos abordados, a operacionalidade dos serviços neste período de pandemia e a construção do edifício de apoio ao serviço de urgência, mereceram natural destaque”, refere a nota enviada às redações.

O partido fala ainda informação errática do executivo PSD/CDS, liderado por Paulo Cunha, revelando que o investimento num novo edifício de apoio ao hospital não é investimento total da autarquia.

“Relativamente à questão do novo espaço, importa salientar que de acordo com a administração do CHMA, o investimento é repartido entre o Centro Hospitalar e a Câmara Municipal, ao contrário do que tem sido noticiado pelo Município”, diz a nota.

“O PS Famalicão tem promovido e irá continuar a promover um conjunto de ações de sensibilização para o bem-estar da comunidade e continuará a promover a transparência na informação política, apelando a todos os intervenientes políticos igual postura”, finaliza, reconhecendo ainda o trabalho desenvolvido pelos profissionais de saúde.

Continuar a ler

Ave

Descoberta em Famalicão espécie de borboleta nunca antes vista em Portugal

Ambiente

em

Foto: João Nunes

Chama-se Apomyelois bistriatella, tem apenas 20 milímetros de envergadura e pertence à família Pyralidae. Esta borboleta, conhecida como “borboleta que come bolos” e com uma ampla distribuição pelo norte da Europa, foi registada pela primeira vez em Portugal, após monitorização levada a cabo em Fradelos, concelho de Famalicão, junto ao rio Ave, na futura área protegida das Pateiras do Ave.

Vasco Flores Cruz, ecólogo responsável pelo projeto que visa classificar aquela área – que engloba ainda pequenas partes das freguesias de Ribeirão e Vilarinho das Cambas – como paisagem protegida local, explicou a O MINHO que este foi o primeiro registo de avistamento da espécie no país, embora exista um registo idêntico em Espanha que remonta ao ano de 2016, e que demonstrou que estas borboletas se estavam a expandir para regiões mais quentes.

Vasco Flores Cruz explica que, segundo os investigadores, “seria previsível a sua distribuição pelo norte da península mas até julho deste ano nunca tinha sido vista em Portugal”.

Esta borboleta, acrescenta o ecólogo, tem uma particularidade caricata que a distingue da maior parte das borboletas que habitam a nossa região.  É que esta, ao contrário das outras, não se alimenta em exclusivo de tecidos vegetais, mas sim de um fungo muito particular conhecido como Bolo-do-rei-Alfredo (Daldinia sp.).

“Este fungo tem a forma de uma broa, o aspeto de carvão e um nome particular que tem a origem numa lenda” que remonta ao rei Alfredo de Inglaterra entre os anos de 871 a 886.

“Diz a história que o soberano inglês aquando das invasões vikings se refugiou na casa de uma camponesa. Quando esta lhe pediu para tomar conta de uns bolos que assavam no forno, o rei distraído com os seus pensamentos deixou-os queimar, atirando-os depois para o bosque. Ao monarca de nada lhe valeu o título, pois acabou por ouvir uma valente reprimenda”, conta Vasco Flores Cruz.

Ao nosso jornal, o responsável pelo projeto explica que esta é uma das cerca de 250 borboletas registadas na área famalicense. Algumas delas apenas tinham sido vistas uma ou outra vez, mas só a borboleta “que come bolos” teve honras de estreia.

“É mais uma espécie a somar à investigação. Sempre que encontramos alguma espécie mais rara, é sinal que estamos a fazer um bom trabalho ao ajudar com que os habitats fiquem mais ricos, daí existir uma monitorização mensal que permite aferir a qualidade do trabalho executado ou, caso as espécies diminuam, que tipo de ameaças externas possam existir”, conta.

Vasco Flores acrescenta ainda que está a ser preparado um artigo cientifico a ser publicado em revista científica em dezembro de 2021, com o somatório das espécies novas que foram identificados ao longo de 2020 em exclusivo para borboletas. Esse trabalho é de um grupo de investigadores portugueses, entre os quais se inclui o João Nunes, jovem de 21 anos e autor da descoberta desta borboleta em solo famalicense.

Continuar a ler

Ave

Dois menores apanhados a roubar estabelecimento em Famalicão

Crime

em

Foto: Ilustrativa / DR

A PSP deteve, na madrugada desta segunda-feira, dois menores, de 16 e 17 anos, por furto em estabelecimento comercial através de arrombamento, na Rua Dom Pedro V, em Famalicão.

A detenção ocorreu por volta das três da manhã. Os suspeitos tinham na sua posse uma gaveta de caixa registadora e noventa e sete isqueiros.

De seguida, a PSP contactou o dono do estabelecimento que compareceu no local e reconheceu os objetos furtados.

Os detidos são presentes hoje junto do Tribunal Judicial da Comarca de Famalicão.

Os suspeitos estão referenciados pela PSP por diversos crimes desta natureza.

Continuar a ler

Populares