Seguir o O MINHO

Ave

Hospital de Guimarães está a remarcar consultas anuladas por causa da pandemia

Covid-19

em

Foto: Divulgação / HSOG

O Hospital de Guimarães está a remarcar as consultas médicas não urgentes que foram anuladas durante o período de estado de emergência.


Em comunicado, a unidade hospitalar refere que também está a remarcar todas as consultas médicas que tinham sido agendadas em atos médicos realizados até 16 de março.

O hospital sublinha que, com o objetivo de se assegurar as condições de segurança, higiene e proteção dos utentes e profissionais, os espaços físicos dedicados à realização de consultas médicas presenciais tiveram de ser reestruturados implicando uma reorganização do agendamento médico.

Os utentes devem deslocar-se ao hospital apenas para consultas médicas presenciais cuja comunicação da sua marcação/remarcação tenha sido feita a partir de 4 de maio de 2020. Todas as marcações feitas anteriormente foram canceladas.

O comunicado realça que todos os avisos de marcação de consulta são feitos por via telefónica (por chamada ou sms), pelo que é importante os utentes estarem atentos ao seu telemóvel/telefone, e por correio.

A teleconsulta continuará a ser privilegiada no caso em que as patologias dos utentes o permitam.

Relativamente a normas de segurança, o hospital salienta que, quando os utentes lá se deslocarem para consultas presenciais, devem usar máscara, manter o distanciamento de dois metros entre pessoas, higienizar constantemente as mãos, cumprir a etiqueta respiratória e respeitar os limites de lotação nas salas de espera.

Os utentes só podem entrar 20 minutos antes das consultas médicas, não sendo autorizada a presença de acompanhantes, salvo em situações excecionais e devidamente justificadas.

Anúncio

Guimarães

Guimarães assinala Festas Gualterianas com programa simbólico

Covid-19

em

Imagem de Arquivo

Guimarães vai assinalar, de forma simbólica, as Festas da Cidade e Gualterianas, de 31 de julho a 03 de agosto, com iluminação ornamental em monumentos icónicos da cidade, exposições no espaço público e alguma animação itinerante, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a câmara sublinha que, devido à pandemia de covid-19, não haverá espaço de diversões nem a habitual Marcha Gualteriana, para evitar aglomeração de pessoas.

“Tudo será feito de acordo com as indicações das autoridades de saúde e da proteção civil”, referiu o presidente da câmara.

Domingos Bragança adiantou ainda que está a ser equacionada a retirada do trânsito da zona classificada do Centro Histórico, Alameda de S. Dâmaso Norte (norte), Toural (norte) e Rua de Santo António, no sentido de permitir maior dispersão de pessoas e um maior usufruto da cidade.

A medida facilitará ainda a visita à exposição da Casa da Marcha (Jardim do Alameda) ou à exposição “A Muralha” (Largo do Toural).

A retirada do trânsito será concertada com a Associação do Comércio Tradicional de Guimarães (ACTG) e a Associação Vimaranense de Hotelaria (AVH).

“Este é um ano singular devido à situação de pandemia que estamos a viver, mas não quisemos uma rutura com as Festas da Cidade e Gualterianas. Teremos um programa para marcar a celebração, muito na dimensão simbólica. Pretendemos ainda a envolvência dos nossos artistas culturais, mas apelamos à compreensão de todos os vimaranenses do estado de alerta da pandemia”, salientou Domingos Bragança, citado no comunicado.

O autarca ressalvou que o programa definido pode sofrer alterações a qualquer momento, no âmbito da evolução da situação epidemiológica da covid-19.

A Casa da Marcha está a preparar uma exposição, que poderá ser apreciada no Jardim da Alameda, com algumas das peças trabalhadas pelos obreiros, ao longo dos últimos anos.

Entre 31 de julho e 03 de agosto, está previsto ainda a passagem do carro alegórico alusivo ao centenário de Amália e ao Fado, por algumas artérias da cidade.

Numa parceria com a Associação “A Muralha”, estará patente no Largo do Toural uma exposição de fotografias com os cartazes da história das Festas Gualterianas.

“Este programa foi pensado no sentido de trazer maior expressão ao espaço público e valorizar a memória destas festas através de momentos de reflexão”, explicou a vereadora da Cultura, Adelina Pinto.

Está confirmada a iluminação ornamental em vários monumentos como a Igreja de S. Francisco, Igreja de S. Gualter, Castelo de Guimarães ou a muralha da Torre da Alfândega, além da artéria da Alameda e do Toural.

A Câmara, entretanto, está a recolher propostas culturais para ajustar ao modelo das Festas Gualterianas que se adequem à situação atual, “promovendo uma reaproximação segura e confiante entre criadores, público e comunidade”.

Serão valorizados os projetos que se alinhem com o cariz tradicional das festas, o caráter inovador que a proposta possa introduzir e a sua adequação às normas da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Portugal contabiliza pelo menos 1.629 mortos associados à covid-19 em 44.416 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

Continuar a ler

Ave

Famalicão investe meio milhão em Centro de Recolha Animal

Investimento municipal

em

Foto: DR

Famalicão vai ter um Centro de Recolha Animal, construído junto ao Canil Municipal numa área de cerca de 5.500 metros quadrados.

Representando um investimento superior a 500 mil euros, o Centro estará equipado com cerca de 80 boxes para cães, 45 para gatos e 4 para outras espécies.

A obra foi adjudicada à empresa Fernando Silva & Cª, Lda. e tem um prazo de execução de 450 dias.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

“O que aí vem não é um canil, é mais do que aquilo que formalmente se chama um Centro de Recolha, é genuinamente uma ferramenta ao serviço da política municipal para proteção dos animais”, afirmou o presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, no lançamento das obras, segunda-feira.

“O que vai nascer aqui é uma obra importante e pioneira, é um centro de proteção animal, diferente dos canis existentes, que não se circunscreve ao edifício físico, mas que segue toda uma dinâmica de sensibilização, acolhimento, responsabilidade e dedicação animal”, refere Paulo Cunha, citado em nota de imprensa da autarquia.

Segundo o autarca, esta obra vai ao encontro das políticas públicas de proteção dos animais, “uma aposta clara do município”, que desde o início deste mandato dedica um pelouro à Defesa dos Animais.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

“A Câmara não esgota em si o perímetro a fazer neste sector, há voluntariado, há dever cívico e há grupos informais, associações e até cidadãos neste setor com desempenho de exemplaridade nesta matéria”, acrescentou.

Em comunicado, a autarquia considera que se trata de um equipamento de qualidade que dotará o concelho de um espaço com condições para acolhimento e tratamento de animais errantes.

Melhorar os objetivos sanitários, controlar doenças, melhorar o bem-estar animal e segurança da população, melhorar as condições de trabalho e a funcionalidade do espaço atualmente existente são, de acordo com a câmara de Famalicão, os objetivos deste investimento.

Entre outras valências, o espaço estará dividido em instalações por espécie (canil, gatil e outras espécies), instalações individuais e de grupo, celas de quarentena e de ninhadas, enfermaria, armazéns, gabinete veterinário, zona de desinfeção e zona de recreio e atividade física para cães e gatos.

Continuar a ler

Ave

Homem esfaqueia ex-companheira em Famalicão

Violência doméstica

em

Foto: DR / Arquivo

A PSP deteve homem de 36 anos após esfaquear a ex-companheira, em Famalicão, ao final da tarde de segunda-feira.

Em comunicado, a PSP refere que, ontem, pelas 19:00, numa artéria na cidade de Famalicão, através de uma chamada telefónica, teve conhecimento de uma situação de violência doméstica.

Quando os agentes chegaram ao local, constaram “que o suspeito, um cidadão com 36 anos, havia esfaqueado a sua ex-companheira em várias zonas do corpo, de forma não letal, tendo necessidade de receber tratamento hospitalar”.

O indivíduo é hoje presente a juiz para primeiro interrogatório judicial.

Continuar a ler

Populares