Seguir o O MINHO

Braga

Hospital de Braga estranha greve de enfermeiros e diz manter “abertura negocial”

em

A administração do Hospital de Braga manifestou hoje estranheza com a “posição pública” dos enfermeiros da unidade, que anunciaram quatro dias de greve, e acrescentou manter “abertura negocial” para com as preocupações daqueles profissionais.


“A administração do Hospital de Braga, demonstrando abertura negocial, perante as preocupações do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, reuniu já por duas vezes, no espaço de um mês, com esta estrutura sindical”, sinaliza o hospital.

O texto surge depois de anunciado, em conferência de imprensa, que os enfermeiros do Hospital de Braga vão fazer quatro dias de greve para exigir o pagamento das 30 mil horas de trabalho em atraso, contra a “discriminação salarial” e pela admissão de mais profissionais, anunciou hoje o sindicato.

Em conferência de imprensa, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses explicou hoje que a jornada de luta dos profissionais do setor no hospital de Braga, gerido pelo Grupo Mello Saúde numa Parceria Público Privada, vai ser cumprida no dias 29 e 30 de setembro e a 03 e 04 de outubro.

A administração do Hospital de Braga sublinha que na primeira reunião com o sindicado foram escutadas as “questões que preocupam” a estrutura, e no segundo encontro, tido já esta semana, foram apresentadas pela administração da entidade “propostas concretas”.”

Estas propostas seriam, na tarde de hoje, de acordo com os representantes do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), apresentadas em reunião plenária aos enfermeiros representados por esta estrutura sindical. No final da reunião realizada, esta semana, entre sindicato e administração do hospital, todos concordamos em reunir, novamente, este mês para continuação do processo negocial”, adverte a unidade de saúde, que estranha o anúncio de greve dos enfermeiros.

E concretiza: “Estranhamos a posição pública assumida pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses num momento em que a administração do Hospital de Braga estava na disposição de poder solucionar questões que preocupam não só esta estrutura sindical, mas também a administração deste hospital”.

Declarando “respeitar” o “direito à greve”, a administração do Hospital de Braga refere, todavia, no comunicado, não entender “a convocação da paralisação de quatro dias quando ainda não estavam esgotadas todas as possibilidades negociais, sendo certo que esta decisão causará transtorno aos utentes” do hospital.

Pela voz da dirigente nacional Guadalupe Simões, o SEP explicou que o hospital, nas reuniões com o sindicato, ofereceu uma “mão cheia de nada” perante as reivindicações dos enfermeiros, pelo que era “inevitável” partir para a greve.

“As respostas da administração às exigências dos enfermeiros foram uma mão cheia de nada. Quando estão 30 mil horas a mais por pagar aos enfermeiros [cerca de 500 mil euros] e a proposta que nos fazem é que esse trabalho seja considerado trabalho normal e para ser pago durante quase três anos, sem haver um plano de admissão de enfermeiros, significa que estas horas nunca irão ser pagas”, apontou.

“Quando não se propõe diminuir ou extinguir a discriminação salarial entre os enfermeiros, quando se continua a admitir enfermeiros a recibo verde, quando tudo isto acontece e não nos dão respostas, é inevitável esta greve”, acrescentou.

A sindicalista deixou ainda a garantia que durante os dias de greve estarão assegurados os serviços mínimos.

 

 

logo Facebook Fique a par das Notícias do Hospital de Braga. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Braga

Braga vai ter posto de combustível com loja Pingo Doce incorporada

Empresas

em

Foto: Divulgação / Grupo Martins

Chama-se Pingo Doce & Go BP, o conceito existe desde 2015, mas só em setembro de 2020 é que chega ao Minho. A cadeia de hipermercados anunciou que Braga vai receber o primeiro posto de combustível (BP) que agrega uma loja de conveniência do Pingo Doce dos distritos minhotos.

Em declarações à revista Hipersuper, Adelino Martins, líder do Grupo Martins, explica que o novo espaço, construído de raiz, começará a ser instalado a partir de setembro na cidade de Braga, não adiantando o local escolhido.

Esta será a segunda loja no Norte do país, depois de nesta quinta-feira ter sido inaugurada a primeira, em Paredes, no distrito do Porto, que é a 15.ª de todo o país. Todas as outras 14 situam-se na área metropolitana de Lisboa.

A loja de Braga, à semelhança das restantes, deve apresentar serviços de comida take away, cafeteira e padaria, para além de produtos de mercearia, saúde, alimentação saudável, como fruta, ração para animais, tabacaria, charcutaria, congelados, artigos de higiene e bebidas, entre outros.

Continuar a ler

Braga

Chamada falsa mobilizou dois helicópteros para incêndio no Gerês que não existia

Chamada falsa

em

Foto: Eduardo Ferreira (Arquivo)

Foi a primeira vez que aconteceu neste período de DECIR 2020. Alguém, provavelmente com segundas intenções ou simplesmente porque não tem mais que fazer, lembrou-se de ligar para os bombeiros a dizer que um grande incêndio estava a consumir eucaliptal em Valdosende, concelho de Terras de Bouro, num dos locais de maior risco de propagação fora da área protegida do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Imediatamente, e segundo o protocolo de triangulação, os Bombeiros de Terras de Bouro mobilizaram três viaturas de combate e cerca de 20 bombeiros. Uma das viaturas, que estava presente noutra ocorrência, saiu para acudir à chamada de auxílio sinalizada para uma mancha florestal junto à estrada que liga aquele concelho à Abadia de Santa Maria de Bouro, em Amares.

Dois helicópteros foram mobilizados pelo Comando Distrital de Operações e Socorro de Braga para auxiliar no alegado incêndio. Um deles com oito operacionais e outro com cinco. Mas não havia nada. Era tudo mentira. E os bombeiros não gostaram. No total foram mobilizados 34 operacionais.

O pior, sabe O MINHO, é que em Cabeceiras de Basto, pela mesma hora, 18:25, um incêndio (desta vez verdadeiro) deflagrava em zona de mato na freguesia de Pedraça, necessitando com urgência de apoio dos mesmos meios aéreos. Os helicópteros acabaram por ser avisados que não existia nenhum incêndio em Terras de Bouro e deslocaram-se para o de Cabeceiras.

“É uma pouca vergonha”, disse um dos elementos envolvidos a O MINHO, sob anonimato. “E o mais estranho é que nos foram mobilizar para um dos locais do concelho que nos fica mais longe”, acrescentou, referindo que se trata de “uma zona crítica”, habitualmente “muito ventosa”, onde os bombeiros sentem grandes dificuldades para combater as chamas.

“Chegámos lá e não encontramos nada”, desabafou, com o tom exasperante de quem acabou de ser enganado. “Não há respeito por quem dá a vida pelos outros”, sublinhou, revoltado.

Entretanto, o incêndio em Cabeceiras de Basto vai lavrando, com o combate a ser efetuado por dois meios aéreos, 69 operacionais e 16 viaturas.

Continuar a ler

Braga

São Bento abriu a porta aos peregrinos no principal dia da romaria

Religião

em

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Celebra-se esta quinta-feira o principal dia da romaria ao São Bento da Porta Aberta, em Rio Caldo, concelho de Terras de Bouro, com várias iniciativas religiosas abertas à população.

Pelas 11:00 horas desta manhã, o arcebispo de Braga, Jorge Ortiga, celebrou a missa solene com participação do Grupo Coral de S. Bento da Porta Aberta.

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

Foto: Facebook do santuário do São Bento da Porta Aberta

A eucaristia contou com a presença de dezenas de fieis e peregrinos que rumaram durante a madrugada àquele templo situado às portas do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Pelas 17:00 horas, foi inaugurada a exposição do Ósculo e da Relíquia do ‘São Bentinho’.

Pelas 18:30, há uma eucaristia campal com o andor ornamentado à porta da basílica.

Continuar a ler

Populares