Seguir o O MINHO

Braga

Homenagem a pároco recentemente falecido marcou tradição pascal de Fiscal em Amares

Homenagem a pároco recentemente falecido marcou tradição pascal de Fiscal

em

A travessia do Rio Homem, na freguesia de Fiscal, em Amares, ficou, este ano, emocionalmente marcada.

Foi a primeira vez que o padre Joaquim Costa, um dos principais impulsionadores e dinamizadores desta tradição não esteve presente por ter falecido recentemente e porque três dos cinco barcos fizeram a travessia pela última vez.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

A homenagem simbólica a Joaquim Costa aconteceu, em pleno rio Homem, com o descerramento de um pequeno busto em sua homenagem. “Era o principal impulsionador desta tradição”, reconhece o presidente da Câmara de Amares.

Manuel Moreira revelou a O MINHO que, mais tarde, “iremos fazer uma homenagem formal” mas “não queríamos deixar passar o fato de ser a primeira Páscoa em que ele não está presente”. O busto foi uma oferta da freguesia corporizada pelos mordomos deste ano.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Barcos

Segundo o presidente da Junta de Fiscal, Augusto Macedo, disse a O MINHO, “no próximo ano, teremos três barcos totalmente novos” que começarão a ser construídos “no decorrer dos próximos meses”.

Esta era uma reivindicação antiga: as habituais embarcações e protagonistas da travessia já apresentavam “deficientes condições” o que poderia “trazer problemas de segurança”. Com o apoio da câmara, “no próximo ano, teremos três novas barcaças e no ano seguinte, as outras duas”.

“Variações” já tem trailer

A mordoma, este ano, é Maria do Sameiro Abreu, “filha de barqueiro”, que assume a tradição pela quarta vez: “como havia dificuldades em encontrar alguém, voltei a ficar eu” mas, como reconhece “isto dá muito trabalho”.

Desde Julho do ano passado que está a organizar a tradição que contou como “o apoio de familiares e amigos”.

Joaquim Costa

O padre Joaquim Costa era a ‘alma’ desta tradição. Era ele que todos os anos, batia, de porta em porta, à procura de mordomos quando “as coisas ficavam mais complicadas e não aparecia ninguém”.

A sua recente morte não “irá mudar em nada a tradição até porque ele não o iria querer”, refere Augusto Macedo. Nesta altura, é o padre da freguesia vizinha de Carrazedo que está a pastorear Fiscal.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

“Como a Páscoa lá, também, é hoje, aliás há o tradicional encontro das duas freguesias no Monte do Pilar e o padre já se tinha comprometido com Carrazedo, ficou decidido que um ano acompanharia a Páscoa lá e no outro aqui em Fiscal”, revela ainda o presidente da Junta.

Por isso, a travessia de barco no Rio Homem, foi ‘comandada’ por um seminarista, vindo da Tanzânia, Joseph Malimbali Rodrick.

Tradição

Ao som dos foguetes e das campainhas, o compasso pascal atravessa o rio Homem. Milhares de pessoas juntam-se de novo nas margens para registarem uma tradição cujas origens ninguém conseguiu ainda precisar.

Embora uma ponte já ligue as duas partes da freguesia amarense há cerca de três décadas, o cortejo pascal continua a vencer o rio com o recurso a barcaças, unindo os lugares de S. Bento e da Pedreira.

Cinco pequenas embarcações foram, mais uma vez, resgatadas ao leito do rio, onde permanecem submersas durante todo o resto do tempo, para, decoradas com flores naturais, transportarem elementos do compasso pascal, fogueteiro, fotógrafos e a sempre requisitada Banda Musical de Cabreiros entre as margens direita e esquerda do Homem.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Um cerimonial que tem o mérito de arrancar palmas aos residentes e naturais de Fiscal, bem como aos muitos forasteiros que, na segunda-feira de Páscoa, se deslocam à Freguesia amarense também reconhecida como terra natal do músico António Variações.

O cortejo pascal encerra com o habitual com o ‘Encontro das Cruzes’, no final da tarde, junto ao marco miliário na Freguesia vizinha de Carrazedo, seguido de desfile até à capela de Santo António do Pilar.

Um momento musical protagonizado pelas bandas filarmónicas e uma sessão de fogo-de-artifício presentearam os presentes, terminada mais uma ‘visita’ do Cristo ressuscitado às casas de Fiscal.

Anúncio

Braga

Perseguição policial em Braga acaba com condutor detido

Crime

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um homem, de 41 anos, foi detido na madrugada desta terça-feira depois de uma perseguição policial movida pela PSP, no centro de Braga, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PSP dá conta da fuga na sequência de ordem de paragem dos agentes, junto ao complexo habitacional do Picoto, na cidade, com o condutor a fugir em marcha-atrás numa primeira instância.

“De seguida, foi iniciada perseguição à viatura, tendo o suspeito desrespeitado sempre a ordem de paragem e durante a fuga praticou sempre uma condução perigosa, obrigando várias viaturas a travar a fundo”, refere a polícia.

O suspeito acabou por abandonar a viatura numa rua sem saída, tendo encetado fuga apedada, acabando por ser intercetado e detido logo de seguida pelos agentes.

“Aquando a interceção esta Polícia constatou que o suspeito, um cidadão com 41 anos de idade, não possuía qualquer documento que o habilitasse para o exercício da condução e quando submetido ao teste de alcoolemia, apresentou uma TAS de 1,38 g/l no sangue”, acrescenta a nota policial.

O detido foi informado que irá ser notificado posteriormente para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Queda em cascata no Gerês mobiliza helicóptero e vários meios de emergência

Ermida

em

Foto: DR / Arquivo

Uma mulher de 35 anos sofreu ferimentos ligeiros na sequência de uma queda na cascata Fecha de Barjas, conhecida como cascata do Tahiti, no Gerês, ao início da tarde desta terça-feira.

Para o local foram mobilizados os Bombeiros de Terras de Bouro, Cruz Vermelha de Rio Caldo, UEPS da GNR e a VMER de Braga.

Foi ativado um helicóptero do INEM para transporte da vítima para Braga, disse a O MINHO fonte do CDOS. O alerta foi dado às 13:45.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inicialmente tinha sido avançado que se tratava de ferimentos graves, mas tal não se veio a confirmar após primeira análise da equipa médica no local.

(notícia atualizada às 17h47)

Continuar a ler

Braga

Câmara de Braga limpa lixeira após denúncia

Ambiente

em

Foto: DR

A Câmara de Braga limpou uma lixeira, na freguesia de Palmeira, após denúncia de um ativista ambiental à ASAE e à Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT).

A denúncia de Carlos Dobreira, feita a 20 de março, apontava que na Rua Monte da Devesa, em Palmeira, havia uma “megalixeira” com “pneus, sofás, embalagens de óleo, lonas, entulho, roupas, latas, colchões, tijolos, óleos, televisões, peças de automóveis, muitos plásticos, almofadas, beatas de cigarro, bens alimentares, telhas, cimento e equipamentos elétricos”.

“Cheira a putrefacção, avistam-se roedores e a paisagem é deprimente”, ilustrava Carlos Dobreira, falando de desrespeito pela “população da freguesia de Palmeira, dado ser um foco de insalubridade e representar um risco para a saúde pública”.

Entretanto, a IGAMAOT reconheceu que a competência de intervenção no local é da Câmara de Braga, para a qual reencaminhou a denúncia – que também já tinha sido feita ao município pelo próprio Carlos Dobreira – e solicitou que desse resposta ao ambientalista bracarense.

“Foi dado conhecimento do presente expediente ao denunciante, solicitando-se que lhe seja providenciada a resposta”, refere e-mail do IGAMAOT do dia 8 de abril.

Agora, a Câmara respondeu ao ativista, através do chefe de divisão Octávio Oliveira, informando que a lixeira foi limpa e comprovando-o com fotografias do antes e depois da operação.

Continuar a ler

Populares