Seguir o O MINHO

Cávado

Homem salvo na praia de Apúlia por nadadores-salvadores, enfermeira ‘à civil’ e INEM

Resgate

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem de 61 anos sofreu uma paragem cardiorrespiratória enquanto se encontrava no areal da praia de Pedrinhas, em Apúlia, ao início da tarde deste domingo, disse a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

A vítima começou a sentir-se mal e acabou por perder os sentidos, deixando de respirar, para grande aflição da esposa que se encontrava ao lado.

Uma enfermeira que se encontrava no areal em lazer assistiu à situação e iniciou manobras de suporte imediato de vida, com auxílio de uma equipa de dois nadadores-salvadores da Associação Coordenada Decimal que faziam a vigia naquele espaço.

Rapidamente chegou a viatura médica de emergência e reanimação do INEM com desfribilhador acabando por reverter a situação de óbito da vítima.

Os nadadores-salvadores pediram o auxílio de uma pick-up de apoio, pertencente à associação, e que se encontrava no areal em Viana do Castelo, que rapidamente se deslocou para Esposende.

Com ajuda da carrinha, foi possível transportar a vítima até à ambulância, uma vez que ainda se encontrava “a uma longa distância” do local onde esta estava estacionada, disse fonte dos Bombeiros de Fão, corporação que mobilizou a viatura de emergência.

Pedro Verne e Miguel Oliveira, da coordenação dos nadadores-salvadores, prestaram o primeiro apoio psicológico à mulher da vítima, que se encontrava bastante abalada. Pouco depois, chegou a equipa de psicólogos do INEM, composta por médico e enfermeiro, para prestar assistência mais especializada à esposa.

A vítima foi depois estabilizada pelos Bombeiros de Fão já dentro da ambulância e conduzida para o Hospital de Braga com acompanhento diferenciado do médico da VMER de Barcelos, sendo considerado um “ferido grave”.

A GNR de Esposende registou a ocorrência.

Fonte dos bombeiros indicou que o papel dos nadadores-salvadores nesta ocorrência foi “fundamental” para que tudo corresse pelo melhor.

Paramédico nos Pirinéus no auxílio

O MINHO falou com Pedro Verne, coordenador dos nadadores-salvadores da Associação Coordenada Decimal, para perceber como funciona a equipa neste tipo de ocorrências.

Pedro é paramédico de uma equipa de resgate nos Pirinéus, durante a época de inverno, enquanto o companheiro Miguel, que o acompanha, é elemento da Cruz Vermelha, com ambos a terem bastante conhecimento para ocorrências de doença súbita. Foram eles que conduziram a pick-up que resgatou o homem do areal.

Foi nos explicado que esta associação está presente em todas as praias de Viana do Castelo, mas também em três do concelho de Esposende, assim como nas praias de Caminha com uma moto-4.

“Em Esposende temos nadadores na praia de Pedrinhas/Cedovém, na Praia da Barra em Suave Mar e ainda em Cepães. Fazemos anda uma ponte entre a praia da Gelfa, em Caminha, e Vila Praia de Âncora, com recurso a uma moto-4”, conta.

Quanto à carrinha pick-up que foi fundamental para rapidamente resgatar a vítima do areal, o responsável explica que funciona em Viana do Castelo mas está sempre pronta para alguma ocorrência grave em toda a extensão do areal minhoto, desde o Forte do Cão, mais a Norte, até à zona de Esposende.

Há ainda o apoio de uma viatura Amarok, do Instituto de Socorro a Náufragos, paga pela Câmara de Viana do Castelo, que é tripulada por um fuzileiro da Marinha e por um nadador-salvador, que também esteve na ocorrência de Esposende, a pedido da associação.

As viaturas fazem ainda vigilância em praias não vigiadas, por uma questão de prevenção e para assegurar o bem estar de todos os banhistas, independentemente se a praia está concessionada.

“Acho que é importante perceber que os nadadores-salvadores no Minho salvam centenas de vidas todos os anos, e que tentamos marcar a diferença para com os banhistas, que são sempre a nossa grande preocupação”, finalizou.

Populares