Seguir o O MINHO

SC Braga

Holanda treinou na Cidade Desportiva e treinador agradece ao SC Braga: “Instalações perfeitas”

Equipa está a treinar no local

em

Foto: Divulgação/SC Braga

No âmbito da Liga das Nações, a seleção holandesa treinou na Cidade Desportiva do SC Braga. A equipa venceu a Inglaterra em Guimarães na última quinta-feira e vai defrontar Portugal no domingo pelo título, no Estádio do Dragão.

Treinador da “laranja mecânica”, Ronald Koeman elogiou o clube bracarense e as suas instalações.

https://twitter.com/SCBragaOficial/status/1137046038747983872

“Estamos muito satisfeitos. As instalações que temos usufruído são muito boas, agradecemos ao SC Braga por podermos treinar aqui. O campo é perfeito e por isso estamos muito contentes”, disse o ex-treinador do Benfica.

“Recordo-me do SC Braga como uma equipa sempre difícil de ganhar. Foi quarto classificado no ano passado e é uma equipa que luta sempre para estar dentro dos três grandes em Portugal”.

O holandês, que foi treinador do Benfica na época 2005/2006, falou com carinho do país e o que espera do jogo de domingo.

“É sempre bom regressar a Portugal. Normalmente o tempo está agradável, hoje menos, mas estou muito contente com a partida de ontem, pelo resultado e pela maneira como jogámos. Agora estamos focados na final de domingo. Uma final contra Portugal, que joga em sua casa… será bonito”.

Portugal e Holanda defrontam-se no domingo pelas 19:45 no Porto. Antes, às 14:00, Suíça e Inglaterra encontram-se em Guimarães no jogo de atribuição de terceiro lugar.

Anúncio

Futebol

Eduardo ainda sonha com regresso à Seleção: “É um objetivo até deixar de jogar”

Guarda-redes, de 37 anos, do SC Braga

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

O guarda-redes do SC Braga Eduardo revelou hoje que tem o sonho de ser convocado para o próximo Campeonato da Europa de futebol e frisou a importância da vitória em Guimarães, na última jornada da I Liga.

Campeão europeu em 2016, ainda que sem sair do banco de suplentes, o guardião de 37 anos confessou o desejo de voltar à seleção nacional orientada por Fernando Santos.

“Claro que sim [tenho o sonho de ser convocado]. Sei que é difícil, mas que, jogando, estarei entre os disponíveis para o que o selecionador entender. Ele conhece-me, sabe do meu trabalho, eu estou disponível e ambiciono [voltar], é um objetivo da minha carreira até deixar de jogar”, disse à margem de uma visita de uma delegação do clube à escola EB1 de Santo António, em Padim da Graça (Braga).

Depois das vitórias com o Besiktas (3-1), que deixou os minhotos muito perto do apuramento para a fase seguinte da Liga Europa, e em Guimarães, diante do Vitória (2-0), para o campeonato, o Sporting de Braga parece ter colocado um fim à ‘mini’ crise após a derrota com o Boavista (2-0) e o empate caseiro com o Famalicão (2-2), para a I Liga.

“Nós só temos uma identidade, talvez na Liga Europa tenhamos melhores resultados, porque temos sido mais eficazes, [mas] no campeonato também temos feito boas exibições, temos tido alguma infelicidade em alguns jogos que nos podiam dar agora outra classificação, mas estamos a fazer um excelente trajeto e temos feito grandes jogos. Esperamos ser mais eficazes para ter outros resultados, para estarmos lá em cima, como merecemos”, disse.

Questionado sobre a importância do triunfo em casa do grande rival e das palavras críticas de António Salvador depois do empate com o Famalicão para ultrapassar essa fase menos boa, Eduardo considerou que foi “uma vitória importante e convincente”, num “jogo especial para os adeptos” e que os jogadores sabem da “ambição do presidente”.

“Sabemos da vontade que o presidente tem de ganhar, ele apenas transmitiu isso e nós respeitamos. Ele sabe que nós damos sempre o nosso melhor, que tentamos sempre os melhores resultados e também sabemos que ele está sempre do nosso lado”, disse.

Titular nos dois últimos jogos, Eduardo elogiou os colegas de posição, Matheus e Tiago Sá: “Temos um grupo de guarda-redes ambicioso e de grande qualidade, lutamos os três para jogar, eu quero jogar, como é óbvio, e estamos aqui para ajudar a equipa, seja qual for a decisão do treinador”, disse.

O SC Braga recebe, no sábado (18:30), o Gil Vicente, na quarta eliminatória da Taça de Portugal e, embora deixando elogios à equipa e treinador [Vítor Oliveira] da equipa de Barcelos, Eduardo frisou as ambições dos bracarenses na competição.

“Temos que ter atenção em todos os jogos, na Taça por vezes são diferentes, porque as equipas mais pequenas ambicionam conquistar algo. O Gil Vicente é uma boa equipa, organizada, tem um excelente treinador e de certeza que vem aqui com a ambição de seguir, mas nós também queremos, jogamos em casa e vamos querer passar. Temos um grande objetivo nas taças [de Portugal e da Liga]”, disse.

Continuar a ler

Futebol

Reformulação das competições europeias não retira vagas a Portugal

Portugal está no sexto lugar do ‘ranking’ da UEFA

em

Foto: Divulgação/FPF

A próxima reformulação das competições europeias de futebol, com a introdução da Europa Conference League, não irá alterar as vagas destinadas à participação portuguesa, caso Portugal consiga manter o atual sexto posto no ‘ranking’ da UEFA.

O organismo que rege o futebol europeu decidiu avançar para a criação de uma nova prova sob a sua égide, anunciada em 2018, numa tentativa de dar mais competição às federações-membro para o período entre 2021 e 2024.

Neste momento, Portugal discute com a Rússia o sexto lugar da hierarquia, uma vez que esse posto atribui diretamente duas vagas para a Liga dos Campeões, uma para a fase de acesso à prova mais importante de clubes da UEFA e outras três para a Liga Europa.

Em comunicado, a UEFA escreve que “espera mudanças que melhorem o equilíbrio competitivo, o apelo comercial da Liga Europa e garantam níveis mais altos de participação dos campeões nacionais”, assim como “uma representação mais ampla das associações nacionais no futebol europeu de clubes ao longo da temporada”.

A Liga Europa, que vai ter o vencedor da prova a entrar diretamente na Liga dos Campeões no ano seguinte, passa do atual formato de 48 equipas para 32, igualando o modelo da ‘Champions’, com oito grupos de quatro equipas, seguida das fases a eliminar (oitavos de final, ‘quartos’, ‘meias’ e final), sendo que a ronda dos 16 avos de final deixa de existir, passando a disputar-se um ‘play-off’ entre os terceiros classificados da fase de grupos da prova mais importante de clubes e os segundos classificados da Liga Europa para aceder aos ‘oitavos’.

O mesmo acontece para a nova competição da UEFA, com os terceiros classificados da Liga Europa e disputarem igualmente um ‘play-off’ com as equipas que terminarem em segundo lugar nas ‘poules’ da Europa Conference League, com o vencedor da competição a entrar também de forma direta para a fase de grupos da Liga Europa na edição seguinte.

Esta nova estrutura para as competições europeias garantirá que, pelo menos, 34 federações nacionais da UEFA estejam representadas na fase de grupos de uma ou mais competições, havendo um mínimo de 14 campeões nacionais na fase de grupos da Liga dos Campeões, entre oito e 11 campeões nacionais na fase de grupos da Liga Europa e entre nove e 12 campeões nacionais na fase de grupos da Europa Conference League.

Todas as associações-membro da UEFA terão acesso às três competições de clubes e as suas quotas permanecerão inalteradas.

Continuar a ler

I Liga

Ivo Vieira antecipa Dérbi do Minho com “bom futebol” e quer Vitória “equilibrado”

11.ª jornada

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

O treinador do Vitória SC, Ivo Vieira, disse hoje esperar momentos de “bom futebol” frente ao SC Braga, no domingo, na 11.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, e pediu equilíbrio aos seus jogadores.

“O Vitória é uma equipa que cria bom futebol e o Braga também procura jogar bem, [exibir] um futebol de ataque. Nós e o Braga estamos nesse lote das cinco ou seis equipas que mais procuram a baliza do adversário e dar qualidade do jogo, pelo menos nesta fase do campeonato”, reiterou o técnico, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro marcado para as 20:00, em Guimarães.

https://twitter.com/VitoriaSC1922/status/1193157589766475776

Atual quinta classificada, com 16 pontos, a formação vitoriana tem quatro de vantagem para o rival minhoto, 11.º da tabela, mas o técnico madeirense afirmou que o seu plantel precisa de conjugar a organização em campo com a vontade de vencer para somar os três pontos e alcançar um “conforto” de sete pontos sobre um “adversário direto” na luta pelos lugares cimeiros.

“O cerne da questão é sermos equilibrados dentro do jogo e querermos tanto vencer como os nossos adeptos. Vamos querer tanto como eles, mas isso, dentro do jogo, não pode ultrapassar a nossa organização e os nossos equilíbrios. A intensidade e a vontade vão lá estar, mas o discernimento também tem de estar”, frisou.

O Vitória SC, prometeu Ivo Vieira, vai “procurar a baliza do adversário o mais possível”, à semelhança de outras partidas já disputadas nesta época, mas também apresentar-se ciente do poderio bracarense no ataque organizado, com “jogadores rápidos e possantes”, quer no contra-ataque, momento, a seu ver, “bem trabalhado” pelo conjunto treinado por Ricardo Sá Pinto.

O treinador dos vimaranenses concordou ainda que a sua equipa tem “tido grandes desempenhos em jogos de grande dimensão”, até porque os jogadores costumam aí ter mais tempo para decidir face aos encontros em que têm de ultrapassar formações recuadas, mas admitiu que os resultados não têm correspondido.

O duelo entre vitorianos e ‘arsenalistas’ em Guimarães mobilizou pelo menos 20.000 adeptos nas últimas três épocas, com Ivo Vieira a reconhecer que o jogo é “diferente” pelo “entusiasmo” com que se vive.

“Independentemente do número de pontos [das equipas], seria sempre um jogo fundamental para os vitorianos ganharem”, observou.

Habituado a mudar o ‘onze’ face ao número de jogos a que o Vitória está sujeito desde o início da época – já realizou 22, repartidos por I Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa -, o técnico vai fazê-lo novamente devido à suspensão de Mikel Agu (cinco amarelos), mas considerou que o rendimento não tem oscilado face à “qualidade dos jogadores” e ao trabalho durante a semana.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares